Qual é a diferença entre as engenharias? Leia e entenda

Qual é a diferença entre as engenharias? Leia e entenda
12 minutos para ler

Para quem está escolhendo a faculdade, estudar engenharia pode ser uma excelente alternativa. Inclusive, essa é uma das decisões mais comuns para quem gosta de exatas. Mas você já conhece as diferenças entre as engenharias?

Existem vários cursos superiores que formam engenheiros, porém, apesar do nome similar, muitas vezes a área de atuação se difere bastante entre eles. O que eles mais têm em comum é a formação básica em disciplinas como Cálculo e Estatística e a duração, que é, em média, de 5 anos.

Se você vai prestar vestibular, não pode perder tempo na indecisão com o curso. Por isso, fizemos este post! Você vai descobrir 12 opções de curso superior, entender melhor a diferença entre as engenharias e receber algumas dicas sobre como avaliar as opções de forma adequada. Boa leitura!

1. Engenharia Civil

Essa é, possivelmente, a engenharia mais conhecida e mais importante para o desenvolvimento do Brasil. O engenheiro civil é responsável por projetar obras, como edifícios e pontes, além de gerenciar a execução dos trabalhos. Para isso, ele precisa avaliar as condições do local de construção, selecionar os materiais mais indicados, atentar para questões como o custo e a segurança do projeto, entre outras tarefas.

Além de calcular estruturas e construir prédios, o graduado também projeta e constrói estradas, estações de tratamento de água e esgoto, vias urbanas, hidrelétricas, barragens e canais.

A modalidade compreende seis grandes áreas do conhecimento:

  • materiais e construção civil;
  • transporte;
  • estruturas;
  • geotecnia;
  • hidráulica e recursos hídricos;
  • e saneamento e meio ambiente.

Algumas matérias que o engenheiro civil costuma estudar na faculdade são disciplinas sobre estruturas de materiais, como concreto armado, metais e madeira, e também sobre topografia.

2. Engenharia Mecânica

A palavra-chave aqui é curiosidade. É indispensável o interesse em saber como e por que os mecanismos funcionam. O engenheiro mecânico trabalha no desenvolvimento, construção e manutenção de máquinas. Por exemplo, sempre haverá engenheiros mecânicos envolvidos na criação de um novo carro ou moto — ou de um ar-condicionado, de uma geladeira etc.

Na faculdade, o futuro engenheiro mecânico tem matérias como mecânica dos fluidos, vibrações mecânicas e sistemas fluidotérmicos.

3. Engenharia Elétrica

Quem faz esse curso é conhecido como engenheiro elétrico ou engenheiro eletricista. Como você deve imaginar, ele trabalha com tudo o que envolve energia elétrica. Ou seja, desde empresas de geração de abastecimento, siderúrgicas — até no desenvolvimento de projetos e equipamentos para a geração da energia, inclusive no seu uso dentro de circuitos e componentes.

Para se tornar um engenheiro elétrico, você estudará matérias como circuitos integrados, eficiência energética e instrumentação eletrônica.

4. Engenharia Química

O curso de química você, provavelmente, já conhece. Em engenharia química, o aluno aprende a produzir e a controlar reações, mas com um foco bem específico: o uso em processos industriais. É o engenheiro químico quem atua na transformação de produtos derivados do petróleo e na pigmentação de produtos têxteis (tecidos), por exemplo.

Devido à abrangência dessa graduação, o profissional é capaz de operar em qualquer processo industrial — seja na pesquisa e desenvolvimento ou nas áreas comercial e administrativa.

Se quiser trabalhar com a engenharia química, algumas das matérias que você vai aprender são bioquímica industrial, corrosão e proteção de materiais e físico-química.

5. Engenharia Ambiental

O curso é destinado à formação de pessoas que contribuem efetivamente para a melhoria da qualidade de vida da população, por meio da avaliação das alterações ambientais causadas pelo homem. O profissional estuda a duração, a magnitude, a natureza e a reversibilidade dessas atividades e utiliza seus conhecimentos para analisar, prevenir e controlar a poluição do ar, da água e do solo — além da recuperação dos sistemas ambientais.

engenheiro ambiental também pode atuar no tratamento de esgotos, resíduos e efluentes industriais e na gestão dos recursos hídricos.

Ao se formar, existem muitas opções para o profissional. É possível trabalhar em:

  • órgãos ambientais federais, estaduais e municipais;
  • companhias e órgãos ligados ao saneamento;
  • empresas de consultoria (realizando relatórios de impacto ambiental, concepção e demais projetos);
  • setores de meio ambiente de indústrias;
  • organizações não governamentais (ONGs);
  • laboratórios e institutos de pesquisa etc.

