“Será que realmente é importante fazer uma graduação?” — essa é uma pergunta que não sai da cabeça de vários vestibulandos. Afinal, além da incerteza sobre qual profissão seguir, muitos têm dúvida sobre como será a faculdade, quais as vantagens de se graduar e, para completar, não sabem ao certo o que esperar de um curso superior.

Pensando nisso, preparamos um verdadeiro guia que responderá não só a respeito da relevância que a vida universitária tem para o seu futuro profissional, como também sobre quais são os tipos de graduação existentes, como escolher uma boa instituição de ensino e os benefícios de ter um diploma. Acompanhe e se informe!

Ainda vale a pena fazer uma graduação?

Para começar, vamos responder à dúvida que dá início a este post: sim, ainda vale a pena terminar o Ensino Médio e fazer uma graduação — que é a formação base do nível superior, sendo composta por três modalidades (bacharelado, licenciatura e tecnológico). Já a pós-graduação (mestrado, doutorado, especialização e MBA), por sua vez, é uma formação avançada e complementar.

Para comprovar o que estamos dizendo, reunimos três motivos que explicam por A + B por que esse investimento na continuidade da sua formação faz tanta diferença. Confira!

Conhecimento aprofundado

A graduação é um período em que você amadurece o seu nível de conhecimento e ainda evolui o seu raciocínio crítico e reflexivo. Isso lhe permite debater assuntos mais complexos, aprender sobre conteúdos diversos, entender como funciona a dinâmica do mercado de trabalho e, inclusive, produzir saber científico.

Sem falar que ao fazer a sua faculdade em Santa Catarina, por exemplo, você terá, além do que mencionamos, um aprofundamento sobre as demandas do estado e um panorama da atuação dos profissionais da sua área na região. Isso é indispensável para ajudá-lo a entender quais segmentos estão mais carentes de atenção, quais carreiras dão um maior retorno financeiro, onde há maior oferta de emprego etc.

Mais facilidade para ingressar no mercado

Ao investir na graduação, você tira o seu perfil da medianidade e mostra que está interessado em aprender e se desenvolver como profissional. Basta recordar que muitos cargos que existem em empresas, autarquias públicas, instituições de saúde, organizações financeiras e produtoras de entretenimento, por exemplo, só podem ser ocupados por quem tem formação superior.

Isto é, tem a devida capacitação para exercer atividades e funções específicas que impactam diretamente o uso de equipamentos e recursos internos, o serviço prestado ao cliente, as finanças da organização e por aí vai. Com isso, naturalmente, as suas chances de conseguir emprego se tornam muito maiores.

Valorização da carreira

Por fim, fazer uma graduação não só aumenta as suas possibilidades no mercado, como também valoriza a sua carreira. Isso porque, além de se tornar apto para concorrer às vagas que citamos, você pode participar de diversos concursos públicos, especialmente aqueles que são destinados para bacharéis, licenciados e tecnólogos.

Para completar, saiba que ao se graduar, você tem a chance de fazer uma pós-graduação e, assim, se tornar um especialista (com uma especialização), se dedicar ao ambiente acadêmico (com um mestrado e/ou doutorado) e alcançar cargos de chefia em organizações, como gerente, diretor e presidente (com um MBA) — que é o objetivo de longo prazo de muita gente.

Quais os benefícios de se fazer uma graduação?

Há pouco, você viu que a graduação é crucial para valorizar o seu currículo e gerar mais oportunidades no mercado de trabalho. Porém, não acaba aí. Ela também traz benefícios que ajudam a impulsionar (e muito) a sua trajetória profissional. Ficou curioso em saber mais? Pois fique atento a quais são essas vantagens!

Ganho de experiência

Ao fazer uma graduação, você alcançará, inevitavelmente, experiência na área de atuação desejada. O que explica isso é o fato de que ao longo dos semestres os alunos têm, dependendo do curso, um ou mais estágios supervisionados. 

Ou seja, períodos obrigatórios na sua grade curricular para que você teste os seus conhecimentos, adquira um comportamento mais analítico, desenvolva habilidades, se habitue ao uso de técnicas e programas utilizados no ramo, vivencie a rotina laboral de uma organização e fique por dentro de como são as funções de um profissional formado. Tudo isso antes de você se graduar e sair da faculdade.

Prática do networking 

Além do ganho de experiência, você tem a oportunidade de praticar constantemente o seu networking. Com isso, é possível conseguir contatos que possam indicá-lo para vagas efetivas e temporárias, informá-lo sobre processos seletivos em primeira mão, recomendá-lo para projetos, convidá-lo para parcerias e muito mais.

