Há 10 ou 15 anos, os vestibulares tinham o foco apenas em conteúdo: fórmulas, nomes e datas. Desde então, o processo mudou bastante e, agora, as provas tentam fazer uma conexão mais forte com o mundo real. Isso inclui, é claro, algumas questões sobre atualidades.

O problema dessa mudança é que muitas escolas ainda não incorporam esse fator nas aulas. Uma pena, porque estudar atualidades para o vestibular pode ser muito mais enriquecedor do que uma simples tarefa formal para ingressar no ensino superior.

Portanto, cabe a você, vestibulando, estudar atualidades. Mas, como fazer isso? Bem, essa é a dúvida que vamos abordar no post de hoje, trazendo 10 dicas práticas. Vamos lá?

1. ASSISTIR A TELEJORNAIS

Você acredita que assistir telejornais é um pouco ultrapassado? Bom, essa talvez não seja a forma mais interativa de se inteirar das notícias do mundo. Mas não dá para negar que os jornais televisivos apresentam assuntos com potencial de serem abordados no vestibular.

Então, uma boa maneira de estudar atualidades é acompanhar diariamente os telejornais. Percebeu que usamos o termo no plural? Assim como em qualquer outro meio, os telejornais não estão isentos de posicionamento.

Em outras palavras, eles não são neutros e imparciais. Portanto, assistir a apenas um, ou recorrer a apenas a uma fonte de notícias em geral, é um risco. Você vai ficar preso ao ponto de vista daquela fonte e isso atrapalha sua capacidade crítica.

Uma maneira de enriquecer seu repertório é acompanhar programas especializados, disponíveis na própria TV aberta. Você por acaso já parou pra assistir alguma edição do Globo Rural? E se dali sai uma reportagem sobre iniciativas sustentáveis que pode ajudá-lo a repensar a temática do meio ambiente?

2. LER JORNAIS

Algumas pessoas simplesmente não gostam de ler. Porém, existem duas vantagens principais na leitura de jornais impressos — em comparação à versão televisionada.

A primeira é que não há uma restrição de horário. Enquanto o telejornal é exibido em um horário específico (embora hoje você possa assistir a maioria deles na internet), o jornal impresso você leva consigo, para ler onde preferir.

Uma boa alternativa, por exemplo, é ler no caminho para a escola ou para o trabalho, dentro do ônibus.

A segunda vantagem é que você pode estudar atualidades e, ao mesmo tempo, praticar seu português, aprendendo novo vocabulário e descobrindo sentenças mais complexas. Isso vai ajudá-lo principalmente em provas dissertativas ou na hora da redação.

Agora, você provavelmente está pensando em uma desvantagem óbvia do jornal impresso: o preço. Comprar um jornal diariamente ou fazer uma assinatura pesa no bolso.

Mas fique tranquilo! Muitas escolas ou bibliotecas públicas recebem edições diárias de alguns dos principais jornais. Então, você pode usar um intervalo para ler sem ter que pagar nada.

Além disso, não desqualifique tão facilmente os jornais populares, que podem ser adquiridos por valores como R$ 0,50, como é o caso do Super Notícia, impresso mineiro que está na lista dos três mais vendidos do Brasil.

Não é porque as pessoas dizem que esse jornal é sensacionalista que ele deve ser descartado. Se é popular, aborda o que está na boca do povo, o que está acontecendo na vida cotidiana. E é dessa vida comum que surgem muitos dos assuntos abordados no vestibular.

3. OUVIR RÁDIOS

Vale a pena comentar que essa é a opção mais interessante quando se trata de otimizar o tempo. A rádio informa e oferece menos distrações do que a TV ou a internet.

Você pode ouvir as notícias enquanto resolve exercícios ou faz resumos de outras matérias. Em alguns casos, você consegue até ouvir a rádio para estudar enquanto trabalha!

Uma das melhores rádios para quem quer estudar atualidades por esse recurso é a CBN. Em São Paulo, você pode acompanhá-la nas frequências AM 780 kHz e FM 90.5 MHz — mas ela também está disponível em outras cidades.

Outra possibilidade são os podcasts — com a vantagem de poder baixar gratuitamente e ouvir quando quiser. A própria CBN lista seus podcasts para acesso.

O site do iTunes também apresenta uma lista com os podcasts de Notícias e Políticas.

Como sugestão, podemos recomendar o Escriba Café (com programas sobre história e atualidades) e o Fronteiras da Ciência (que conta com um time de especialistas em física, química, biologia, medicina e outras áreas).

Outra vantagem do rádio: sem o recurso visual, a notícia pede mais da sua concentração, ajudando você a criar mecanismos que podem auxiliá-lo inclusive na própria prova do vestibular.

