Os consumidores estão cada vez mais interessados e preocupados com a origem daquilo que põem na mesa. É inegável o aumento de discussões na internet sobre temas como sustentabilidade, uso de agrotóxicos, veganismo e alternativas para o consumo de leite e açúcar. Esse debate trouxe para profissionais interessados na indústria de alimentos novas oportunidades de emprego lucrativas. Quer aprender um pouco mais sobre essa área de atuação e como ingressar nela? Continue a leitura!

Indústria de Alimentos: o que a torna tão relevante?

Como já adiantamos na abertura deste post, nunca a qualidade dos alimentos foi tão discutida. O aumento dos índices de obesidade e doenças crônicas são as principais fontes de preocupação com a alimentação. Se antes a escolha de produtos se resumia ao preço, hoje consumidores preferem pagar um pouco mais por alimentos orgânicos, livres de conservantes e agrotóxicos, por exemplo.

Diante deste cenário, o posicionamento da indústria de alimentos está sob vigilância. Até mesmo as marcas já consagradas têm sentido o desafio de se adaptar a essa realidade. A Coca-Cola, por exemplo, além de reduzir a quantidade de açúcar em seus refrigerantes, está usando ingredientes mais saudáveis nos seus produtos patrocinados.

As organizações, em geral, têm buscado novas maneiras de atender às demandas e ressignificar a qualidade e segurança da produção alimentícia — buscando a saúde e o bem-estar do consumidor. E essa demanda por inovação está se refletindo na geração de empregos.

De acordo com o Relatório Anual da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentos (ABIA), em 2018, a indústria de alimentos faturou 656 bilhões de reais, com uma participação de 9,6% no PIB brasileiro. Esses números na prática dão ao setor o título de maior empregador na indústria de transformação do Brasil, e uma excelente área de atuação para quem busca uma oportunidade promissora no mercado de trabalho.

Especialização: vale a pena?

No futuro, a demanda por profissionais mais especializados e inovadores tende a aumentar — e com ela o índice de empregabilidade. As empresas darão preferência àqueles profissionais com perfil de liderança, capazes de antecipar as principais tendências de cultura do consumidor e decidir quais delas valem o investimento. Para atingir esse perfil, se qualificar será imprescindível.

Quando se fala em qualificação, as especializações — em especial as pós-graduações e MBA — ainda são o melhor investimento em termos de custo-benefício. De acordo com pesquisa Fundação Getúlio Vargas (FGV), um pós-graduado pode ganhar até 66% a mais do que um técnico ou bacharel.

Enquanto mestrados e doutorados têm caráter stricto sensu, orientados para a pesquisa e o ensino acadêmico, as especializações se inserem no conceito lato sensu. Ou seja, têm uma formação mais abrangente, com conteúdos e práticas focados diretamente no mercado de trabalho e nas principais necessidades da profissão.

O principal objetivo dos cursos de especialização é formar profissionais com perfis capazes de liderar equipes, atender às demandas da área e resolver problemas com eficácia.

Além de uma formação de qualidade, os cursos de especialização também são grandes aliados daqueles que não tem tempo para estudar — um dos maiores obstáculos para o avanço na carreira.

A grande vantagem é que essas formações têm uma estrutura adaptada ao perfil de quem tem uma vida atarefada. Toda a grade curricular é construída para que ninguém precise abrir mão das responsabilidades do dia a dia ou fique sobrecarregado. Grande parte dos cursos também é flexível na carga horária, com aulas ministradas após às 19h nos dias de semana ou unicamente aos finais de semana.

A maioria das pós-graduações e MBA também tem um caráter democrático. Os cursos na indústria de alimentos, por exemplo, estão disponíveis não apenas para profissionais com uma formação superior na área, que desejam se especializar. Eles também são voltados para profissionais com outras formações, que sonham com uma chance de mudar o seu rumo na carreira.

Carreira na indústria alimentícia: qual o caminho seguir?

Consequentemente, áreas consagradas no mercado, como a indústria de alimentos, atraem mais concorrentes. Por essa razão, o profissional precisa escolher uma pós-graduação com altas chances de contratação e retorno financeiro.

Para descobrir qual o melhor caminho a seguir comece avaliando a instituição de ensino na qual fará a sua pós ou MBA. É preciso ficar atento à credibilidade da universidade, sua validação no MEC e reconhecimento no mercado.

Muitos estudantes miram apenas o custo de um curso e esquecem que, sem a validação no MEC, todo o investimento de tempo e dinheiro na pós-graduação será em vão, já que o diploma não terá validade.

Depois de encontrar uma boa faculdade, preste atenção à qualidade e à grade curricular. As disciplinas oferecidas precisam ser condizentes com as necessidades do mercado e com a proposta geral do curso. Avalie também a formação do corpo docente: o seu currículo, a sua formação e experiência no mercado. A maioria das universidades oferece essas informações em seus websites, mas você também pode encontrá-las na Plataforma Lattes.

E por fim, pergunte a si mesmo: quais são os meus objetivos e qual o meu perfil profissional? A indústria de alimentos é uma área vasta, com dezenas de possibilidades para diferentes perfis. Por essa razão é importante ter em mente onde você se encaixa e como quer atuar.

No Brasil, a agricultura e a pecuária ainda são matrizes com grande impacto na economia, movimentando expressivamente o PIB e a balança comercial do país. Soja, café, açúcar, e carne bovina e de frango, por exemplo, ocuparam a lista dos dez produtos mais exportados em 2018.

Especializações em produção vegetal e gerenciamento da qualidade de carne e leite são opções para quem deseja fazer a diferença nessa indústria. Os profissionais podem atuar na inspeção do controle de qualidade, em órgãos de fiscalização de produtos vegetais e animais, no desenvolvimento de novas tecnologias, ou diretamente na produção de alimentos.

E então, gostou de saber um pouco mais sobre a indústria de alimentos e as suas tendências para o futuro? Pensando em fazer uma especialização nessa ou em outras áreas? Assine a nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos em primeira mão!

 

Facebook Comments