Afinal, é cada vez mais comum ter colegas que já estão numa segunda graduação, que trabalham e contam com envolvimento na área de formação que você escolheu. 

Além disso, não podemos esquecer dos seus professores, equipe de coordenação e profissionais convidados a participar de eventos internos da faculdade (como palestras, workshops, conferências, oficinas etc.) Todos eles podem integrar a sua rede contatos e facilitar o seu ingresso no mercado de trabalho.

O que esperar ao se fazer uma graduação?

A graduação não se resume apenas a ampliar a sua formação, a gerar oportunidades para networking, a inseri-lo em uma área de atuação e a capacitá-lo para o mercado. Ela também traz diversos pontos positivos para o seu desenvolvimento como ser humano. Abaixo, reunimos alguns deles. Veja!

Amadurecimento pessoal e profissional

O período que você passa dentro da faculdade contribui diretamente para o seu amadurecimento pessoal e profissional. Você desenvolve uma visão diferente não só sobre a profissão que exercerá, mas principalmente como ela pode impactar a sociedade, a cultura, a economia e até o mesmo ambiente. 

A partir disso, você pensa em maneiras de contribuir para que essa carreira se torne mais humanizada e transformadora. Como se não fosse o bastante, enquanto aluno, você pode participar de projetos e atividades sociais para melhorar a vida da comunidade e fazer a diferença na sua região.

Novas amizades

A faculdade também é um excelente espaço para fazer novas amizades. Isso porque você terá o convívio com seus colegas não apenas dentro da sala de aula, mas também nos corredores do campus, na biblioteca, nas atividades extracurriculares, nos eventos acadêmicos e muito mais. Lembrando que isso acontecerá durante vários semestres!

Ou seja, é uma oportunidade para praticar a sua capacidade de socializar e interagir com os demais, além de poder conhecer pessoas que, sem dúvidas, vão ajudá-lo na sua trajetória e se tornar grandes companheiros e confidentes para toda a vida.

Contato com diferentes realidades

Vale ainda mencionar que a graduação o permite ampliar os seus horizontes e ter contato com realidades diferentes da qual você vivencia no seu dia a dia, principalmente quando falamos do convívio com pessoas que vêm de outros estados ou mesmo outros países para estudar na mesma instituição de ensino que você escolheu. 

Isso é muito bom para debater ideias, ter trocas culturais, aprender outras línguas, entender melhor tradições e costumes de outros lugares, respeitar as várias filosofias de vida etc. Sem falar que esse tipo de experiência pode incentivá-lo na sua carreira e nos projetos que você desenvolverá.

Quais os tipos de graduação?

Até aqui, já respondemos sobre por que vale a pena se graduar, os benefícios de entrar no Ensino Superior e o que você pode esperar desse período na faculdade. Agora, vamos falar de uma dúvida muito comum entre os vestibulandos: quais as diferenças entre os cursos de bacharelado, licenciatura e tecnológico? Abaixo, explicamos tudo sobre eles!

Bacharelado

O bacharelado é a graduação mais popular e dura, geralmente, de quatro a seis anos. Isso porque essa é a formação que leva o estudante a conhecer, por meio de diferentes disciplinas teóricas e práticas, toda a área de atuação escolhida e a entender que o profissional pode trabalhar em diferentes segmentos dentro do ramo.

É justamente por esse motivo que ela é considerada generalista. Por exemplo, se você optou por estudar Direito na faculdade, verá ao longo do curso que o advogado pode atuar no campo do Direito Previdenciário, do Direito Trabalhista, do Direito Criminal, do Direito Tributário e por aí vai.

Licenciatura

A licenciatura, por sua vez, é um tipo de formação mais específica. A razão disso é que ela é focada na qualificação de novos docentes. Sim, isso mesmo que você leu: de professores. Não é para menos que quem escolhe ela já sabe — desde antes de entrar numa instituição de Ensino Superior — que quer trabalhar com a educação de crianças, jovens e adultos.

Se esse é o seu caso, saiba que você estudará de três a quatro anos não só sobre a matéria que lecionará (física, geografia, matemática etc.), mas também sobre as melhores abordagens da disciplina em sala de aula, a comunicação com estudantes, a prática do plano pedagógico em ambientes escolares, as técnicas da didática etc.

Tecnológico

Já o tecnológico é um curso no qual você se dedica ao estudo não de uma área de atuação, mas sim de um dos segmentos dela. Dessa maneira, toda a sua formação se torna mais enxuta — entre dois e três anos — e conta com disciplinas de cunho prático que são voltadas para as atividades que você desempenhará depois de formado. 

