Doar-se para o outro é algo muito valioso. O que muita gente não sabe é que o trabalho comunitário é capaz de ensinar grandes lições para aquele que o pratica, ajudando não somente quem recebe a boa ação.

Inclusive, muitas empresas valorizam o voluntariado como um ponto de destaque nos currículos. Porém, esse nunca deve ser o principal intuito dele — a motivação para viver esse tipo de experiência precisa ser genuína.

Se você já passou por essa situação, deve saber do que estamos falando. Mas se ainda não teve uma oportunidade, que tal conhecer alguns dos principais ensinamentos? Leia todo o post para saber mais!

1. Ser proativo faz a diferença

Ser proativo é ter a capacidade de se antecipar frente aos problemas ou situações vividas. É como carregar consigo a responsabilidade de fazer escolhas em momentos importantes e sempre ter uma atitude, — não ficar esperando que as coisas se resolvam sozinhas.

Por isso é que as empresas procuram com tanto afinco profissionais com proatividade. Elas precisam de pessoas comprometidas e interessadas em oferecer soluções, ou, pelo menos, que façam tentativas.

Essa é uma das transformações que você pode notar ao se comprometer com um trabalho voluntário. Sua capacidade de realização é estimulada, principalmente porque você vê que é capaz de ajudar e que pode fazer a diferença.

Sabe aquela história de que quem quer arruma um jeito de fazer? É isso. A prática é que nos ensina que não precisamos de muito e dependemos só de nós mesmos para começar. Ainda que você não mude o mundo ou não conte com um grande apoio (como de uma instituição ou do governo), o voluntariado promove o seu senso de participação e autonomia.

2. O voluntariado exige responsabilidade

Mesmo que seja uma ação espontânea e do seu próprio interesse, ao se comprometer com uma causa você automaticamente adquire uma responsabilidade. Isso não quer dizer que você terá que visitar aquela família toda semana, doar o seu tempo para o projeto todos os dias ou oferecer uma cesta básica por mês.

A sua forma de contribuição é você quem decide, mas, depois de assumido o compromisso, é preciso ter seriedade com o que se propôs a fazer. Por exemplo, se a ideia é ajudar na construção de casas para comunidades mais carentes, não adianta chegar no dia e não cumprir o serviço.

É fundamental ter consciência do compromisso assumido e se dedicar a ele — ser responsável é isso. Logo, esse tipo de trabalho costuma trazer um bom amadurecimento para a pessoa, sendo indicado até mesmo para que as crianças criem esse comprometimento desde cedo.

3. Quem ajuda é mais beneficiado do que quem é ajudado

Engana-se quem ainda pensa que as pessoas ajudadas são as maiores beneficiadas em todo esse processo. Ao contrário, diversos relatos de pessoas que já viveram experiências de trabalho comunitário afirmam que a recompensa é muito maior.

A alegria em poder fazer alguma coisa por alguém e a gratidão daqueles que recebem são muito satisfatórias — como dizem, “é de encher o coração”. Parece que as energias se renovam e você fica ainda mais motivado para fazer mais e mais.

O fato de conhecer outras pessoas, novos lugares, fazer amizades e sair da zona de conforto é bastante gratificante. Sem contar que as experiências, por mais trabalhosas que sejam, são muito divertidas. Não por acaso existem tantas pessoas envolvidas em trabalhos comunitários pelo mundo todo!

4. Felicidade é algo muito relativo

É claro que, uma hora ou outra, todo mundo passa por situações difíceis na vida. Mas sabemos que algumas realidades são mais complexas do que outras, o que, aliás, costuma ser um dos pontos de partida do voluntariado.

Ao ajudar uma pessoa que precisa (ou um grupo de pessoas), você entra em contato e passa a conhecer uma condição diferente da sua. Essa é uma grande oportunidade para repensar seus valores, ideias e hábitos do dia a dia.

Um deles é perceber que a felicidade é algo relativo e que pode não depender de coisas que antes você considerava importante. O trabalho comunitário faz com que você veja de perto como as pessoas são felizes de maneiras distintas, morando em lugares completamente diferentes e vivendo realidades muito desiguais.

Ou seja, ser feliz é possível em todo canto e trata-se muito mais de uma questão do que cultivamos dentro de nós do que das coisas materiais que acumulamos, por exemplo. As pequenas atitudes podem lhe fazer bem mais feliz do que você pensava.

5. Tempo não é um problema

Uma desculpa usada por muitas pessoas para não fazer um trabalho voluntário é a falta de tempo. De fato, muitas delas têm a agenda apertada por conta dos compromissos profissionais, acadêmicos, pessoais, entre outros.

Porém, uma vez que você se dedica a esse tipo de atividade você aprende que tudo é questão de organizar a rotina para conciliar todos os afazeres. Assim, você encontrará um tempinho para fazer algo que tem vontade — e se o voluntariado for uma prioridade, certamente você conseguirá encaixá-lo entre as outras tarefas.

Na maioria das vezes, o problema é a falta de organização e de parar para pensar como aproveitar o seu tempo da melhor maneira possível. Afinal, isso é um dos maiores bens que possuímos e doá-lo para os outros faz com que você ganhe muito mais.

Lembre-se de que tudo depende da sua motivação — algumas limitações existem só na nossa cabeça e você pode vencê-las.

6. O autoconhecimento é um presente

No fim das contas, uma das maiores lições que esse tipo de trabalho traz é fazer você refletir sobre todas essas questões. Muitas vezes, na correria da rotina não paramos para olhar para o próximo, para pensar em situações diferentes da nossa, para agradecer pelo que temos.

Isso é natural, pois cada um está na sua luta diária. Mas nunca é tarde para começar a mudar. Em qualquer época da vida é valioso procurar um trabalho comunitário para fazer, basta encontrar o que mais lhe interessa e motiva.

Essa é uma grande oportunidade de conhecer melhor a si mesmo e desenvolver-se como profissional, como pai/mãe, como filho(a), como chefe, como amigo — enfim, como ser humano.

Diante de tantas razões, parece difícil não reconhecer que essa experiência pode ser muito positiva, não é mesmo? Ainda assim, isso é apenas um resumo do que pode acontecer, já que cada um passa por uma vivência única e especial fazendo um trabalho comunitário.

Viu só como dedicar o seu tempo para o outro pode ser muito gratificante? Aproveite para compartilhar este post nas suas redes sociais e motivar os seus amigos a fazerem o mesmo!

 

Facebook Comments