Talvez você já saiba: fazer faculdade é primordial para quem deseja conquistar bons empregos e ter uma vida mais confortável. Contudo, a dificuldade financeira de muitos estudantes faz com que esse objetivo fique esquecido. A saída é contar com as várias formas de pagar a faculdade e as facilidades oferecidas pelas melhores instituições.

A Unidade Central De Educação Faem Faculdade (UCEFF), por exemplo, disponibiliza descontos e financiamentos próprios para ajudar aquele aluno que deseja melhores perspectivas profissionais. Conversamos com Cleonir Paulo Theisen, pós-reitor administrativo da instituição, que nos ajudou a entender melhor as vantagens oferecidas pela faculdade. Quer conhecer? É só seguir na leitura!

Por que fazer uma faculdade?

Como mencionamos, ter um diploma de graduação é uma forma de deixar o perfil profissional mais completo. Os salários tendem a ser mais vantajosos e o candidato adquire vantagem competitiva. 

O cenário no mercado de trabalho tem se apresentado cada vez mais difícil e exigente. Nessa disputa, quem tem uma formação superior costuma ser mais valorizado pelas empresas, tem melhores oportunidades e constrói um bom currículo. Além de todo o conhecimento teórico adquirido, a pessoa passa por experiências pessoais e profissionais enriquecedoras.

“Acredito que fazer um curso superior é muito importante para despertar toda a capacidade de uma pessoa, de modo que ela enxergue além do mundo dela e, dessa forma, consiga se desenvolver bem numa profissão, abrir novos caminhos e se tornar alguém apto a colocar todo esse conhecimento em prática”, conta Cleonir.

Deixar a oportunidade de fazer uma faculdade passar é perder chances de construir um futuro mais tranquilo. Para o pós-reitor administrativo da UCEFF, não ter um curso superior muitas vezes obriga o profissional a aceitar trabalhos mais operacionais ou braçais. “Acredito que uma pessoa tem que ir muito além disso e procurar se desenvolver. Todos temos algo a mais a oferecer. O que a faculdade faz é mostrar como alcançar isso”. 

Quais as 6 formas de pagar a faculdade na UCEFF?

Hoje em dia, os alunos contam com várias possibilidades de entrar na faculdade. O vestibular tradicional, o agendado e o Enem são algumas delas. Além disso, várias instituições fornecem apoio financeiro para que eles possam estudar com tranquilidade. 

“Existem opções de bolsas e financiamentos que viabilizam a graduação. Elas dependem do perfil e da renda, então, quem quer estudar sempre vai encontrar uma oportunidade”, recomenda Cleonir. 

Veja a seguir as principais formas de pagar a faculdade que a UCEFF oferece!

1. Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil é um programa do governo federal para facilitar a entrada dos alunos de baixa renda na faculdade. Como o nome sugere, o auxílio acontece na forma de financiamento. Assim, durante o curso, o estudante arca com uma pequena parte da parcela. Após formado, ele precisa continuar quitando as parcelas.

Para conseguir, é preciso fazer, antes, a prova do Enem e tirar, no mínimo, 450 pontos, além de não ter a redação zerada. A renda familiar tem de ser de até 5 salários mínimos, e isso deve ser comprovado por meio de alguns documentos.

Esse financiamento tem sido bastante moderado pelo governo ultimamente devido à inadimplência de algumas pessoas. “Tivemos uma redução drástica no Fies, que está bastante limitado, burocrático e com poucas vagas. Porém, existem diversas outras opções”, conta Cleonir.

2. Prouni

O Programa Universidade para Todos também é uma facilidade oferecida pelo governo. Da mesma forma que no Fies, é preciso ter feito o Enem, com pontuação mínima de 450 pontos e não ter zerado a redação.

Contudo, ele não é um financiamento, mas sim uma bolsa, que pode ser parcial (50%) ou integral (100%). Isso é mais vantajoso ao estudante, já que, por não ser empréstimo, não precisa quitar juros ou pagar algo a mais. 

Os critérios para inclusão no Prouni, porém, são um pouco mais rigorosos. Por exemplo, a renda familiar deve ser de até 3 salários mínimos. Além disso, é preciso ter cursado o Ensino Médio na rede pública, ou como bolsista integral na rede particular.

O pós-reitor administrativo da UCEFF conta que a análise de perfil é feita pelo Prouni, mas a faculdade aceita muitas vagas. “Quem faz a seleção é o próprio programa, nós fazemos apenas a adesão, mas sempre temos uma boa quantidade de bolsas”.

3. UniEDu

O UniEdu é um programa de bolsas universitárias do Estado de Santa Cantarina, executado pela Secretaria de Educação. Ele ajuda na inclusão de estudantes na graduação e pós-graduação. Para fazer parte, o aluno preenche um cadastro, entrega a documentação exigida e o sistema classifica cada um de acordo com o índice de carência. As bolsas podem variar entre 25% e 100% do valor da mensalidade.

4. Financiamento próprio 

Financiamento particular é o mesmo que o empréstimo bancário. Muitos não sabem, mas alguns bancos oferecem planos específicos para cursar uma graduação. A aceitação tende a ser mais fácil que um Fies e, dependendo da situação, é possível contratar parcelas com juros baixos, que vale a pena pagar.

Cada instituição bancária tem suas próprias regras, que também mudam de acordo com o perfil do cliente. Assim, para mais detalhes, é preciso consultar cada uma.

5. Financiamento da instituição

Cleonir explica que a UCEFF conta um financiamento exclusivo para seus alunos, o CredFácil. “Esse programa, talvez, seja o mais vantajoso para o aluno que não consegue pagar a mensalidade e têm dificuldade em conseguir uma bolsa de estudos”, complementa.

Ele é um financiamento direto com a UCEFF. O aluno paga apenas 50% do valor da mensalidade, enquanto a outra metade é financiada e pode ser quitada após a formatura. O prazo para terminar o pagamento é proporcional à duração do curso. Assim, se durou 4 anos, o aluno terá esse prazo após o curso para terminar.

Para aderir ao programa, é preciso fazer a solicitação pelo site e esperar a UCEFF realizar a análise. “Existe uma renda máxima e uma mínima permitida ao estudante”, explica Cleonir.

Se aprovado, é preciso pagar integralmente apenas as duas primeiras mensalidades. Nas parcelas restantes, já entra o abatimento. Os valores a serem pagos após a graduação não têm taxas ou juros, mas são corrigidos de acordo com o valor atualizado da mensalidade. 

“Isso é equivalente ao IGPM (Índice Geral de Preços do Mercado), uma taxa atrativa e menor que a do Fies”, ressalta o pós-reitor administrativo da UCEFF. 

6. Outros programas, bolsas e descontos

A UCEFF ainda oferece outras facilidades. Assim, nossa dica é procurar o aconselhamento da instituição, já que os programas e descontos variam conforme as particularidades. Por exemplo, o Desconto Pontualidade oferece um abatimento de 10% da mensalidade se o pagamento for realizado até dia 10. Já o Programa Rotas auxilia financeiramente os acadêmicos que residem em local afastado e necessitam de transporte para o deslocamento.

Enfim, como você viu, existem várias formas de pagar a faculdade. Aproveitá-las é dar a você mesmo uma chance de um futuro promissor. “É muito importante não desistir do sonho de ter uma formação, uma profissão. Esse é o melhor investimento que você pode fazer por si mesmo”, recomenda Cleonir.

Ficou com dúvidas ou precisa de orientação para seu caso? Entre em contato, que ajudamos você a escolher a melhor forma de criar as oportunidades que você merece!

Facebook Comments