Por exemplo, o curso de Gestão da Tecnologia da Informação é um dos diversos desdobramentos do ramo de sistemas de informação. É por isso que essa é uma boa escolha de graduação quando você já tem definido com o que quer atuar e deseja se profissionalizar em menos tempo para entrar no mercado de trabalho e fazer o seu nome.

Porém, vale reforçar que nem todas as áreas de conhecimento ofertam cursos tecnológicos, ok? Na saúde, que é uma das mais tradicionais, por exemplo, a grande oferta continua sendo exclusivamente de bacharelados, como acontece na Odontologia, na Medicina Veterinária, na Psicologia e afins.

Como entrar na faculdade?

Muitos jovens desejam estudar naquela instituição de ensino que é sinônimo de qualidade e prestígio na região onde moram. Porém, ficam preocupados quanto a dois fatores. O primeiro é a alta concorrência no processo seletivo. O segundo, por sua vez, é o fato do local ser particular — já que, dependendo da situação financeira familiar, talvez não consigam pagar as mensalidades.

Se essa também é uma preocupação sua, não se desespere, viu? Isso porque o segredo para a sua entrada no Ensino Superior é conhecer as formas de ingresso da faculdade e, em especial, as opções de bolsas e financiamentos que ela oferece. Abaixo, falamos melhor sobre cada um. Veja!

Formas de ingresso

Concorrência é algo que sempre terá em qualquer processo seletivo, isso é fato. Porém, muitas faculdades buscam alternativas para simplificá-lo e torná-lo menos exaustivo. É por isso que, além do tradicional vestibular feito pela instituição, muitas também utilizam o Enem como uma forma de ingresso.

Há ainda aquelas que vão além e promovem uma terceira possibilidade, como é o caso da UCEFF. Para se ter ideia, ela conta com a modalidade UCEFF Now em que o vestibulando não precisa seguir um calendário de provas e divulgação de resultados.

Ao contrário, ele pode ingressar no Ensino Superior a qualquer momento do ano e, de quebra, passar por uma orientação exclusiva com a coordenação do curso para o sucesso profissional dele no mercado. Massa, não é?

Bolsas e financiamentos

Já para quem tem o orçamento familiar comprometido ou limitado no momento, é crucial se informar se a instituição aceita programas de financiamentos estudantis e bolsa de estudos na faculdade. Dois dos mais famosos, por exemplo, são o Prouni e o FIES.

Além disso, é possível que o centro universitário também conte com linhas de crédito próprias para os estudantes e ainda ofereça descontos (como aqueles concedidos por pontualidade no pagamento e pelo número de parentes matriculados no local).

Qual curso combina comigo?

“Já entendi que fazer uma graduação é indispensável e pode ser um verdadeiro divisor de águas na minha vida. Porém, como escolher um curso que combina comigo?”, você deve estar pensando. Afinal, escolher uma profissão não é algo simples que é decidido do dia para a noite. Ao contrário, requer muita reflexão e autoconhecimento.

Por isso, reunimos algumas dicas para ajudá-lo a encontrar a graduação que vai satisfazer suas necessidades e permitir que você fique um passo mais perto de ser um profissional de sucesso. Confira e evite erros nessa decisão tão importante!

Leve em conta a sua personalidade

Antes de qualquer coisa, pare e faça uma autoanálise sobre a sua personalidade. Para tanto, pegue uma caneta e uma folha em branco e faça quadro com colunas para as seguintes categorias: as suas habilidades, as suas matérias preferidas, os seus objetivos de vida e os seus diferenciais. Em seguida, vá preenchendo cada uma dela com as suas características. Abaixo, você vê um exemplo de como elas devem ficar:

  • habilidades: bom raciocínio lógico, facilidade com números e entendimento avançado de computação;
  • matérias preferidas: matemática, física e química;
  • objetivos de vida: morar no exterior; ter uma jornada de trabalho flexível e trabalhar em uma grande empresa;
  • diferenciais: falar inglês, ser proativo e aprender as coisas de maneira autodidata.

A partir desse exercício, será mais fácil identificar uma profissão que se encaixa com a sua personalidade. Por exemplo, supondo que você faça um quadro similar ao que mostramos, as Engenharias (Química, Mecânica, Elétrica e Civil) se tornarão excelentes opções de graduações a serem feitas. Isso porque os aspectos que você mesmo apontou descrevem justamente as principais características de um estudante de Exatas. Ou seja, essa é uma atividade capaz de revelar bastante coisa!

