O curso de Engenharia de Produção é uma das opções mais completas para quem gosta de exatas. Ele forma profissionais com capacidades múltiplas, que entendem o processo inteiro de uma indústria.

Ao contrário de um engenheiro mecânico ou químico, por exemplo, que se tornam especializados numa determinada área, o engenheiro de produção reúne habilidades e conhecimentos que possibilitam uma atuação mais ampla.

Só para você ter uma ideia, ao engenheiro de produção cabe atuar em desenvolvimento de produto, gestão de pessoas, gerenciamento financeiro e logística, entre outras possibilidades. Ele pode estar numa empresa química ou em uma prestadora de serviços, por exemplo.

Outro dado importante é que a engenharia é uma profissão que está em alta já há um bom tempo. A tendência é que a carreira continue sendo muito procurada. Afinal, essa é uma mão de obra qualificada e que depende da boa formação do profissional — dedicação e empenho entram nessa equação — e da faculdade escolhida pelo aluno.

Por isso, neste texto, você vai ler tudo o que precisa saber sobre o curso de Engenharia de Produção. Vamos responder às dúvidas de quem ainda não tomou uma decisão sobre a carreira. Aqui você vai se aprofundar nas informações do curso e das disciplinas, conhecer as áreas de atuação e o perfil desse profissional.

A importância do estágio na formação do aluno e da escolha da faculdade certa também é um tema deste artigo. Afinal, essas são questões importantes e que devem ser estudadas antes de optar por um curso. Depois que eliminar todas as dúvidas, você vai ter condição de fazer a melhor escolha.

Preparado para conhecer o curso de Engenharia de Produção? Então vamos lá!

A área de Engenharia de Produção

A Engenharia de Produção é a profissão dedicada a garantir a eficiência dos processos de uma indústria ou de uma empresa.

O curso forma profissionais aptos para atender à demanda do mercado em atividades relacionadas a planejamento, projetos, gerenciamento organizacional, financeiro e de recursos humanos, tecnologia, logística, meio ambiente e materiais.

Essa profissão procura meios para o melhor uso possível dos recursos de uma empresa, a fim de reduzir os custos de produção. Isso é responsabilidade do engenheiro, que alia o conhecimento das disciplinas da engenharia a métodos de administração e técnicas de economia.

A Engenharia de Produção forma profissionais generalistas, ou seja, que têm conhecimento de toda a cadeia produtiva de uma empresa. Por isso, o campo de atuação é amplo.

A demanda por esses profissionais é grande em todo o Brasil, consequência das inúmeras habilidades desenvolvidas pelo engenheiro. Um dos motivos é a possibilidade de transitar entre o setor administrativo e o produtivo.

Quer saber quais funções esse profissional pode assumir? Simular processos com o objetivo de antecipar problemas e encontrar soluções, criar logística para estocar e distribuir produtos e implantar processos de produção com pesquisas que começam na definição da matéria-prima e vão até o custo final são algumas das atividades de quem atua nessa área.

Outra opção: empresas de serviço procuram essa categoria de engenheiro para gerenciar escalas de trabalho e designar funções entre seus colaboradores. E tem mais. O engenheiro de produção é muito procurado por bancos e corretoras para montar carteiras de investimentos, por exemplo.

Por isso, os alunos são capacitados para cumprir todas essas funções, seja no setor público ou no privado.

O perfil ideal do profissional da área

A primeira coisa que todo mundo pensa quando ouve falar em Engenharia é: Ciências Exatas. Ou seja, matemática, cálculos e fórmulas. Não tem como escapar, essas disciplinas são a espinha dorsal do curso.

A Engenharia de Produção, claro, também exige habilidades nas exatas. O profissional dessa área terá na calculadora uma grande parceira ao longo da sua carreira. Portanto, o perfil de quem optar pelo curso deve incluir aptidão para a matemática.

Como a matemática é uma disciplina que exige organização para resolver problemas, o profissional deve se encaixar nesse perfil. Separar dados, deixá-los visíveis e compreensíveis, hierarquizar informação e dar fluxo ao trabalho são características fundamentais ao engenheiro.

A organização dará capacidade de enxergar problemas e conseguir, por meio de métodos, resolvê-los. Por isso, esse é um quesito importante no perfil do aluno. O engenheiro de produção cria processos e investiga qual a melhor forma de ele se tornar mais eficiente.

