Os estudantes que estão se preparando para o ENEM sabem que o cronograma de estudos para enfrentar essa verdadeira maratona de conhecimentos começa antes mesmo de efetuar a inscrição para a prova. E qual a importância de estudar para o ENEM? A nota do Exame Nacional do Ensino Médio é o que vai permitir a entrada em um curso de nível superior, principalmente em instituições públicas.

O exame é válido também em algumas faculdades particulares, muitas vezes em substituição ou complementação ao vestibular tradicional. Além de classificar o aluno, o ENEM também avalia a instituição de ensino — já que todas recebem notas a partir do exame. 

Um dos motivos para que o ENEM seja muito comentado é que não se trata de uma simples prova de vestibular: sua redação, por exemplo, é diferente da maioria das outras redações cobradas em outros certames e, por isso, exige uma preparação diferenciada. Assim, é fundamental saber como fazer uma boa redação no ENEM.

Se você está se preparando para a prova, sonha com o ingresso na faculdade e ainda não sabe como fazer a redação, fique atento, pois separamos 7 dicas que vão te ajudar no exame. Vamos lá?

1. Entenda a prova

Fazer uma prova sem entender o que ela realmente cobra de você fica mais difícil não é? Por isso, entenda o objetivo principal da redação do ENEM: levar o candidato a sair da zona de conforto e fazer com que ele proponha uma solução para o problema apresentado.

Compreender esse objetivo é extremamente positivo para que a sua redação tenha sentido e ofereça valor aos leitores — ou seja, para os avaliadores do seu texto.

Perceba que a ideia não é apenas avaliar a sua capacidade de compreender o tema e dialogar com ele, como acontece nas provas de outras instituições. No caso do ENEM, a banca examinadora valoriza o candidato capaz de propor caminhos e soluções para aquilo que é apresentado como dificuldade — porque assim é possível diferenciar candidatos propositivos daqueles que somente decoram as matérias.

Com isso em mente, você já tem como começar a estudar com mais qualidade, procurando recursos que garantam a você chegar ao dia da prova em condições de ser mais resolutivo.

2. Atenção total para o Novo Acordo Ortográfico

Escrever bem é fundamental para a redação do ENEM. Isso envolve a maneira como você articula ideias, mas também seu domínio sobre a língua portuguesa padrão. Sem isso, a tendência é que, a cada frase, você corra riscos de perder pontos na sua redação. Em uma disputa por uma vaga mais concorrida, por exemplo, esses pequenos pontos podem ser preciosos.

Sendo assim, saiba que perder pontos na prova em função de erros banais de ortografia é algo que pode ser evitado. Basta estar por dentro das regras do Novo Acordo Ortográfico. Consultar manuais de referência de redação, como o da Folha de São Paulo, e estudar sobre as regras gramaticais são boas opções para obter um melhor desempenho na prova.

A competência número um do exame trata, justamente, de questões como concordância verbal, nominal, ortografia e acentuação. Portanto, procure se certificar de que esse não será um problema na sua busca pela aprovação.

3. Respeite o gênero textual

O tipo de gênero textual utilizado no ENEM é o dissertativo argumentativo. Isso significa que o texto precisa ter, além de conteúdo objetivo e consistente, argumentos que comprovem a sua tese.

Não adianta o texto estar de acordo com os padrões ortográficos se ele não agregar valor. Portanto, acostume-se a trazer esse diferencial para cada conteúdo que você escreve, como forma de se preparar bem para a prova do ENEM.

Outro ponto interessante a ser destacado é a respeito da concisão dos argumentos. Tenha uma opinião formada sobre o assunto que vai escrever e construa seus argumentos em torno disso.

Para não ser surpreendido, o ideal é se informar bem ao longo de sua preparação, mas caso o tema apresentado fuja aos seus domínios, ainda assim é possível fazer uma boa prova, pois o MEC oferece uma série de textos motivadores que podem embasar a sua argumentação. Leia-os com calma e atenção para, então, formular suas próprias ideias. Acostumando-se a fazer redações de provas anteriores ao longo do ano, a tendência é que você ganhe recursos para escrever mesmo sobre assuntos que não domina.

