A escolha de uma profissão não costuma ser uma tarefa fácil. Você deve analisar fatores que vão da aptidão ao desejo de um futuro exitoso, sem deixar de lado questões como a faculdade que oferece o curso. Uma carreira de sucesso, no entanto, pode ser pensada a partir de um ponto decisivo: fazer o que gosta.

Entender a importância de escolher uma carreira que lhe apetece pode fazer toda a diferença no futuro, quando você estiver no auge profissional e maduro o suficiente para olhar para trás e analisar suas escolhas com distanciamento. Então, aquela pergunta “será que eu tomei a decisão certa?” encontrará resposta fácil.

Escolher uma profissão, porém, não é simplesmente optar por um hobby. Para tanto, você precisa analisar uma série de fatores. A decisão deve ser bem fundamentada e não pode ser impulsiva. Você realmente gosta da área ou apenas se sente bem realizando determinada atividade?

Essas dúvidas devem ser resolvidas antes de marcar a opção do curso nos formulários da faculdade.

Para ajudá-lo a escolher uma carreira de sucesso, preparamos este guia para mostrar o que você precisa analisar antes de eleger sua profissão e como visualizar os fatores que devem ser fundamentais no processo.

Preparado? Então vamos lá!

Relação entre a satisfação e a carreira de sucesso

É muito comum ouvir as pessoas dizerem que trabalho não tem nada a ver com prazer. Essa postura pode ter sido verdade em algum momento do século passado, mas hoje as coisas funcionam de forma diferente. Há inúmeras histórias de jovens bem-sucedidos que fazem o que realmente gostam, e encontraram o bem-estar e a satisfação na carreira que escolheram.

Essa relação entre a satisfação e a carreira de sucesso tem como ponto de partida o momento em que você define sua profissão. Isso ficará claro ao longo das aulas, dos trabalhos acadêmicos, nas pesquisas e nas relações com os professores.

Depois, quando começa a encarar o mercado de trabalho, os desafios serão grandes, mas o fato de você estar formado na área em que navega com prazer vai proporcionar, naturalmente, oportunidades mais interessantes. Isso acontece porque quando há satisfação, as probabilidades de engajamento, dedicação e desenvolvimento crescem.

Para tomar essa decisão, basta fazer pequenas perguntas.

  • Como você se vê daqui a cinco anos?

  • Qual seria a sua rotina de trabalho?

  • Você se imagina na carreira ideal?

Essas respostas devem servir de base para responder a outras — no futuro — quando você for medir o grau de satisfação da sua carreira: você está cumprindo seus objetivos traçados na faculdade? Você se sente bem na empresa? Quais são suas aspirações salariais e profissionais? Eles são viáveis no seu contexto?

Facilidade ao se capacitar e estudar sobre o assunto

Imagine este cenário: um jovem com habilidades para cálculos, que gosta de solucionar problemas matemáticos e tem facilidade em aprender fórmulas, é levado a fazer cursos de humanas. Apesar de alguns terem relações com as exatas, não é esse o foco.

Ao optar por um curso em que há prazer nos estudos, as chances de você se especializar são maiores. Isso também é refletido em todas as fases da faculdade: participação nas aulas, preparação de trabalhos, pesquisas, procura por estágios e networking.

Quando você está envolvido com algo que lhe dá satisfação, tudo fica mais natural. Os problemas que se apresentam são mais prazerosos de serem resolvidos, mesmo quando as dificuldades são imensas.

Isso não acontece numa área que você não gosta nem tem habilidades. O estudo será uma tortura e seu empenho não ficará à altura das necessidades. Isso tudo refletirá nas notas e avaliações.

Agora, imagine aquele jovem que fez um curso que não gostava e se formou. Será que ele vai fazer alguma pós? Vai pensar em estudar para um mestrado? Ou se inscrever em cursos de atualização e treinamento? Ao optar por uma carreira que lhe agrada, você aumenta as chances de se capacitar para o mercado.

Percebe como as coisas estão interligadas?

Oportunidade de trabalhar com seu talento

A frustração não é algo raro nos profissionais de todos os campos do conhecimento. Isso se deve, principalmente, à escolha equivocada do curso. Muitas vezes, o aluno não tem claro o que quer e só descobre tardiamente a profissão que gostaria de seguir. Em alguns casos, ele tem coragem de parar e recomeçar; em outros, a pessoa continua presa à escolha inicial, gerando mais frustração e decepções.

Por isso, a tomada de decisão é muito importante — um processo que deve ser analisado com calma e com todas as variáveis possíveis. É assim que uma carreira de sucesso se constrói e se solidifica.

Ter a oportunidade de trabalhar com o seu talento é das maiores satisfações que uma pessoa pode ter. E isso se reflete naturalmente na relação com seus colegas, chefes, subordinados, clientes, parceiros e fornecedores.

Satisfação durante a rotina de trabalho

Você já deve ter ouvido alguém reclamar, em um domingo à noite, de que tem que ir trabalhar na segunda-feira. Ou aquele que torce para chegar ao fim do dia e poder ir para casa. Sem contar a pessoa que faz as coisas rapidamente, sem interesse, apenas para se ver livre das obrigações.

A rotina do trabalho é algo que pode incomodar quem faz o que não gosta. Afinal, se você se sente obrigado a se levantar todo dia para ir a um emprego para o qual não se preparou adequadamente e fazer aquilo que não tem interesse, como encontrar satisfação?

Quando alguém opta por estudar aquilo que gosta e segue a carreira que mais lhe apetece, as chances são mínimas de tal cenário acontecer. Pelo contrário, a rotina pode ser massacrante, mas ela não impede o prazer nem o envolvimento.

O profissional que faz o que gosta sempre encontra, no dia a dia do emprego, algum canal para que a rotina não o atrapalhe ou incomode. Ao fim do dia, o aborrecimento é apenas momentâneo.

Atualização sobre o mercado

Atualização constante é praticamente uma obrigação para todos os profissionais que entram no mercado. Além disso, essa também deve ser uma preocupação para os estudantes desde o primeiro semestre de faculdade — e é aqui que o “fazer o que gosta” entra.

Para se manter atualizado, você deve procurar as melhores disciplinas, buscar os professores para dividir dúvidas e pesquisar conteúdo extra, envolver-se nas atividades relacionadas ao curso etc. Tudo isso conta como uma preparação para o mercado.

Na disputa por uma vaga na empresa em que você sempre desejou trabalhar, conhecer bem a área de atuação, suas competências, o mercado em que ela está inserida, as tendências e possibilidades, contam muito no momento da avaliação. Uma vez lá dentro, o interesse por se aperfeiçoar também será muito valorizado.

Pense na hora de pedir uma promoção ou mesmo um aumento salarial. Estar antenado com o mercado e ter diplomas de cursos e qualificações indicam que você está preparado para enfrentar problemas e entregar soluções, surpreendendo a empresa.

Portanto, você viu como a escolha correta da profissão depende de uma análise do que você gosta de fazer. Sabe aquela história de que você tem que gostar do que faz e não fazer o que gosta?

Fazer o que gosta permite que você estude mais e melhor, pois, além de se interessar pelas disciplinas, é preciso se aperfeiçoar constantemente e desenvolver seu talento e suas habilidades.

Você entendeu a importância de fazer o que gosta? Está pronto para começar sua carreira de sucesso? Então, compartilhe este texto em suas redes sociais e divida suas perspectivas com os amigos!

Facebook Comments