Carta de recomendação: aprenda a sua utilidade e como fazer a sua

carta de recomendação
6 minutos para ler

A carta de recomendação é um documento que pode fazer toda a diferença no momento de se candidatar a uma vaga de emprego. Ao contar com referências de atuações anteriores ou até mesmo de professores, o aluno tem muito mais chances de se destacar diante dos recrutadores.

A carta funciona como um tipo de comprovação de que a pessoa apresenta soft skills e tem capacidade de atuar profissionalmente em determinada área ou setor. Além disso, o documento ainda pode apresentar as habilidades e competências apresentadas pelo indivíduo em experiências passadas.

Acompanhe a seguir e veja qual a importância e como solicitar a sua carta de recomendação para se candidatar a uma vaga no mercado de trabalho. Confira!

O que é carta de recomendação?

Conquistar uma carta de recomendação é um passo importante para o desenvolvimento na carreira profissional. Trata-se de um documento que o ex-funcionário ou aluno solicita ao sair de uma empresa, estágio, ou de um projeto de pesquisa na faculdade.

Ela comprova que o indivíduo tem uma boa reputação e que é confiável e dedicado nas funções em que atuou. Geralmente, é utilizada como referência para a contratação pelos recrutadores. Com ela, o empregador poderá notar as qualidades e habilidades do candidato, além dos projetos em que teve participação.

Diferentemente da carta de apresentação, que é elaborada e escrita pelo próprio candidato, a carta de recomendação tem o objetivo de destacar os diferenciais do profissional ou aluno, tendo em vista a importância do ensino superior em sua trajetória educativa.

Antes de enviar o documento para sites de emprego ou diretamente para recrutadores, é fundamental que ela seja bem redigida e siga algumas regras a fim de cumprir a sua função. Para que sua carta se torne um diferencial, será preciso priorizar a linguagem formal e ter uma atenção especial à ortografia e gramática. Além disso, será preciso inserir as seguintes informações:

  • dados pessoais do candidato;
  • cargos exercidos anteriormente;
  • período em que trabalhou em cada função;
  • informações sobre o desempenho obtido no ambiente de trabalho;
  • indicação clara e objetiva do portador da carta e demais dados do profissional.

É preciso ter em mente que a carta de recomendação deve sempre exaltar as qualidades e os pontos fortes apresentados pelo aluno. Dessa forma, o autor da carta deve detalhar como foi sua experiência com o candidato, além de suas realizações adquiras no período de atuação do profissional.

Como a carta de recomendação se torna um diferencial no mercado de trabalho?

Geralmente, os responsáveis pelo setor de RH das empresas valorizam mais os candidatos que apresentam competências técnicas e cursos livres no currículo. Assim, a carta se torna um instrumento para se diferenciar e ter mais chances de empregabilidade, principalmente em processos seletivos mais concorridos.

Além dela, é muito importante contar com documentos auxiliares para apresentar ao recrutador, caso ele solicite a comprovação das suas experiências anteriores. Contratos de estágio, comprovantes ou certificados, por exemplo, podem ser anexados para ser entregue aos departamentos de RH das empresas.

A depender de cada processo seletivo, há algumas regras em relação à escolha dos profissionais que devem ser tidos como referência. Geralmente, as melhores referências são expedidas por ex-chefes, supervisores de estágio, professores e orientadores, colegas do mesmo setor de trabalho ou de lideranças de projetos do qual você tenha participado.

Outra dica é utilizar modelos de carta como guia, mas sempre mantendo uma redação personalizada para não passar uma impressão confusa para o empregador. Também é importante solicitá-la com antecedência aos seus colegas ou professores para ter tempo hábil de corrigir qualquer tipo de informação incorreta ou incompleta.

Como pedir uma carta de recomendação?

Se você quiser uma carta de recomendação para conquistar o emprego dos sonhos, saiba que é fundamental manter um bom relacionamento com as pessoas do seu convívio, pois as indicações representam um recurso profissional valioso. Além disso, no momento de solicitar o documento, é importante ter alguns cuidados, até mesmo para deixar a pessoa mais à vontade para escrever a partir de seu ponto de vista.

Por se tratar de uma declaração escrita, é possível que o profissional tenha receio ou não esteja habituado a elaborar esse tipo de documento. Nesses casos, converse com a pessoa para relembrar os momentos e as atividades que foram realizadas a fim de que ela insira todos os detalhes na carta.

Você também pode apresentar alguns modelos para que a pessoa construa um texto conciso, bem-estruturado e que apresente todas as informações relevantes sobre a sua trajetória. De modo geral, a estrutura da carta de recomendação é simples e bastante similar à carta de apresentação. Ela deve conter os seguintes pontos:

  • endereçamento da pessoa a quem será entregue;
  • declaração com a confirmação das competências profissionais, além da indicação do portador da carta, o período e o local de cada atividade citada;
  • saudação e despedida cordial e formal;
  • autenticação do portador da carta, com local, data e assinatura.

A depender de cada cargo ou função a que pretenda se candidatar, é mais eficiente formular uma carta específica para a ocasião. O ideal é que as informações sejam confiáveis, relevantes e bastante claras para que o recrutador não fique com dúvidas no momento de ler o documento.

Mantenha a carta sempre guardada e anexada em um local seguro em casa. Você também pode digitalizá-la e ter sua versão on-line para enviar a sites, recrutadores de RH ou processos seletivos virtuais. Esse documento ainda pode ser requisitado para o ingresso em um curso de graduação, pós-graduação ou para a candidatura em programas de intercâmbio.

Tenha em mente que a carta é tão ou mais importante do que a apresentação do currículo. Ela reforça as informações apresentadas pelo candidato e pode ser a porta de entrada para muitas oportunidades futuras. Por isso, deve ser utilizada como um complemento ao currículo, já que comprova as competências e as experiências apresentadas anteriormente.

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e, com a carta de recomendação em mãos, você terá mais chances de comprovar suas aptidões e qualidades aos empregadores. Cada experiência, atitude, conhecimento ou habilidade agrega pontos no momento da avaliação do seu perfil profissional, portanto priorize a apresentação de uma carta completa e bem-redigida.

Gostou do conteúdo? Aproveite a visita e siga a UCEFF nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades do nosso portal: Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Facebook Comments
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Share This