Acostume-se a fazer redações simuladas para o ENEM, pelo menos, 1 vez a cada 15 dias, analisando se o seu texto se enquadra nas principais exigências da avaliação. Assim, com o tempo, essa prática se tornará natural e sua escrita, cada vez mais adaptada à prova.

4. Invista na interdisciplinaridade

Estar conectado com vários temas, certamente, fornece uma carga de conhecimento muito grande — e isso poderá ajudá-lo a escrever bem sobre qualquer assunto.

Para o ENEM, de nada adianta saber escrever com facilidade se você não tem o que agregar com a sua proposta. Por isso leia bastante, assista a telejornais de qualidade, ouça programas que debatem temas interessantes e atuais, procure por sites, revistas e jornais de credibilidade — e invista em livros!

A cada ano, não só a redação, mas também as questões objetivas apresentadas na folha de prova, têm valorizado mais a capacidade que o candidato tem de articular diferentes áreas do conhecimento.

Por isso, todo conhecimento é válido — desde que a informação seja de qualidade. Se você já está sempre antenado com o mundo ao redor, saiba que essa é uma vantagem no momento da redação. Assim, estar disposto a alinhar aquilo que se aprende em sala de aula com situações práticas do dia a dia é muito importante. A ideia é ter o costume de sempre ir além na busca por informações.

Mas tome cuidado! Problemas como as chamadas fake news — as notícias falsas espalhadas pela internet — podem guiá-lo a uma conclusão errada sobre diversos tópicos. No ENEM, isso pode levar você a perder pontos.

Tenha prudência, procurando ser sensato e ter uma boa base teórica para usar quando for pertinente. Priorize a leitura de revistas conceituadas e sites que apresentam credibilidade. Pode não parecer, mas isso, certamente, ajuda a acessar informações sérias e confiáveis para fazer a sua redação.

Esse é um processo que deve ser construído ao longo do ano. Pesquise veículos de informação que podem ser úteis no dia da prova. Além disso, converse com professores e peça indicações. Elas serão muito úteis nesse momento.

 

5. Não fuja do tema!

Se a proposta pede para escrever sobre um assunto “X”, não invente e queira escrever sobre outro assunto. Seja simples e objetivo.

O que você pensa que é menos, pode ser mais na redação — é só uma questão de tocar nos pontos certos, mas sem “encher linguiça”. Os avaliadores sabem quando o texto dá voltas e voltas sem chegar a lugar algum. Por isso, foque no tema. Para tanto, reforçamos a orientação: pratique bastante! Quanto mais você escrever, mais acostumado estará a se concentrar no tema central do seu texto.

Uma dissertação argumentativa possui estrutura simples: introdução, desenvolvimento e conclusão. No caso da prova do ENEM, a ideia é que você desenvolva um ponto de vista e uma argumentação a respeito da problemática do tema, respeitando essa estrutura e apresentando uma proposta de intervenção.

Sendo assim, acostume-se a identificar o tema central de suas redações, argumentar apontando os problemas que surgem em função desse tema e concluir propondo uma solução para essas adversidades. É importante apresentar uma proposta de intervenção tendo em vista a perspectiva dos Direitos Humanos.

Uma dica é começar lendo com atenção os textos motivadores. Nesse ponto, sua capacidade de interpretação aparece como um diferencial, para que você seja objetivo na proposta. Procure se questionar a respeito do problema apresentado, suas causas, as possíveis soluções, as formas como essas soluções podem ser colocadas em prática e como elas são capazes de resolver a situação apresentada.

Esse brainstorming permite criar um rápido projeto de texto e, assim, facilita o desenvolvimento da redação. Seja coerente e desenvolva suas ideias em um rascunho antes de transferi-las de maneira definitiva para a folha de prova.

A organização do texto, considerando introdução, desenvolvimento e conclusão, pode ser feita da seguinte forma:

Introdução

Use o primeiro parágrafo para apresentar o problema identificado e que será trabalhado, bem como suas principais abordagens, com destaque para a sua tese central. Seja sucinto, pois os argumentos que explicarão o seu ponto de vista aparecerão nos próximos parágrafos. Nessa fase inicial você apenas apresenta sua linha de raciocínio para, posteriormente, desenvolvê-la em detalhes.