Algumas das disciplinas estudadas são: biologia e geologia, impacto e análise ambiental, recuperação de ambientes degradados e controle da poluição ambiental.

6. Engenharia de Produção

O engenheiro de produção é indispensável em qualquer empresa, sejam elas industriais (como siderúrgicas, eletroeletrônicas, automotivas, químicas ou de mineração) ou de serviços (como bancos, consultorias, hospitais, varejistas ou companhias atacadistas). O profissional é capaz de projetar, implantar, melhorar e manter os sistemas produtivos.

O curso qualifica o acadêmico para atuar e gerir projetos mediante planejamento, controle e redução de desperdícios. Ele também desenvolve habilidades de organização e atua no controle e no aumento da qualidade, eficiência, flexibilidade e capacidade de inovação de todos os processos.

O aluno de engenharia de produção deve estudar matérias específicas como planejamento e controle da produção, gestão de projetos e sistemas de gestão da qualidade.

Vale lembrar que, além das disciplinas específicas que comentamos para cada uma dessas engenharias, elas também compartilham um núcleo de matérias em comum. Portanto, em qualquer uma delas você terá que estudar cálculo, física e química básicas — e, possivelmente, noções de administração.

7. Engenharia Agrícola

Não é difícil imaginar que o engenheiro agrícola trabalha com processos relacionados ao cultivo de plantas e criação de animais. Mas o que ele faz, exatamente?

Bem, o foco desse profissional é encontrar maneiras de obter os melhores resultados na produção agropecuária. Entre outras coisas, é ele quem define o melhor adubo, a melhor época para plantar, os vegetais mais adequados a determinado tipo de solo, os equipamentos necessários para manter a lavoura e assim por diante.

Ficou interessado? Então, saiba que o curso de engenharia agrícola envolve matérias como irrigação e drenagem, mecanização agrícola e pós-colheita.

8. Engenharia de Alimentos

Esse é o curso para quem quer trabalhar na indústria de alimentos. O engenheiro dessa área é o responsável por planejar e executar as técnicas adequadas para a produção, a conservação, o armazenamento e o transporte de todo tipo de alimento industrializado.

É um trabalho que afeta diretamente a vida das pessoas. O engenheiro de alimentos sabe como fazer aquele bolo comprado no supermercado ficar com gosto de morango, ou como garantir que o macarrão instantâneo dure meses na embalagem sem estragar.

Alguns exemplos de matérias que o engenheiro de alimentos vai estudar na faculdade são princípios básicos de nutrição, microbiologia dos alimentos, óleos e gorduras e produção de álcool e bebidas fermentadas.

9. Engenharia de Computação

O engenheiro de computação pode seguir dois caminhos diferentes.

Em um deles, ele vai trabalhar, principalmente, com o hardware — ou seja, com o desenvolvimento e construção dos computadores e gadgets, como smartphones e tablets.

No outro caminho, esse profissional vai atuar mais com os softwares — os programas, como processadores de texto, editores de imagem e até jogos. E, claro, também pode se dedicar a desenvolver os sistemas operacionais, que integram hardware e software.

Durante a faculdade, o engenheiro de computação estuda matérias como redes de computadores, bancos de dados e inteligência artificial.

10. Engenharia de Petróleo e Gás

Considerando a importância do petróleo e do gás para as atividades da nossa sociedade, é claro que temos uma engenharia para trabalhar especificamente com esses produtos. O engenheiro dessa área é especializado em localizar e explorar jazidas, além de dominar técnicas para transformá-los em produtos comercializáveis.

Foram esses profissionais que ajudaram a descobrir a existência de petróleo no Pré-Sal brasileiro. Também são eles que atuam na transformação do petróleo bruto em gasolina, diesel e plástico, por exemplo.

Para se tornar um engenheiro de petróleo e gás, você precisará estudar matérias como geologia, propriedades de fluidos de petróleo, processos de separação e refino e engenharia de poços.

11. Engenharia de Telecomunicações

O termo “telecomunicações” se refere a todo tipo de comunicação remota — por exemplo, pelo celular —, e o engenheiro de telecomunicações é quem cria, planeja e aperfeiçoa esses sistemas, além de construir equipamentos. É graças a ele, por exemplo, que avançamos do sinal de TV analógico para o digital, ou da rede de dados 3G para 4G.

Esse engenheiro encontra trabalho em empresas concessionárias e em órgão reguladores de serviços de telecomunicações, além de ser demandado na indústria eletroeletrônica e em empresas que trabalham com pesquisa científica e tecnológica.

