Existem diversas profissões que estão crescendo, principalmente no Brasil. O engenheiro agrônomo faz parte desse seleto grupo que tem uma enorme importância para o agronegócio e para a produção agrícola do país.

Esse segmento é um dos grandes responsáveis pelo aumento da exportação de produtos agrícolas e da distribuição de empregos em diversos setores. O mercado se encontra em alta e há uma valorização do agronegócio brasileiro no cenário internacional. Em razão disso, várias profissões relacionadas ao setor agrário cresceram, como a engenharia rural, por exemplo.

Neste post vamos mostrar um pouco sobre a atuação do engenheiro agrônomo. Confira!

O que faz um engenheiro agrônomo?

Primeiramente, é importante ter em mente que essa profissão é bastante ampla. O engenheiro agrônomo pode trabalhar em diversos setores, como na área rural, fazendo a gestão da irrigação do solo e realizando colheitas, e na parte administrativa, por exemplo. O profissional dessa área é responsável por fazer o planejamento e supervisão de processos básicos da produção agrícola.

Entre as várias funcionalidades, o engenheiro agrônomo mescla conhecimentos de biologia, física e química com estudos sobre solo e clima para melhorar a produtividade de plantações, rebanhos e produtos agropecuários. Além disso, esse profissional é responsável por aperfeiçoar o desenvolvimento genético de espécies vegetais e estudar enfermidades nesse segmento.

Além de orientar e estudar sobre a qualidade e tratamento do solo, o engenheiro agrônomo coordena técnicas agrícolas. Essas estratégias ajudam no combate às pragas em plantações, aumento do rendimento dos produtos, reflorestamento, melhora do processo de irrigação e drenagem e na elaboração de novos métodos de produção.

Outra função muito importante desses profissionais é ajudar nos estudos responsáveis pela recuperação de solos e terras devastadas por interferências do homem ou naturais, como enchentes, incêndios e diversos tipos de erosão. Na área administrativa, os engenheiros agrônomos podem prestar consultoria em assuntos relacionados ao agronegócio, entre outras funções.

Em quais áreas um engenheiro agrônomo pode atuar?

Como falamos, essa área é muito ampla e oferece diversas possibilidades para um engenheiro agrônomo atuar. Seja no setor privado, setor público, área acadêmica ou trabalhando como autônomo, o profissional encontra um mercado com muitas oportunidades e, na maioria das vezes, com um bom retorno financeiro.

Setor público

Serviço público é um setor que oferece diversas opções para os profissionais dessa área. O agrônomo pode arrumar um trabalho em instituições do governo, como o Ministério da Agricultura, em diversas organizações não governamentais (ONGs), em cooperativas ou em secretarias municipais e estaduais. A área de fiscalização também é uma opção para esses profissionais.

Iniciativa privada

A administração de propriedades rurais é um dos principais contextos da carreira de agrônomo na iniciativa privada. Gerenciar todas as fases da produção vegetal e animal é uma das funções que esse profissional pode exercer em granjas, abatedouros, fazendas, entre outros.

O engenheiro agrônomo também tem outras funcionalidades na iniciativa privada, como auxiliar no combate às pragas, manejar o solo e gerenciar a utilização de fertilizantes. Além disso, ainda pode compartilhar seus conhecimentos para auxiliar no processo de nutrição animal, melhora genética, processamento de produtos agropecuários e administração rural.

No setor privado, o engenheiro agrônomo tem a opção de trabalhar nas indústrias agropecuárias. Nesse segmento, o profissional auxilia nos trabalhos ligados à fabricação, armazenamento e distribuição de produtos, sempre prezando pela qualidade e aumento da produtividade.

Trabalho autônomo

A carreira de agrônomo abre um leque de opções para quem quer trabalhar na iniciativa privada, no setor público, mas também para os profissionais que querem ter um negócio próprio. O trabalho de consultoria é uma das opções mais relevantes nesse segmento. Devido ao baixo número de pessoas realmente especialistas nessa área no Brasil, o consultor se torna um grande ajudante das empresas.

Outras profissões autônomas também são boas opções para quem quer trabalhar nesse setor. Muitos administradores rurais e agricultores podem contratar o agrônomo para serviços como vistorias e laudos de perícia, assistente técnico, assessor em construções rurais ou caso necessitem de receituário de agronomia.

Setor acadêmico

Trabalhar em instituições de ensino superior também é uma opção para diversos engenheiros agrônomos. Obviamente, é preciso realizar novos cursos após a conclusão da graduação nessa área para se capacitar e ficar apto para transmitir seus conhecimentos. O serviço de pesquisador ou professor em universidades públicas ou privadas requer determinadas especializações.

Como está o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho para os engenheiros agrônomos está bastante aquecido e oferecendo salários muito atrativos até para os profissionais que estão começando a carreira. Esse setor sempre foi muito importante para o Brasil, que é um dos maiores produtores e exportadores de produtos agrícolas do mundo, e tem tudo para evoluir cada vez mais.

Com o desenvolvimento de novas tecnologias, o setor de agronegócio tende a aumentar suas produções agrícolas e valorizar ainda mais os profissionais que têm algum tipo de especialização na área. É fundamental que o engenheiro agrônomo esteja sempre atualizado sobre as novidades tecnológicas para se manter bem nesse segmento.

Quais as profissões dessa área?

Assim como grande parte dos cursos, há inúmeras opções de profissões que um engenheiro agrônomo pode ter. Grande parte dos profissionais mais capacitados no mercado trabalham como consultores para indústrias rurais, zootecnista (que auxiliam na produção animal), fitotecnista (que ajuda a aumentar a qualidade da produção agrícola), entre outras profissões.

Qual o perfil de um engenheiro agrônomo?

O engenheiro agrônomo precisa, principalmente, de conhecimentos em biologia, química e física para conseguir acompanhar o ritmo dos cursos. Além disso, pode ser importante ter habilidade com números. Em relação ao perfil pessoal, é fundamental que se tenha boa capacidade de comunicação, senso crítico, racionalidade e uma visão holística de tudo.

O setor de agroindústria no Brasil está em constante crescimento e buscando profissionais cada vez mais capacitados e especializados. O agronegócio brasileiro está em alta e sendo valorizado no cenário internacional. Nesse sentido, é fundamental buscar qualificação em uma instituição de ensino de qualidade, que ajude seus alunos a desenvolver as habilidades necessárias e alcançar as melhores oportunidades.

Além disso, o engenheiro agrônomo é um profissional que tem um leque de opções no mercado de trabalho, seja na iniciativa pública ou privada, e precisa estar atento às novas tecnologias para se manter atualizado sobre esse setor tão importante para o país.

E aí, gostou das nossas dicas? Então continue navegando no site da UCEFF e assine agora mesmo a nossa newsletter.

 

Facebook Comments