O som, desacompanhado das imagens, também abre mais espaço para que você crie, imagine, preencha as lacunas. Por esse motivo, essa pode ser uma atividade bem inventiva.

4. LER REVISTAS

Se você se acostumou a apenas passar pelas bancas e ver as capas de revista, pode estar perdendo a oportunidade de aproveitar uma excelente matéria-prima para construção de textos argumentativos, como são solicitados nas redações dos vestibulares muitas vezes.

As revistas oferecem algo diferenciado em relação ao jornal impresso diário, ao texto da internet, à rádio. É que pela periodicidade (semanal, mensal e por aí vai) essa mídia consegue aprofundar mais as questões que o jornalismo diário costuma abordar de forma rápida.

Já parou para ler as grandes reportagens de uma revista como a Piauí? Não apenas você vai maturar com mais calma as ideias ali desenvolvidas, mas também enriquecer seu vocabulário, já que algumas revistas flertam com uma escrita mais literária.

As publicações semanais como Veja e Época funcionam como grandes catálogos, mas tentar as revistas especializadas pode, mais uma vez, ser muito rico.

Você não precisa ter filhos para ler a revista Crescer se ela estiver dando sopa por aí. É possível ter contato com uma perspectiva totalmente nova sobre o tema do aborto, que faz parte da vida social, ou a divisão igualitária dos cuidados com as crianças entre um casal.

Ou seja: nada de ter preconceito. Se tiver a oportunidade, leia. Mais uma vez, se você não pode assinar ou comprar uma revista nas bancas (reconhecemos que o preço pode ser salgado!), dá para pegar emprestada, ler na biblioteca da escola. Muitas publicações inclusive disponibilizam conteúdos das edições  na íntegra.

5. ACOMPANHAR SITES CONFIÁVEIS NA INTERNET

O maior problema da internet é que, devido à grande quantidade de informação disponível, você precisa tomar cuidado para utilizar apenas fontes realmente confiáveis. Do contrário, pode acabar se baseando em notícias distorcidas ou simplesmente falsas.

Nesse caso, uma boa dica é acompanhar sites de grandes jornais impressos ou corporações de mídia, muito embora a compreensão desses veículos sobre os fatos seja eminentemente enviesada.

Então, você se pergunta: qual é a vantagem de acompanhar o site de um jornal, em relação à versão impressa? Bem, em primeiro lugar, a economia, claro.

Mas a maior vantagem é que você pode conferir jornais de outros países que, normalmente, não estariam disponíveis no Brasil. Para completar, você ainda pratica uma língua estrangeira.

Algumas recomendações são o The New York Times, dos EUA, e o El País, da Espanha. Se preferir um ponto de vista diferente, visite o The Huffington Post, ou sua versão brasileira. O site publica artigos independentes de vários autores e, por isso, apresenta maior diversidade nas notícias.

Para ler artigos publicados em sites de jornalismo independente, acesse o Ponte Jornalismo e o Jornalistas Livres. Há outros canais excelentes que são alimentados com assuntos que são polêmicos na sociedade, como o Geledés, que debate o racismo sem meias palavras, ou a revista virtual AzMina, com vários recursos multimídia.

Para facilitar, assine newsletters (assim você recebe novidades por e-mail sem precisar se preocupar) ou, se preferir, deixe suas páginas preferidas já salvas na barra de favoritos do seu navegador.

6. SEGUIR PERFIS RELEVANTES NAS REDES SOCIAIS

Já que estamos falando sobre sites, também podemos incluir as redes sociais em nossa lista. Afinal, você, provavelmente, já passa algum tempo navegando no Facebook, Twitter e Instagram. Então, que tal aproveitar esse tempo para aprender coisas que serão úteis no vestibular?

Uma outra sugestão é fazer um bom uso do YouTube. Muitas pessoas importantes de diferentes meios publicam vídeos em canais de atualidades, ciências e notícias, comentando e opinando sobre acontecimentos recentes.

Como exemplo, podemos citar o canal do filósofo Luiz Felipe Pondé, do especialista em investimentos Leandro Ruschel. Não deixe de conferir também as entrevistas do cientista político Marco Aurélio Nogueira ao Café Filosófico, falando sobre a política como vantagem, o futuro da política, além do vídeo completo com esse estudioso explicando sobre os sentidos da política.

Então, além de aprender os fatos, é possível aprimorar a visão crítica, conhecendo diferentes pontos de vista sobre os diversos assuntos da atualidade.

Cuidado, porém, com perfis e páginas que, em vez de se pautarem pela informação e argumentação, recorrem ao discurso de ódio e ofendem grupos sociais. Nesse caso, os exemplos podem até mesmo ser usados se a questão do vestibular for sobre intolerância.

