Com o mercado cada vez mais exigente e competitivo, já não basta ter nível superior para garantir as melhores oportunidades. Por isso, muitos jovens enxergam a pós-graduação como um caminho para o aperfeiçoamento profissional e o destaque no mercado de trabalho.

No entanto, algumas dúvidas são persistentes entre aqueles que não têm condições de pagar, mas desejam investir na capacitação: como conseguir qualificação sem comprometer o orçamento? É possível obter financiamento para pós-graduação?

A boa notícia é que, sim, é possível conseguir auxílio financeiro para pagar a pós e dar uma alavancada na carreira profissional! Pensando nisso, reunimos neste post informações importantes sobre o financiamento estudantil para alunos de pós-graduação. Ficou interessado no assunto? Então acompanhe a leitura!

FIES

O FIES (Programa de Financiamento Estudantil) foi criado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) em 1999. Seu principal objetivo é oferecer financiamento estudantil para estudantes de baixa renda em faculdades que possuem uma avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e nos demais processos avaliativos do MEC.

No entanto, o que muita gente não sabe é que o FIES não serve somente para o financiamento da graduação. Graças às mudanças na legislação (Lei nº 11.552/2007) que rege o programa, atualmente também é possível financiar a pós-graduação stricto sensu — mestrado e doutorado.

É interessante dizer que, infelizmente, o programa não abrange a formação lato sensu — especializações e MBAs — e os cursos a distância. Se essa for a sua intenção ao buscar o FIES, fique ligado!

Para participar do FIES, é necessário ter um fiador, renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos por membro da família e não ter usufruído do financiamento para cursar a graduação.

O plano de pagamento do FIES é dividido em 3 fases. Veja:

  • 1ª fase: pagamentos trimestrais de até R$ 150,00 durante o curso — quantia equivalente aos juros, que são de 3,4% ao ano;

  • 2ª fase: pagamentos trimestrais de até R$ 150,00 durante 18 meses após a conclusão da graduação;

  • 3ª fase: pagamento do saldo devedor parcelado em até 3x o período de duração previsto para a pós.

Financiamento bancário

Se o seu perfil socioeconômico não permite que você se candidate ao FIES, os financiamentos bancários podem ser uma alternativa. O crédito privado é ofertado por bancos como Bradesco, Santander, Itaú e Caixa Econômica e tem taxas de juros que variam de 1 a 3% ao mês.

A vantagem dessa opção fica com a não limitação quanto à modalidade do curso de pós-graduação pretendido, visto que ele pode ser usado para custear tanto pós-graduações stricto sensu quanto lato sensu.

Contudo, é importante dizer que as regras de financiamento variam conforme o banco escolhido pelo estudante. A Caixa Econômica, por exemplo, só exige que o curso seja reconhecido pelo MEC. Dessa forma, basta que o educando compareça a uma agência com comprovante de renda e matrícula para solicitar o crédito.

Outros aspectos como limite de crédito, prazo para pagamento, valor e quantidade das parcelas também variam de acordo com a instituição financeira e, portanto, precisam ser consultados. No Santander, por exemplo, não há avalistas e o valor das prestações pode ser negociado com o gerente. A exigência, no entanto, é que o solicitante tenha conta no banco.

Como se não bastassem essas opções, ainda existe o PraValer — programa universitário do Itaú —, que fornece facilidades para o contratante, como a não necessidade de ter conta no banco e possibilidade de realizar todo o processo online. Todavia, só é possível pedir o crédito se a IES for conveniada à plataforma, o que limita bastante as opções do aluno.

Vale lembrar que, em alguns casos, a faculdade faz parcerias com o banco e fornece prazos diferenciados e juros e parcelas menores.

Diante da gama de possibilidades, é essencial que o aluno pesquise profundamente cada alternativa e as analise bem. Somente assim torna-se possível encontrar as condições de pagamento que atendam às suas necessidades sem prejudicar seu orçamento.

Financiamento institucional

Diversas instituições de ensino elaboram suas próprias linhas de financiamento para pós-graduação, sendo esse um modelo que oferece algumas vantagens para o estudante. Acompanhe as principais:

Redução da burocracia

Como o contratante é o próprio educando da faculdade, o seu histórico financeiro já é conhecido. Assim, não é necessário fazer muitas análises, encurtando o processo.

Não há limitação de renda

Diferentemente do que acontece no FIES, nesse modelo não existe limite de renda para concessão do financiamento. Isso porque os programas são elaborados e desenvolvidos pelas faculdades com o intuito não só de incluir alunos de baixa renda, mas também de viabilizar a formação de todos que precisem de auxílio para quitar seus débitos.

Flexibilidade na negociação dos termos do financiamento

Com a proximidade existente entre faculdade e aluno, as possibilidades de se conseguir um prazo maior para pagamento e menores taxas são muito maiores. Além disso, também é mais simples para o estudante conseguir um refinanciamento caso imprevistos aconteçam, o que torna a opção, de certa forma, mais segura e atrativa.

É importante ressaltar que embora o financiamento institucional seja vantajoso e tenha poucos pré-requisitos, nem todas as IES o disponibilizam. Portanto, se a sua ideia é conseguir crédito estudantil desse modo, não deixe de verificar se a faculdade escolhida oferece essa modalidade de pagamento.

Vale lembrar também que os termos dessa linha de financiamento não são padronizados. Por isso, é essencial ficar atento ao que dispõe o regulamento da instituição de ensino com relação ao crédito universitário antes da contratação.

Como você pode deve ter percebido, são diversas as formas de se conseguir auxílio financeiro para pagar uma pós-graduação. A dica, portanto, é pesquisar bastante cada opção, buscar as menores taxas de juros e contratar o financiamento para pós que mais se alinha ao seu perfil. Assim, você investirá em formação e aprimorará o currículo sem comprometer o planejamento financeiro.

Gostou de conhecer os financiamentos para pós-graduação? Deixamos alguma alternativa incrível de fora do nosso conteúdo? Compartilhe com a gente nos comentários — vamos adorar sua contribuição!

Facebook Comments