Com o ensino médio chegando ao fim, é momento de passar a refletir sobre o ingresso em uma faculdade. Isso porque o ensino superior oferece diversas possibilidades de cursos, para a formação dos mais diferentes profissionais no mercado — e o curso de nutrição é um deles.

Como essa decisão não é fácil, o aluno deve pesquisar e reunir o máximo de informações possíveis sobre os cursos de seu interesse: entender como funciona o curso de sua escolha, analisar a grade curricular e, claro, considerar a atuação do profissional no mercado de trabalho.

Para facilitar a sua pesquisa, reunimos neste post tudo o que você precisa saber sobre o curso de nutrição. Se você tem interesse pela área, continue a leitura e tire todas as suas dúvidas. Vamos lá?

Como funciona o curso de Nutrição?

Pertencente à área de Ciências Biológicas, o curso de Nutrição tem duração média de 4 anos e oferece ao estudante uma formação multidisciplinar. Apesar de ser um curso da área da saúde, a faculdade de Nutrição também contempla disciplinas voltadas à área de Ciências Humanas, como ética e administração e gestão.

O motivo de oferecer uma grade curricular completa é a boa preparação do estudante para o mercado, considerando que existem diversas possibilidades de atuação. O curso de Nutrição tem o propósito de formar profissionais aptos a desempenharem as seguintes atividades:

  • avaliação do cotidiano alimentar dos pacientes;
  • elaboração de dietas aos mais diversos pacientes, saudáveis ou doentes;
  • prescrição de suplementos nutricionais, a partir do objetivo do paciente;
  • realização de controle de qualidade dos alimentos oferecidos em estabelecimentos gastronômicos;
  • desenvolvimento ou avaliação de produtos alimentícios.

Como a atuação do nutricionista tem relação com a garantia de saúde às pessoas, o curso de Nutrição foi elaborado com o objetivo de promover mais bem-estar por meio de uma alimentação equilibrada: as disciplinas do curso foram desenhadas, justamente, pata desenvolver essas habilidades.

Além de matérias teóricas, o estudante do curso de Nutrição conta com aulas de laboratório e estágios em diferentes instituições. Por isso, o aluno que optar por essa graduação vai encontrar um curso dinâmico e repleto de conteúdos diferentes. Interessante, não?

Qual é a grade curricular do curso de Nutrição?

O curso de Nutrição tem o propósito de formar profissionais aptos a atuarem de forma autônoma, a partir da abertura da própria clínica, ou para integrar uma equipe, como no trabalho em equipes de saúde. Essa também é uma das possibilidades de trabalho do nutricionista, o que requer mais conhecimento técnico em matérias específicas da área da saúde.

Por essas razões, o curso é multidisciplinar: além de matérias exclusivas de Nutrição, o estudante tem contato com atuação clínica. A partir das diretrizes do Ministério da Educação (MEC), a grade curricular do curso de Nutrição deve ser composta por:

  • Ciências Biológicas e da Saúde: conteúdos teóricos e práticos de saúde coletiva, epidemiologia, bioestatística, psicologia, microbiologia, imunologia, bioquímica, genética, embriologia, parasitologia, patologia e biologia celular e molecular, farmacologia, fisiologia e morfologia;
  • Ciências Sociais, Humanas e Econômicas: economia, marketing, comunicação, metodologia de pesquisa, sociologia, filosofia, ética e antropologia;
  • Ciências de Alimentação e Nutrição: disciplinas de nutrição humana e dietética, educação alimentar, saúde coletiva, nutrição experimental, vigilância nutricional, avaliação nutricional, dietoterapia, patologia de interesse da nutrição, técnica dietética, gestão de unidades da alimentação e nutrição;
  • Ciências dos Alimentos: conteúdos de bromatologia, microbiologia dos alimentos, higiene, vigilância sanitária e controle de qualidade dos alimentos e tecnologia dos alimentos.

A grade curricular também compreende aulas práticas e estágios em locais credenciados, a partir do foco em nutrição clínica, social e em unidades de alimentação e nutrição. Com uma grade curricular tão diversificada, o curso de Nutrição é o oposto da monotonia.

Qual é o perfil do estudante de Nutrição?

A primeira característica importante a ser avaliada é a preferência por matérias escolares: gostar de biologia e química, por exemplo, é essencial para o aluno que deseja cursar Nutrição. Isso porque ambas as disciplinas estão presentes nos conteúdos de Ciências Biológicas e da Saúde, como bioquímica, embriologia e genética.

O estudante também deve levar em conta que a sua atuação profissional dependerá do trato com outras pessoas. Seja com pacientes, equipe do hospital ou colegas de trabalho, a boa postura do nutricionista tem relação com o seu modo de comportamento e com a relação interpessoal.