7. BAIXAR APLICATIVOS

Se você é do tipo que não consegue deixar o celular de lado e que acorda e já vai direto conferir as atualizações do seu feed, baixar um app agregador de notícias pode ser uma boa opção para estudar atualidades.

O que esses aplicativos fazem é, basicamente, reunir notícias publicadas em várias fontes. Assim, você não precisa ficar vasculhando a internet. Nossa dica é usar o Google Play Banca. Ele permite o acesso gratuito a notícias de milhares de fontes, inclusive publicações renomadas como Época, Veja, Estadão, O Globo e Superinteressante.

Você pode personalizar o Google Play Banca, adicionando as fontes e os assuntos que interessam mais ao seu estudo. Além disso, é possível ensinar ao app quando uma notícia exibida não é importante para você.

Assim, ele aprende sobre as suas preferências e você recebe atualizações cada vez mais relevantes.

8. ASSISTIR A DOCUMENTÁRIOS

Engana-se quem pensa que, para saber de atualidades, é só ter contato com notícias que estão situadas no presente. Para entender melhor o que está acontecendo na sociedade contemporânea, é preciso revisitar as questões centrais desses acontecimentos.

Por isso, criar o costume de assistir documentários é tão importante. Na Netflix, é possível assistir um tanto de temáticas variadas. The Mask You Live In é um exemplo: aborda como a cultura do estupro é construída na sociedade, algo que você pode relacionar com vários episódios atuais.

Há também Cosmos, que tenta comunicar de uma maneira mais didática possível como funciona o universo. Mais uma vez, você ganha repertório de uma maneira não convencional e até mesmo divertida.

Caso não tenha Netflix, você pode assistir a vários episódios no próprio YouTube, basta fazer uma busca por palavras-chave. Assim, você terá mais propriedade para falar dos assuntos que o cercam.

9. FAZER CURSINHO PREPARATÓRIO

Se você tem essa possibilidade, vale a pena investir em um cursinho preparatório. Enquanto muitas escolas ainda não incluem aulas de atualidades, nos cursinhos é diferente.

Eles já perceberam que essa é uma atividade que faz toda a diferença na aprovação em bons vestibulares. Por isso, costumam oferecer aulas semanais ou aulões periódicos sobre os principais assuntos do Brasil e do mundo.

O mais importante, porém, é que os professores explicam exatamente como esses assuntos poderão ser cobrados em uma prova, fazendo a conexão com as matérias e com os conteúdos — como história, geografia, biologia etc.

10. CONVERSAR COM QUEM PENSA DIFERENTE

Essa dica está cada vez mais difícil de seguir, mas saiba que ela é importantíssima. Se você se cercar em uma bolha, lendo só o que você concorda e conversando só com quem tem ideias parecidas, nunca vai ter sua visão confrontada nem mesmo para aprimorar seus argumentos.

As pessoas pensam de maneira diferente, e não é preciso concordar em tudo para que um diálogo aconteça. Inclusive, experimentar diferentes pontos de vista enriquece o seu, a partir do momento em que você é capaz de pensar criticamente sobre o que ouve e fazer relações.

Desde que com respeito, uma conversa com muitas divergências pode ser uma das melhores formas de se inteirar das atualidades para o vestibular. Isso porque, para argumentar, a outra pessoa vai recorrer a exemplos que ela julga importantes e você, muitas vezes, não. Vai que um desses exemplos é justamente o que vai cair no vestibular?

Ah, outro bônus: ao conversar, você vai receber uma série de indicações de livros, reportagens, filmes, documentários. Aproveite!

Agora, você já sabe 10 maneiras diferentes de estudar atualidades para o vestibular. Que tal testar cada uma delas e descobrir qual funciona melhor para você? Só não vale deixar o estudo de lado.

Lembre-se de que os vestibulares são altamente concorridos e, se você puder acertar uma questão de atualidades, isso poderá fazer uma grande diferença para sua aprovação e para o seu sucesso profissional no futuro!

Mais do que isso: não adianta apenas decorar o que já está pronto: é preciso interpretar o mundo ao nosso redor e conseguir formular posicionamentos críticos sobre ele. Você só tem a ganhar!

E então, gostou das nossas dicas sobre como estudar atualidades para o vestibular? Esperamos que você tenha sucesso na missão! Da nossa parte, vamos sempre trazer conteúdos interessantes por aqui para você se informar melhor.

Ah, não deixe de conferir nosso artigo especial sobre filmes perfeitos para estudar História! Assim, fica bem mais fácil entender o mundo atual, concorda?

Facebook Comments