Desenvolvimento

Uma vez apresentado o problema, bem como a proposta, é hora de desenvolver as suas ideias. Defenda a sua tese apresentada no início do texto. Use os parágrafos para sustentar suas afirmações anteriores, com a indicação de dados, fatos e relações entre diferentes campos do conhecimento, para se aprofundar no assunto e contextualizar a tese.

Conclusão

Retome aquilo que foi apresentado na introdução do seu texto, reforçando as ideias trabalhadas até então. Além disso, evite se repetir demais. Outro ponto importante: é essencial utilizar esse espaço para apresentar soluções sobre aquilo que foi discutido (a proposta de intervenção).

6. Capriche na letra da redação

Pode parecer bobagem, mas treinar a caligrafia para fazer uma boa redação é fundamental para garantir o seu sucesso na prova.

Vamos combinar: o que adianta fazer um texto completo se não dá pra entender o que foi escrito? Se possível, imprima a folha de redação modelo da prova, tire cópias e treine nelas o máximo que conseguir — inclusive para não ultrapassar as margens da folha, ok?

Esse é um dos pontos que pegam na hora da desclassificação, então, fique ligado! Se as pessoas costumam ter problemas para entender a sua letra, não corra o risco de perder pontos por isso. Você pode treinar usando um caderno de caligrafia e, assim, desenvolver uma escrita compreensível. Experimente fazer resumos das matérias nesses cadernos ou as próprias redações. Dessa forma, você treina não só a redação, mas também melhora a sua letra.

Outra recomendação: sempre deixe tempo para revisar a prova antes de entregá-la. A tensão trazida por esse tipo de avaliação pode levar você a cometer pequenos equívocos, facilmente identificáveis com uma revisão rápida e atenta. Portanto, calcule o seu tempo de redação considerando também alguns minutos para ler o seu texto e ver se ele apresenta períodos incompletos, uma escrita de difícil compreensão ou erros de ortografia e gramática.

Em relação aos erros, uma dica útil é trabalhar com sinônimos, evitando termos que te deixam em dúvida. Assim, ao trocar uma palavra ou frase com a qual você não tem tanta segurança por outra que você tem a certeza de estar correta, é possível evitar a perda de pontos que podem ser valiosos para a sua aprovação.

7. Controle o tempo e garanta seu sucesso na prova

O tempo pode ser um aliado ou um vilão na hora da prova — só depende de você e da sua estratégia. Fazer a redação antes de responder às questões objetivas ou depois fica ao seu critério. Porém, o mais indicado é que você faça a prova quando estiver com as ideias arejadas, o que, para a maioria das pessoas acontece no começo da prova.

Alguns outros motivos para fazer a prova de redação antes de começar a maratona de questões:

  • o cansaço pode fazer com que a construção dessa complexa estrutura fique comprometida;

  • as pessoas estão menos agitadas no início da prova. Logo, aproveite o clima de concentração.

Lembrando que, após algumas horas de prova, é melhor nem reparar nos colegas ao lado, pois isso pode aumentar o seu nervosismo. Sendo assim, foco total na sua prova e no que depende de você, combinado?

O maior segredo de todos é não entender o exame como se fosse a pior coisa do mundo. Muitas pessoas já iniciam a prova de redação com um sentimento horrível de que não vão dar conta, de que o tempo não será suficiente e que passar por aquela experiência será uma tortura. Começam a sofrer antes da hora e depois não entendem o motivo da nota ruim. Então, respire fundo e mantenha a calma no momento da prova!

Uma boa redação pode garantir o início do seu sonho de fazer uma faculdade — e até de conseguir um financiamento estudantil. Portanto, dê o seu melhor na redação e escreva com o mesmo prazer que sentiria se estivesse se divertindo com algo que gosta de fazer. Divirta-se e se sinta feliz por ter a chance de fazer a prova. Pense que todo o preparo será útil para toda a vida.

E aí, curtiu as nossas orientações sobre como fazer uma boa redação no ENEM? Então não deixe de compartilhar essas dicas com seus amigos nas redes sociais!

redação campeãPowered by Rock Convert
Facebook Comments