Por isso, características como paciência, empatia e humildade são essenciais: paciência para ouvir o que o paciente tem a dizer e, claro, para o profissional explicar como deve ser feito o tratamento ou a dieta solicitada; empatia para tomar atitudes baseando-se em como o próximo pode se sentir; e humildade para pautar o tratamento interpessoal.

O estudante de Nutrição também deve ter boas habilidades de comunicação e a capacidade de motivar outras pessoas conta como um diferencial. Como grande parte do trabalho do profissional da área tem relação ao alcance de objetivos traçados — como uma dieta ou a mudança de hábitos alimentares —, o nutricionista deve saber como encorajar os seus pacientes.

Por que fazer esse curso?

Como visto, o curso de Nutrição fornece uma formação multidisciplinar e disciplinas dinâmicas. Ao final da graduação, o profissional está apto para atuar em diferentes estabelecimentos ou, também, com diferentes objetivos.

Por isso, a primeira razão para fazer esse curso são as inúmeras possibilidades que o nutricionista encontra no mercado de trabalho. Em um mundo cada vez mais competitivo, é importante refletir, além dos gostos pessoais, sobre as probabilidades de executar um trabalho que gere uma boa renda. Como o nutricionista pode atuar de forma autônoma, em equipes de hospitais ou laboratórios, o profissional tem diversas oportunidades de carreira ao final do curso.

Estudar Nutrição também é uma missão nobre. A alimentação é essencial para todos os seres humanos e toda uma cultura alimentar resulta em mais ou menos saúde para a população. Quem pode auxiliar nessa tarefa para gerar mais bem-estar às pessoas é, justamente, o nutricionista.

Com formação científica baseada na nutrição humana, educação alimentar e saúde coletiva, o nutricionista tem a capacidade de propagar um estilo de vida mais saudável entre as pessoas. Se você deseja fazer a diferença na sociedade em que vive, o curso de Nutrição pode ser ideal: trabalhe com o que gosta e ainda seja pago por isso.

Em quais áreas o aluno pode se especializar?

O aluno que deseja contar com ainda mais conhecimento em determinada área pode aprofundar os seus estudos a partir da realização de cursos, simpósios e pós-graduações. Existem diversas áreas, mas 4 delas estão em alta. Continue a leitura e conheça quais são!

Nutrição esportiva

A nutrição combinada com a prática regular de atividades físicas é uma ótima receita para promoção da saúde. Para quem deseja perder peso, aumentar a quantidade de músculos ou, simplesmente, levar uma rotina com mais saúde, a Nutrição esportiva é a área que fornece as receitas ideais.

O foco da Nutrição esportiva é combinar alimentos de maneira inteligente para que o esportista tenha uma excelente performance durante os treinos. A grande questão, no entanto, é avaliar a demanda energética para cada atividade esportiva para, então, fornecer a melhor dieta.

Um nadador, por exemplo, requer energia rápida e deve atuar com leveza e agilidade para garantir os lugares mais altos no pódio. Já um halterofilista precisa de muita força. Por isso, o nutricionista esportivo avalia as situações específicas para, então, propor o melhor plano alimentar.

A Nutrição esportiva ganha cada vez mais mercado e, no país do futebol, um bom nutricionista esportivo pode fazer uma carreira excelente atuando, também, na equipe de saúde de grandes clubes.

Nutrição infantil

O nutricionista infantil tem papel essencial no desenvolvimento da criança, principalmente se os pais ou responsáveis lidam cotidianamente com os perigos da desnutrição ou da obesidade infantil. A existência de restrições alimentares também pode causar alguns sustos à família, como é o caso de alergias alimentares, doença celíaca (que impede a ingestão de glúten), diabetes e distúrbios do apetite.

Quem pode ser solicitado para auxiliar o desenvolvimento infantil é o nutricionista, a partir da composição de dietas completas para cada caso. A partir da análise do estágio de desenvolvimento em que o pequeno paciente se encontra, o profissional consegue buscar as melhores soluções.

Para atuar e fazer uma especialização no ramo, o nutricionista precisa gostar de crianças e ser paciente. Sensibilidade também é um requisito essencial, principalmente em casos mais complicados.

Nutrição hospitalar

O nutricionista é um profissional essencial para a boa recuperação de pacientes internados, independentemente do trauma ocorrido. Seja uma ocasião pós-cirúrgica, uma internação para tratamento de uma doença passageira ou em casos de doenças mais severas, a alimentação ideal é sinônimo de energia e força para quem precisa superar um obstáculo de saúde.

Na Nutrição hospitalar, o profissional pode se especializar em buscar e propor as dietas mais adequadas para cada tipo de paciente. Além disso, em conjunto com médicos e outros profissionais da saúde, o nutricionista hospitalar é responsável por monitorar e avaliar a evolução alimentar dos pacientes — inclusive, no caso de alimentação intravenosa, oferecida para quem não consegue mastigar e engolir a comida.

