Antes mesmo de finalizar o Ensino Médio, muitos jovens decidem que querem ser engenheiros, uma vez que a profissão sempre se mantém bem-vista, estável e com bons salários no mercado de trabalho. No entanto, o que boa parte deles desconhece é que a Engenharia é um ramo bem complexo e com várias submodalidades. Uma delas, por exemplo, é a do engenheiro eletricista.

Se você não a conhece a fundo, não tem problema! Neste post, você encontrará vários dados sobre essa carreira e as perspectivas para ela. Afinal de contas, o objetivo aqui é justamente mostrar que as suas opções são inúmeras caso decida seguir essa área. Preparado? Então acompanhe!

O que faz o engenheiro eletricista e onde ele atua?

O engenheiro eletricista é um profissional multitarefas e que têm um peso crucial para que o mundo moderno funcione nos eixos — e não é exagero dizer isso. Isso porque ele é umas das peças-chaves na construção civil, pois assegura que o projeto luminotécnico elaborado pelos arquitetos seja seguido respeitando as demais instalações e especificações da estrutura predial.

Dessa maneira, ele garante a correta e segura utilização da energia elétrica em imóveis residenciais, estabelecimentos, centros comerciais e demais edificações realizadas nas cidades. Além disso, atua ativamente nas indústrias de diversos segmentos (como a metalúrgica, a de produção têxtil, a automotiva etc.).

Nelas, o engenheiro eletricista desenvolve as máquinas elétricas indispensáveis para a otimização do trabalho interno de confecção de peças. Já nas centrais de telecomunicações, por outro lado, o dia a dia dele envolve a concepção de novos projetos de sistemas, a montagem de estações e a ampliação da cobertura das redes.

Como se isso não fosse o bastante, o engenheiro também está diretamente envolvido com os processos de captação, geração e distribuição de energia das empresas do setor elétrico que atendem aos milhares de municípios em todo o país. 

Isso sem falar no foco dado ao estudo e à utilização de energias renováveis como novas fontes de abastecimento. Resumindo: a carreira na Engenharia Elétrica é rica em possibilidades, permitindo que o recém-formado encontre emprego nos mais diversos setores e para as mais diversas atividades.

Qual o perfil desse profissional?

Para ser engenheiro eletricista é preciso ir além da habilidade com fórmulas e problemas envolvendo matemática, física e química. É preciso desenvolver a capacidade de trabalhar de forma metódica e programada, já que você deverá comandar e supervisionar a realização de projetos — em alguns casos, vários simultaneamente — que devem cumprir com prazo, orçamento estimado, equipamento disponível etc.

Outro ponto importante é a facilidade para se comunicar e interagir com pessoas, já que engenheiros costumam trabalhar não só com colegas de profissão (como engenheiros civis ou engenheiros mecânicos), mas também profissionais de outras áreas.

Além disso, o respeito pelas normas é crucial, especialmente aquelas que envolvem a segurança do trabalho. Basta lembrar que você trabalhará com manipulação da energia elétrica continuamente, o que requer cuidados e atenção redobrada.

Qual a média salarial?

O engenheiro eletricista, assim como aqueles que atuam nas demais vertentes das engenharias, tem um piso salarial estabelecido pela Lei 4.950-A/66. Na prática, isso significa que não importa em que local ele atua ou quais funções desempenha, pois deve ser remunerado conforme a norma.

O próprio Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) fiscaliza continuamente o exercício dessa atividade profissional para garantir os direitos da categoria. “Ok, eu entendi. Porém, o que diz a lei quanto aos ganhos mensais?”, você deve estar se perguntando.

Bem, ela estabelece que se o engenheiro eletricista trabalha 30 horas por semana, ele deverá receber 6 salários mínimos vigentes. Caso trabalhe 35, a quantia aumenta para 7,25 salários mínimos vigentes. Por fim, se ele atua por 40 horas semanais, o profissional ganhará 8,5 salários mínimos vigentes. Levando em conta o valor do mínimo em 2019, que é R$ 998,00, é só fazer as contas:

  • piso salarial para 30 horas: R$ 5.988,00;

  • piso salarial para 35 horas: R$ 7.235,50;

  • piso salarial para 40 horas: R$ 8483,00.

Quais as perspectivas para o futuro?

Com a expansão de das redes de comunicação — em especial quando se trata do uso e da cobertura da internet móvel —, os investimentos em automação realizados pelo setor industrial e o movimento global voltado para a utilização de energias renováveis, as perspectivas para o futuro da Engenharia Elétrica se mostram muito positivas. 

Isso porque a demanda do mercado vai aumentar continuamente e as taxas de contratação para profissionais vão acompanhar esse crescimento. O que só comprova que essa carreira é, sem dúvidas, uma excelente escolha para quem deseja um futuro de realizações e estabilidade.

O que é preciso para ser um engenheiro eletricista?

Ao longo dos últimos tópicos, a gente explicou o que é um engenheiro eletricista, onde ele trabalha, qual o perfil dele, quanto ganha e, inclusive, quais são as perspectivas para o futuro dessa área. Ou seja, muita coisa! Agora, chegou a vez de falarmos sobre o que é preciso para se tornar esse profissional.

Para isso, você deve fazer o curso de Engenharia Elétrica que tem duração de cinco anos e tem uma grade curricular que se divide em matérias com foco em equações numéricas (Cálculo, Medidas Elétricas e Estatística) e disciplinas práticas (Circuitos Elétricos, Mecânica dos Sólidos Aplicados e Projetos e Instalações Elétricas).

Além disso, ingressar em uma pós-graduação depois de obter o seu título de bacharel também é importante. Isso porque você tem a oportunidade de ampliar o seu conhecimento técnico e se qualificar para assumir funções de maior projeção nas indústrias, empreiteiras, usinas etc.

Como mostrado, o engenheiro elétrico é um profissional requisitado em segmentos que impactam diretamente a economia do país e ainda conta com ótimas perspectivas para o futuro. Ou seja, com uma sólida formação, você consegue não apenas ingressar rapidamente no mercado, mas, acima de tudo, alcançar visibilidade nacional e trilhar uma carreira de sucesso. Por isso, saiba investir no seu futuro!

Curtiu o post e quer saber mais informações sobre as engenharias? Então, já sabe: assine a nossa newsletter e confira diversos conteúdos sobre o assunto!

 

Facebook Comments