Você já ouviu falar em ensino híbrido? É o resultado do melhor da educação a distância (EAD) com o que existe de mais proveitoso no ensino presencial. A união das duas formas criou um modelo de graduação inovador, que promete revolucionar o jeito de aprender nas faculdades.

A metodologia híbrida concilia algumas características da EAD (flexibilidade e acesso remoto) com os benefícios do ensino presencial, como encontros com a turma e com os tutores para criar projetos e resolver problemas.

O objetivo dessa abordagem é proporcionar uma formação mais completa, personalizada e interativa. Dessa forma, é possível preparar profissionais mais capacitados para lidar com os desafios de um mercado exigente e que está sempre mudando.

O ensino híbrido agrega valor ao sistema educacional por se mostrar mais alinhado ao perfil do novo estudante. Confira, a seguir, 7 motivos para você escolher essa alternativa para a sua formação:

1. Maior flexibilidade e autonomia para os estudantes

Nos modelos de ensino híbrido, o aluno pode aprender de acordo com as suas possibilidades, exercendo maior autonomia e liberdade para consumir o conteúdo disponível. O objetivo é garantir aos estudantes mais independência, cultivando uma postura proativa, crítica e engajada durante a sua formação.

Dessa forma, o aluno se torna um membro ativo em sala de aula, contribuindo com conhecimentos variados de maneira colaborativa em relação aos seus colegas.

Esse caráter de autonomia permite que o aprendiz explore os temas abordados de um jeito mais amplo. Isso também facilita a compreensão do professor a respeito das dificuldades de cada um.

2. Participação ativa dos alunos

Outro aspecto interessante desse tipo de aprendizado é a oportunidade de construir o próprio cronograma de aulas, definindo prioridades relativas ao conteúdo que se pretende absorver, o que garante um papel mais ativo aos estudantes.

Nessa abordagem, o professor assume a função de supervisor das pesquisas dos alunos, orientando-os pelos caminhos mais adequados para exploração do conhecimento.

Além disso, toda a teoria aprendida está sempre ligada à vivência prática, levando o aluno a desenvolver as competências comportamentais e técnicas exigidas na profissão escolhida. Junto da carga teórica e prática, o estudante tem acesso a laboratórios funcionais e bem equipados.

O ensino híbrido incentiva os estudantes a se comportarem como agentes da própria educação, e não apenas receptores passivos de conteúdos fragmentados. Com isso, conseguem construir uma visão do todo adquirindo responsabilidades perante as escolhas que fazem.

3. Emprego da sala de aula invertida

Esse é outro benefício inovador desse sistema. O nome já diz tudo, pelo simples fato de ser o oposto da dinâmica tradicional das salas de aula. No sistema de ensino híbrido, os alunos acessam as aulas ao vivo de onde estiverem, absorvem o conteúdo e resolvem os exercícios individualmente.

Depois disso, tiram suas dúvidas para aplicar o conhecimento teórico aprendido presencialmente, sempre com a orientação do tutor e a participação da turma. Trata-se de um processo inverso ao sistema convencional.

Vale dizer que o ambiente virtual encurta o caminho para o aprendizado, mas a presença é obrigatória e as atividades integram um processo de avaliação contínuo. No seu conjunto, essa prática demonstra que o conhecimento não vem pronto e padronizado, mas é o resultado de uma construção personalizada.

4. Personalização e tecnologia na educação

Nos últimos anos, ficou claro o quanto o ensino tradicional tornou-se ultrapassado com o avanço da tecnologia. Os estudantes de hoje têm uma bagagem cultural extremamente ampla e diversificada, o que influencia diretamente na sua forma de aprendizagem.

A absorção de conteúdo é mais difusa, envolvendo variadas maneiras de aprender com o auxílio de ferramentas que, há duas ou três décadas, ninguém imaginaria usar como apoio aos estudos, como as videoconferências.

No livro “Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação”, se discutem, além dos modelos pedagógicos inovadores atuais, as principais formas de integração de tecnologias digitais ao currículo escolar. A finalidade é promover um aprendizado interativo, dinâmico e eficiente.

Alguns aprendem melhor ouvindo, outros, escrevendo ou por meio de esquemas. Esse modelo de ensino entende e respeita as características e necessidades de cada aluno durante seu aprendizado.

5. Construção do conhecimento com mais qualidade

A instituição de ensino é responsável pela distribuição do conteúdo e dos materiais de apoio para as discussões em sala e para o estudo individual dos alunos. Aliado a isso, nesse modelo de ensino, os estudantes tendem a acumular um conhecimento maior, o que resulta em questionamentos mais constantes a respeito do conteúdo apresentado.

Esse comportamento é reflexo das características do ensino híbrido, que oferece autonomia e liberdade ao aprendiz. Com isso, as oportunidades de aprofundamento nas pesquisas que mais interessam a cada um criam um ambiente recheado de qualidade e novas possibilidades, enriquecendo o aprendizado.

6. Maior conexão entre os alunos

Nessa abordagem, as aulas tendem a ser mais participativas, e não expositivas, como no modelo tradicional. Com isso, o relacionamento entre alunos e professores e entre os próprios colegas de turma se torna mais próximo, promovendo uma conexão maior.

Dessa forma, a cooperação e o compartilhamento de informações para solução de problemas é algo muito natural e faz parte desse sistema. Esse caráter de parceria já está dando muito certo, porque contribui com o crescimento das pessoas.

Nesse ambiente, a ideia é cultivar o conhecimento comum, favorecendo a ajuda mútua. O conhecimento de todos, ao ser compartilhado, amplia, enriquece e melhora a qualidade de todo o conteúdo apresentado e distribuído.

7. Melhor aproveitamento do tempo e do conteúdo

Já dissemos que os estudantes fazem o primeiro contato com o conteúdo abordado em sala antes das aulas. Isso acontece em razão dos recursos disponibilizados com antecedência pela instituição.

Sendo assim, as pessoas já se encontram no ambiente virtual com a possibilidade de digerir o conteúdo de maneira mais ágil e direta, o que otimiza o aproveitamento do tempo em sala.

Essa dinâmica evita a sensação de tédio e desestímulo normalmente experimentada em aulas expositivas muito longas e cansativas. Assim, o professor pode explorar variadas modalidades de aprendizado, como fóruns e debates. Isso tudo encoraja discussões e reflexões em torno do assunto abordado no momento, além de incentivar a interação da turma.

Com a participação maciça dos alunos, torna-se mais viável identificar quais são seus maiores questionamentos e dificuldades, o que faz diferença no aproveitamento do conteúdo, refletindo nas provas finais.

É essencial que os administradores das instituições de ensino estejam atualizados em relação aos novos métodos de educação e ensino, para que possam identificar qual é o mais vantajoso para os seus alunos.

O mundo atual já mudou sua face faz algum tempo. Nossas instituições precisam acompanhar essas mudanças para contribuírem mais diretamente com a melhora da nossa sociedade como um todo. O ensino híbrido está aí para demonstrar essa evolução na forma de adquirir conhecimento e utilizá-lo no convívio social.

Você já conhecia as vantagens do ensino híbrido? Entre em contato com a UCEFF e conheça nossos cursos!

Facebook Comments