A especialização em Nutrição hospitalar fornece mais embasamento ao profissional que deseja seguir essa área e garante uma boa colocação ao nutricionista atuante.

Nutrição aplicada à genética

Campo em crescimento e bastante interessante, a Nutrição aplicada à genética estuda a influência da alimentação na genética humana. Ou seja, os profissionais avaliam se e como dietas e nutrientes podem ter relação com a biologia celular e molecular do corpo humano.

Disciplina voltada ao campo laboratorial, a Nutrição aplicada à genética é sinônimo de um trabalho mais solitário, sem o contato constante com pacientes no dia a dia. Ela é bastante indicada para quem se interessa por pesquisas e pela elaboração de artigos científicos.

Como é o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho para quem realiza o curso de nutrição é excelente. Seja pelas diferentes áreas de atuação ou pela possibilidade de trabalho em diversos estabelecimentos, o nutricionista recém-formado garante uma boa colocação de forma rápida — principalmente se a faculdade realizada é de renome.

No mercado trabalho, o nutricionista pode atuar como profissional autônomo, a partir do trabalho de captação de pacientes e, por que não, da inauguração de uma clínica. O profissional também pode integrar a equipe multidisciplinar de um hospital, atuar em clínicas de idosos ou reabilitação de dependência química e, ainda, em academias. Nessa última, o trabalho do nutricionista é feito em conjunto com o educador físico, para a combinação ideal de treino e dieta.

Como já mencionado, o nutricionista também pode fazer parte de equipes esportivas de futebol, natação ou de qualquer outro esporte. Como os esportistas requerem acompanhamento constante de um nutricionista, o profissional pode conseguir um bom cargo nesse ramo.

Em relação ao salário, a média salarial do nutricionista é de R$2.866,80 a partir de uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Caso você deseje aumentar esse montante, uma especialização no currículo pode surtir um bom efeito.

Com que o nutricionista trabalha?

Além da atuação como autônomo, do trabalho em uma clínica ou como integrante de uma equipe de saúde, o nutricionista também pode trabalhar com instituições sanitárias. Esse tipo de trabalho foge da atuação tradicional do profissional, considerando que a prescrição alimentar não é utilizada.

O objetivo da vigilância sanitária é avaliar estabelecimentos que produzem e comercializam alimentos e verificar se as normas de limpeza e saúde estão sendo usadas. Independentemente do tamanho do comércio alimentar, a verificação da aplicação das normas sanitárias é ponto essencial para a promoção da saúde.

O nutricionista também pode trabalhar com a docência, propagando ensinamentos para outros alunos. Atuar como professor de graduação e pós-graduação é uma ocupação nobre e significa a continuidade do curso de Nutrição e da própria profissão.

Estudantes que se interessam pela área de pesquisa, elaboração de artigos e que têm boas habilidades de comunicação podem se tornar bons professores no futuro. Se você tem facilidade de explicar diferentes assuntos e, geralmente, é o amigo que é procurado pelos colegas para explicar a disciplina de atividades avaliativas, considere o trabalho como professor.

Qual é a diferença entre nutricionista e nutrólogo?

Embora os nomes sejam bastante similares, nutricionista e nutrólogo são duas profissões diferentes. Ao passo que o nutricionista faz um curso de Nutrição, o nutrólogo é formado em Medicina e conta com uma especialização em Nutrologia médica.

A principal função do nutrólogo é diagnosticar problemas de saúde que estão relacionados aos hábitos alimentares do paciente. Se uma pessoa passa a perder muito peso em alta velocidade e deseja descobrir a razão para tal situação, ela deve se consultar com um nutrólogo, e não com um nutricionista.

O nutrólogo reúne o conhecimento e a formação requisitada para buscar as causas do problema de seu paciente, como cardiologia, oncologia e outras disciplinas. O profissional da Nutrologia também tem o poder de medicar o seu paciente em caso de necessidade — o que já não ocorre com o nutricionista.

Vale ressaltar, no entanto, que ambas as profissões se complementam. Enquanto o nutrólogo atua com enfoque em realizar um diagnóstico, o nutricionista é responsável por elaborar uma dieta com valores nutricionais necessários para a recuperação de uma doença ou devido a uma restrição alimentar.

Trabalhando em conjunto, nutricionista e nutrólogo podem realizar grandes avanços com os seus pacientes. Quem tem interesse pela área da Nutrição hospitalar pode contar com os essenciais nutrólogos como colegas de profissão.

Quais tipos de empresas contratam nutricionistas?

Os nutricionistas também podem trabalhar em empresas privadas, seja na supervisão da produção de alimentos para os empregados, seja como peça-chave para o desenvolvimento de novos produtos no mercado. Continue a leitura e veja quais são os tipos de empresas que contratam profissionais da Nutrição.

