Sem experiência? Não tem problema! Se você é um estudante sem bagagem profissional, pode estar com certa dificuldade para criar um currículo bem-feito e completo, não é mesmo? Bem, não se preocupe! Chegou a hora de deixar as inseguranças de lado e se dar mais crédito! Afinal, nunca perca uma oportunidade de se candidatar a alguma vaga por falta de experiência.

Ok, entendemos que escrever seu primeiro currículo profissional pode ser um desafio em tanto. Afinal, como você se vende a uma empresa ou empregador sem ter nenhuma prática de mercado? Bem, uma excelente dica é incluir nesse documento todos os seus trabalhos já realizados.

Porém, não se desespere! Vamos explicar tudo que você precisa fazer para mandar bem no currículo sem ter experiências prévias. Acompanhe este post para ficar por dentro!

Como criar um modelo de currículo?

Por enquanto, para saber como causar uma boa impressão nos empregadores, a primeira coisa que você precisa fazer é montar um currículo sério, profissional e completo. Para criá-lo do zero, use algum programa de edição de texto como o Microsoft Word ou LibreOffice.

Para não ter erro, lembre-se de usar uma fonte padrão, como Times New Roman ou Arial, e optar por um tamanho médio, como 12. No cabeçalho, não se esqueça de colocar todas as informações mais importantes sobre você. São elas: nome, idade, número de telefone, endereço de e-mail, portfólio (caso tenha) e perfil no LinkedIn (é interessante ter um perfil nessa rede, porque ela tem tudo para ser usada com mais frequência ainda nos próximos anos).

Se você quiser uma coisa mais bonita e criativa, existem alguns modelos prontos nos quais tudo o que é preciso fazer é preenchê-los. As novas versões do Microsoft Word, por exemplo, já vêm com essa opção. Porém, caso você não tenha a licença para usar esse produto, a internet é cheia de templates úteis para baixar. Apenas certifique-se de utilizar links para downloads confiáveis, ok?

Como elaborar um currículo de qualidade?

Vamos agora às dicas para você ter êxito nessa atividade. Acompanhe:

1. Capriche e coloque seu objetivo profissional em destaque

Defina exatamente quais são seus objetivos de carreira e coloque-os em posição de destaque. E qual a razão disso? Bem, o que vale em uma entrevista de emprego é mostrar se você é a pessoa certa para a vaga. Ainda mais se não houver muitas informações depois disso.

Então, o primeiro passo que o RH da empresa provavelmente dará é saber se o trabalho que estão oferecendo condiz com seus planos e áreas de interesse. Afinal, o que está em análise aqui é o que você pode fazer pelo empregador, e não o oposto.

Certifique-se de resumir seus objetivos em 5 linhas no máximo e não dê rodeios. Lembre-se de usar a linguagem formal, mesmo se a empresa em questão for “descolada”.

2. Inclua todos os cursos de capacitação e formação que você tiver feito

Fez cursinho de inglês ou informática? Ótimo, pode colocar. Já teve a oportunidade de assistir a aulas de desenho ou de algum software da moda como Adobe Photoshop, Sony Vegas etc? Perfeito, inclua no currículo também. Tudo o que você achar que for útil para sua carreira profissional deve entrar.

Porém, use o bom senso. A menos que você se candidate para uma vaga que tenha relação com exercícios físicos, não há motivos para mencionar sua aula de futebol, judô, ballet, natação etc. Se atenha a atividades que, de um modo geral, são benéficas a qualquer trabalhador. São exemplos: línguas estrangeiras, escrita ou workshops de como falar em público.

3. Coloque suas experiências com trabalho voluntário

Fazer trabalhos voluntários em sua escola, igreja ou demais comunidades pode ser mais benéfico do que se parece. Afinal, esse tipo de atividade mostra aos empregadores que você é uma pessoa motivada em ajudar, aprender e adquirir novas experiências.

Além disso, por mais bobo que o trabalho tenha sido, ele sempre ensinará a você coisas importantes como responsabilidade, pontualidade, empatia, esforço, profissionalismo e compromisso. E essas características são muito valorizadas pelas empresas que estão realizando processos seletivos.

Se você já tiver feito atividades voluntárias, coloque todas. Agora, se você ainda não teve esse tipo de experiência, o que está esperando?

4. Não coloque pretensão salarial no currículo

Se tem uma coisa que devemos evitar ao máximo é colocar a tal da pretensão salarial no currículo. A maioria das empresas sequer divulga o valor do salário que pretende pagar, então por que você deveria? Além disso, detalhes como esse podem limitar suas oportunidades.

Um exemplo: se o empregador bater o olho no currículo e ver que sua pretensão está na faixa de 2.000 reais, e ele só pode pagar 1.200, é bem provável que te descarte. O segredo é deixar que a empresa conheça seu trabalho e personalidade, então nunca inclua informações que já impeçam esses encontros de cara.

5. Mantenha a linguagem simples, porém formal

Não tente usar palavras difíceis e nem rebuscar seu texto demais. Isso só vai mostrar o quanto “pedante” ou “equivocado” você pode ser. O melhor a se fazer é manter a linguagem simples e objetiva, porém, formal. Evite gírias, regionalismos e vícios de escrita.

Além disso, sempre confira se restaram alguns errinhos de gramática e, na dúvida, peça ajuda a uma pessoa mais experiente para solucionar esses problemas. Tente escrever um currículo sério, porém, que seja capaz de ser compreendido por qualquer pessoa.

Viu como é tranquilo criar um currículo sem qualquer experiência prévia? Basta se lembrar de que ele é sua principal ferramenta de marketing pessoal e, é claro, sua primeira impressão para um potencial empregador. E você sabe o que dizem sobre primeiras impressões, né? São as que ficam! Então capriche, não seja modesto e mostre a eles porque você é a melhor pessoa para esse trabalho!

Agora que você já tirou todas as suas dúvidas sobre esse assunto, que tal compartilhar este post em suas redes sociais para que seus amigos que estão passando pela mesma situação que você possam se orientar também? Vamos lá!

 

Facebook Comments