O que você acha de estudar engenharia de telecomunicações? Podemos adiantar que o curso exige matérias como propagação de ondas eletromagnéticas e antenas, transmissão de sinais e dispositivos fotônicos.

12. Engenharia Aeronáutica

Conhecido como um dos cursos superiores mais difíceis, a engenharia aeronáutica exige grande responsabilidade do aluno. É o profissional dessa área que projeta, constrói e faz a manutenção de aviões, helicópteros e até mesmo de foguetes e satélites espaciais.

Fora da indústria, é possível trabalhar em obras e serviços relacionados à infraestrutura aeronáutica. Por exemplo, atuar na construção de aeroportos, no planejamento de linhas e na gestão e coordenação do tráfego aéreo.

Para trabalhar com a engenharia aeronáutica, algumas das matérias que você vai aprender são dinâmica aplicada às máquinas, dinâmica de voo e aeroacústica.

Dicas para escolher o curso de engenharia

Decidir qual curso superior fazer é, essencialmente, decidir qual será sua profissão no futuro. Por isso, é importante pensar aonde você quer chegar, na sua realização pessoal e profissional e avaliar os prós e contras das opções disponíveis.

Escolher uma carreira não é uma tarefa nada fácil, ainda mais se você optar por cursar engenharia — são, pelo menos, 34 modalidades de curso superior! Dessa forma, é muito comum ficar na dúvida.

Mas é preciso ter em mente que só você pode tomar essa decisão! Por isso, preparamos algumas dicas para ajudá-lo nesse momento, confira!

Pesquise sobre o mercado de trabalho

Apresentamos, neste artigo, algumas possibilidades de atuação dos engenheiros. Porém, é importante pesquisar o momento e a demanda do mercado de trabalho. Conforme o mercado oscila, uma área que estava em ascensão pode entrar em declínio — e vice-versa.

Por isso, antes de tomar a decisão, você deve fazer uma pesquisa sobre a atual situação do mercado, as exigências e necessidades de especialização, as médias salariais e as possibilidades de evoluir na carreira.

Converse com profissionais e estudantes da área

Uma das melhores maneiras de descobrir se você realmente se identifica com a área, como são as possibilidades de trabalho e como está o mercado atual é conversando com quem entende do assunto.

Visite faculdades e empresas, vá a palestras e procure descobrir as vantagens e os desafios de cada curso. Entenda como funcionam os estágios, as disciplinas mais complicadas, qual tipo de empresa está contratando mais, entre outras informações que achar relevantes.

O bom é que, conhecendo essas pessoas, você se mostra interessado e amplia sua rede de contatos — o que pode abrir algumas portas no futuro.

Analise a grade curricular

Apesar de todas as engenharias terem um ciclo básico de disciplinas em comum, a grade curricular das matérias específicas varia bastante. Observe que a grade também pode mudar entre as instituições — pois cada uma tem seu foco e especialidade. Portanto, é importante pesquisar e comparar as ementas dos cursos.

Essa análise também dá uma noção sobre as dificuldades que você vai encontrar durante a graduação. Por exemplo, se você não gosta de biologia, mas optou por cursar engenharia ambiental, terá que transpor alguns obstáculos em determinados semestres.

Analise suas habilidades e faça o que você realmente gosta

Para ser bem-sucedido — pessoal e profissionalmente —, é preciso estar satisfeito e fazer o que gosta. Por isso, é fundamental se debruçar sobre os seus gostos, preferências e habilidades.

Na graduação, você vai desenvolver competências e aprimorar aptidões que serão úteis no exercício da profissão. Porém, possuir algumas habilidades ligadas à área é um diferencial durante a faculdade e, também, ao longo da carreira.

Lembre-se de que há uma relação direta entre obter prazer e alcançar o sucesso na trajetória profissional. Os cursos de engenharia costumam ser mais difíceis e exigem muita dedicação. Portanto, se você estiver preparado, as chances de se frustrar são menores. Seja sempre honesto consigo e pense qual será a carreira que vai proporcionar mais motivação para o dia a dia e vontade de aprender.

Agora que você já sabe as diferenças entre as engenharias, está pronto para escolher uma delas? Se ainda estiver indeciso, pense com calma, pesquise bastante e não deixe de colocar as nossas dicas em prática!

Assim, você corre menos risco de agir por impulso e tomar uma decisão precipitada. Não deixe de escolher, também, uma faculdade que seja reconhecida, com professores especializados e didáticos e infraestrutura adequada.

Caso você já tenha se decidido, entre em contato conosco! Além de diversas opções — como civil, mecânica e elétrica —, você conta com vários programas de apoio financeiro, como bolsas e financiamentos.

Facebook Comments
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Share This