Empresas do ramo alimentício

Empresas que produzem alimentos e bebidas requerem a presença de uma equipe voltada à área de Nutrição, justamente para auxiliar a produção dos bens comestíveis. Além de atuar na criação de novos produtos, o nutricionista tem papel importante no desenvolvimento e melhoria dos comes e bebes já produzidos.

O nutricionista também é essencial para a conferência da tabela nutricional dos produtos: qualquer alimento ou bebida deve indicar todos os seus componentes, em números e percentuais. Por isso, empresas do ramo alimentício requerem o trabalho de nutricionistas de qualidade.

Empresas de marketing

Sim, você leu corretamente. Empresas de marketing também são exemplos de empreendimentos que podem contratar nutricionistas para o seu quadro de colaboradores. Isso porque caso a agência de marketing produza diversos conteúdos voltados ao ramo alimentício, um nutricionista pode ser a chave importante para a elaboração de bons anúncios.

Além da contribuição na elaboração de materiais mais técnicos, o nutricionista pode coordenar pesquisas, promover testes de receitas e realizar visitas em estabelecimentos médicos ou da saúde, quando necessário. O trabalho em uma empresa de marketing pode ser ideal para pessoas mais comunicativas e que gostam de uma rotina variada.

Grandes empresas

Geralmente, grandes empresas contam com um refeitório no estabelecimento comercial para oferecimento das refeições aos seus colaboradores. Para uma produção de refeições em massa, a legislação brasileira exige a presença de um nutricionista — garantindo, assim, a produção de refeições balanceadas e de qualidade. O objetivo do profissional da Nutrição é, justamente, oferecer bons alimentos aos colaboradores da empresa.

Para empreendimentos que oferecem 500 refeições por dia, a presença do nutricionista deve ser de forma integral. Abaixo desse número, a jornada semanal do profissional pode ser reduzida. Já estabelecimentos como hospitais, Unidades de Pronto Atendimento, clínicas de saúde e instituições destinadas à permanência de idosos, o nutricionista precisa estar presente de modo integral a partir de 300 refeições oferecidas por dia.

Como se destacar no mercado de trabalho?

É fato que o mercado de trabalho proporciona ótimas vagas para profissionais formados no curso de Nutrição: como já visto em nosso post, o nutricionista pode se aventurar nas mais diferentes áreas de atuação e em estabelecimentos diversos.

Ainda assim, há competição no mercado de trabalho e o profissional inteligente sabe que deve se destacar para conseguir a vaga que considera ideal. Por isso, como requisito básico, o estudante deve buscar uma boa faculdade para fazer o seu curso: uma instituição de renome garante destaque no currículo e demonstra ao futuro empregador ou ao paciente em potencial a capacidade do profissional recém-formado.

Para se destacar no mercado de trabalho, o nutricionista também deve saber como trabalhar em equipe. Como quase todos os meios de atuação do nutricionista significam o trabalho multidisciplinar, ser um bom colega de profissão é essencial. Quem realiza essa tarefa com maestria garante um ambiente mais leve no dia a dia de trabalho e conquista o respeito de seus superiores.

Por fim, a área da Nutrição é um dos cursos na área da saúde e, por isso, a interação com pacientes e seus familiares ocorre de forma frequente. Para ser um nutricionista de qualidade, o profissional deve contar com empatia e pautar a sua relação interpessoal com base no respeito e na paciência.

Como é o curso de Nutrição da UCEFF?

O curso de Nutrição da UCEFF é completo e oferece ao aluno toda a grade curricular necessária para uma boa atuação profissional. Com duração de 4 anos, o diferencial do curso da UCEFF é a sua modalidade semipresencial híbrida: mesclando aulas online e encontros presenciais, esse sistema garante qualidade e possibilidade de um melhor gerenciamento da rotina.

O curso é organizado em semestres, cada um composto por 5 disciplinas. Entre elas, 3 exigem 3 encontros semanais e 2 matérias requerem 1 encontro por semana. Já atividades avaliativas e aulas de laboratório são feitas de forma presencial.

A graduação da UCEFF também fornece possibilidade de pagamento da mensalidade por meio do Fies e CREFÁCIL, além de contar com o desconto família. Para ingressar no curso, é necessário fazer uma prova — o chamado vestibular — e, em caso de aprovação, realizar a matrícula.

Se você deseja fazer o curso de Nutrição, pesquise todas as informações sobre ele e veja se as matérias estudadas são ideais para o seu perfil. Conte com o nosso material completo, faça uma escolha consciente e comece a se organizar para estudar para o vestibular!

Este post foi útil? Se você ficou com alguma dúvida a respeito do curso de Nutrição, entre em contato conosco. Ficaremos felizes em auxiliar!

Facebook Comments