Procure conteúdos ricos sobre as profissões que lhe interessam

Uma segunda dica é fazer uma pesquisa de conteúdos ricos sobre as áreas de atuação que lhe interessam. Para isso, vale utilizar levantamentos do Ministério da Educação — que reúne informações atualizadas e oficiais sobre o Ensino Superior — e, em especial, dos conselhos regionais e federais de cada profissão — que, por sua vez, reúnem informações atualizadas e oficiais sobre os ramos em que você pode trabalhar.

Além deles, não deixe conferir blogs de faculdades de renome no mercado, como é o caso da UCEFF. Afinal, você sempre encontra postagens bem detalhadas sobre o mercado, a vida acadêmica e os cursos de graduação e pós-graduação.

Tire dúvidas com quem já faz o curso que chama a sua atenção

Ao ter uma graduação em mente, não perca tempo: converse com alguém que está matriculado. Lembre-se que ninguém melhor do que um estudante universitário para tirar suas dúvidas sobre como é o curso e o que você pode esperar dele.

Além disso, essa conversa pode ser muito proveitosa para saber como foi para o outro lidar com a pressão do vestibular, a aprovação na faculdade, como é o trote universitário, quais são os desafios de trabalhar e estudar e como é estudar no formato a distância (caso a graduação dele seja EAD).

Como se tudo isso já não fosse o bastante, essa pessoa pode dar dicas para aproveitar melhor a vida acadêmica, se dar bem nos estágios e ter uma formação diferenciada.

Converse com profissionais da área desejada

Além de bater um papo com as pessoas que estão se graduando no curso que você quer fazer, aproveite para conversar com quem já se formou e trabalha no ramo. Afinal de contas, essas pessoas têm uma visão muito mais aprofundada sobre o mercado de trabalho, podendo compartilhar vários detalhes do meio profissional.

Por exemplo, como anda a oferta de empregos na sua cidade, quais segmentos estão em alta, quais atividades fazem parte da rotina laboral, qual a média salarial, quais competências as empresas estão valorizando mais e por aí vai. Resumindo: todas essas informações serão bastante úteis para você ter uma ideia de como é o dia a dia de quem atua na área deseja.

Pesquise sobre as novas profissões que estão surgindo

A última sugestão é não se ater apenas às profissões clássicas, mas também pesquisar por aquelas que surgiram nos últimos anos, especialmente com o avanço da internet. Uma delas pode ser exatamente o que você deseja para a sua carreira!

Por isso, veja qual faculdade pode ser feita para que você esteja mais capacitado a atuar nesses novos ramos, quais são as apostas do mercado, as habilidades e os conhecimentos exigidos e quais empresas já são pioneiras nesses ramos.

Como escolher a melhor instituição de ensino?

Por fim, não podemos deixar de concluir o nosso superguia falando de algo fundamental: escolha de forma inteligente o local onde você vai realizar a sua graduação. Isso porque a instituição de ensino tem um enorme peso na matriz curricular do curso, na infraestrutura do campus e dos espaços de convivência dos alunos e na qualidade das aulas que são oferecidas em sala de aula e nos laboratórios.

Além disso, apenas uma boa faculdade promove incentivo à iniciação científica, realização de eventos acadêmicos e oferta de atividades extracurriculares que são coisas que enriquecem a sua formação, aprimoram o seu currículo e o deixam a par das novidades e tendências do mercado de trabalho. Por isso, ao investir em uma faculdade particular, fique atento aos seguintes aspectos:

  • nota do Enade: que indica não só a qualidade do ensino dos cursos ofertados no centro universitário, como também o grau de aprendizado obtido pelos alunos que estão se formando nesse espaço;

  • currículo lattes dos professores: que reúnem informações da formação acadêmica e da experiência profissional dos profissionais que integram o corpo docente da instituição;

  • mobilidade acadêmica: que apresenta os acordos de cooperação internacional da faculdade com outras instituições de ensino ao redor do mundo para alunos fazerem intercâmbio e terem uma formação multifacetada e multicultural;

  • participação dos estudantes em atividades científicas: que mostra que os alunos da faculdade estão envolvidos com produção científica de artigos, pesquisas, periódicos e outros projetos para apresentar e defender em conferências e congressos.

Como você leu, a graduação não é algo difícil de se entender, nem muito menos um objetivo impossível de alcançar. Ao contrário, ela é o próximo passo na sua formação e o melhor caminho a ser trilhado para quem deseja ter uma carreira de destaque. Por isso, invista na sua preparação para ter um bom desempenho no vestibular e escolha uma boa instituição de ensino para ter um currículo diferenciado e valorizado!

Gostou do post, mas ainda tem dúvidas sobre qual profissão seguir? Então faça agora o nosso quiz para saber qual delas combina mais com você!

 

Facebook Comments