Quando se fala em organização pessoal, muita gente associa essa ideia a pôr ordem na própria rotina e, com isso, acabar com a procrastinação, otimizar o tempo e estabelecer prioridades. Porém, adotá-la vai muito além disso. Afinal de contas, ela auxilia a estabelecer limites entre a sua vida pessoal e profissional — evitando que uma se sobreponha a outra —, contribui para melhorar a eficiência do seu trabalho e, de quebra, permite que você possa investir na sua formação sem afetar os seus demais afazeres.

Como se tudo isso já não fosse o bastante, a organização pessoal ainda reflete na forma com a qual você lida com as suas finanças, ajudando-o a economizar e a utilizar de forma consciente o seu orçamento. E é justamente para falarmos sobre como essa mudança é possível que preparamos este post especial. Acompanhe!

Como a organização pessoal pode ajudar a vida financeira

Metodizar o seu cotidiano não significa apenas listar as suas atividades diárias em ordem de importância/relevância e criar um cronograma dos seus horários na agenda. Ao contrário, é fazer um planejamento de tempo e recursos com o objetivo claro de se tornar uma pessoa mais dinâmica, proativa e diligente.

Como resultado, você passa por um processo de autoconhecimento que engloba diferentes esferas da sua vida, incluindo a financeira. A partir daí, há um entendimento maior sobre como está a saúde das suas finanças e o que é possível fazer para alcançar maior estabilidade e o padrão de vida que se deseja.

Isto é, você aprende a categorizar quais são as suas fontes de receita e quais são as suas despesas. Feito isso, se torna mais fácil, por exemplo, habituar-se a:

  • acompanhar os próprios gastos para identificar o que compromete mais a sua renda e quais os custos são dispensáveis;

  • pesquisar e comparar os preços em diferentes estabelecimentos antes de fazer compras para economizar cada vez mais;

  • poupar com o intuito de criar uma reserva financeira para situações emergenciais e para a realização de projetos de vida;

  • evitar o acúmulo de dívidas para não limitar ou mesmo cortar as linhas de crédito que podem ser úteis no futuro para a aquisição de imóveis e bens;

  • buscar por opções de renda extra para ampliar o seu orçamento e impulsionar a sua poupança e os seus investimentos.

Dicas de como otimizar as finanças

Até aqui você viu como a organização pessoal é benéfica para diversas esferas da sua vida, inclusive a financeira. Agora é o momento de acompanhar algumas dicas que reunimos para ajudá-lo a otimizar as suas finanças, garantindo, assim, que você realize os seus projetos de vida e saiba empregar corretamente os seus recursos.

Priorize as suas metas

A primeira delas é priorizar as suas metas. Ou seja, definir quais são os seus objetivos e estabelecer meios de torná-los reais. Por exemplo, se a sua meta é investir em uma pós-graduação para aumentar a sua qualificação profissional e conquistar uma promoção dentro da empresa, não perca tempo!

Reveja a sua receita e estipule o percentual dela que será preciso reservar para arcar com os custos do curso. Se possível, vá além e considere a possibilidade de poupar mensalmente um valor X para adiantar as mensalidades dos próximos semestres. Com isso, dá para deixar o seu orçamento menos comprometido para as demais contas.

Corte as despesas desnecessárias

Uma segunda dica é cortar aquelas despesas desnecessárias que, por força do hábito, você continua tendo e que ao longo do mês podem comprometer (e muito) a sua renda. Por exemplo, em vez de:

  • sair para comer fora ou solicitar delivery em casa várias vezes na semana, que tal cozinhar a sua própria refeição?

  • pedir um táxi ou um motorista particular por aplicativo, que tal ir a pé ou de transporte público para o seu destino?

  • comprar novas roupas cada vez que vai ao shopping, que tal redescobrir as peças que estão no fundo do guarda-roupa e você nunca nem usou?

Dessa forma, você enxuga seus gastos, consegue fazer com que o seu dinheiro dure muito mais e, com isso, aumenta as suas reservas financeiras.

Evite usar mais de um cartão de crédito

Sabemos que a tentação de ter mais de um cartão de crédito é algo real, especialmente quando o seu limite não é tão alto e você precisa adquirir coisas, independentemente de ser para o trabalho, para a faculdade ou para a sua casa.

Porém, ao ceder o ao impulso e ter dois ou mais cartões, você fica suscetível a gastar além do necessário e perder o controle sobre as suas despesas, o que pode levá-lo a contrair dívidas e ter o seu nome negativado.

Portanto, escolha apenas uma operadora de crédito — preferencialmente uma que não cobre anuidade — e concentre suas compras no cartão dela sempre pagando em dia as faturas. Dessa maneira, a cada seis meses o seu limite aumentará e a sua pontuação no Serasa Score se tornará mais positiva.

Aprenda a investir para ver o seu dinheiro render

Por fim, mas não menos importante, aprenda a investir e ampliar as suas reservas financeiras. Afinal, não há porque deixar o seu dinheiro parado se há alternativas de investimentos para todos os bolsos que podem fazê-lo render e até mesmo duplicar em poucos meses ou anos.

Tanto é que muitas corretoras realizam aplicações mensais com valores inferiores a R$ 100,00 no tesouro direto — que é uma das modalidades consideradas mais seguras pelo mercado. Por isso, vale a pena ler blogs a respeito, conferir canais no Youtube que falam sobre o tema e, é claro, conversar com o gerente do seu banco para saber quais programas podem atender às suas expectativas.

Como você viu, ter organização pessoal é muito mais do que uma simples maneira de colocar a sua rotina em ordem. É uma mudança de postura que impacta positivamente a sua vida pessoal, profissional e financeira. Portanto, invista nela!

Gostou do nosso post? Então compartilhe-o nas suas redes sociais e mostre aos seus amigos por que esse tema é tão importante!

 

Facebook Comments