Mais do que aplicar fórmulas e técnicas de estatísticas, é necessário ter raciocínio lógico também. Ou seja, o profissional precisa ter aptidão para exatas, capacidade de organização e de raciocínio. Tudo isso permite que ele resolva problemas e reúna condições de enfrentar os desafios de uma empresa.

Atualmente, ter uma queda pela tecnologia é outra característica que deve constar do perfil do profissional dessa área. Seja para controlar, gerenciar ou mesmo desenvolver, esse é um recurso que faz parte do cotidiano de todo profissional atualmente e precisa estar incorporado ao engenheiro.

Outra característica importante do perfil desse profissional é saber lidar com pessoas. Nós trataremos sobre esse ponto no item a seguir. Para adiantar, é importante que você saiba que esse profissional tem um perfil conciliador e, ao mesmo tempo, proativo, com capacidade de resolver conflitos e intermediar soluções.

No perfil desse engenheiro deve constar também o gosto por informações. Quem trabalha em produção, desenvolvimento de produtos ou na área financeira de uma empresa — setores que estão no escopo da Engenharia de Produção — precisa estar sempre por dentro do que está acontecendo.

Ler sobre mercado financeiro, projetos do governo e economia é uma atividade que pode fazer a diferença entre um produto de sucesso ou não — ou entre atingir a meta ou ficar aquém do projetado. Saber relacionar as informações com os dados da sua empresa é tarefa do engenheiro, cujo perfil deve atender a essa necessidade.

As habilidades que serão exigidas pelo mercado

Você já leu até aqui que o Engenheiro de Produção tem formação ampla, com domínio em várias áreas do conhecimento. Essa é uma vantagem da carreira, pois abre caminho para atuar em um mercado diversificado.

Além do conhecimento adquirido no curso e do perfil do profissional, é preciso ter ou desenvolver certas habilidades que serão cobradas pelas empresas. Como essa é uma carreira que exige mão de obra qualificada, o mercado espera encontrar um profissional que vá além do aprendizado acadêmico.

Portanto, o profissional deve ter como objetivo uma boa formação e, depois, a especialização — com cursos extras, pós-graduação e MBA. Dessa forma, suas habilidades estarão sempre atuais e de acordo com o avanço do mercado.

Um exemplo está no foco da profissão. Nos bancos do ensino superior você desenvolve habilidades para gerir processos, por meio do planejamento, do controle e da redução dos desperdícios. Essa é uma função indispensável para qualquer empresa.

Quanto mais você dominar essa área, maiores são as chances de crescimento e sucesso na carreira. Organização, visão de 360 graus, precisão e planejamento fazem parte da lista de habilidades desejáveis para o Engenheiro de Produção.

A dedicação ao aprimoramento delas deve ser constante durante o período do curso e não pode parar ao fim dele. Planeje sua carreira no longo prazo.

Outra habilidade que o mercado procura em um profissional é saber se relacionar com pessoas. Essa é uma tarefa que está entre as possibilidades de atuação do engenheiro e deve ser cultivada.

Como uma das carreiras possíveis de serem seguidas pelo engenheiro de produção é gerenciar recursos humanos, relacionar-se bem com a equipe, cobrar resultados e liderar processos são qualidades desejáveis.

Em muitos casos, será necessária uma cobrança mais acertada, com o objetivo de corrigir falhas. Assim, ter habilidades para entender como cada pessoa reage em momentos delicados é fundamental para manter uma estrutura harmoniosa e em bom funcionamento.

Se um profissional consegue construir bons relacionamentos e sabe lidar com eles em condições adversas, sem causar problemas, certamente ele tem o perfil ideal para trabalhar nessa área.

As principais matérias do curso

O curso de Engenharia de Produção é feito em cinco anos. Nos quatro primeiros semestres o aluno já tem contato com algumas matérias específicas — como Teoria Geral da Administração, Metodologia de Pesquisa Científica, Organização Industrial, Gestão de Pessoas e Ciências dos Materiais.

O principal desses dois anos está concentrado nas disciplinas básicas das engenharias — Cálculo, Desenho Técnico, Matemática, Geometria e Física Experimental. São matérias que dão sustentação ao restante do curso, com teorias que serão utilizadas por várias disciplinas e, mais tarde, no mercado de trabalho.

Uma boa formação inicial é o primeiro passo para uma carreira de qualidade. A partir do quinto semestre, o aluno terá um conteúdo mais amplo. O estudo de Engenharia será abrangente, com disciplinas que aprofundam o conhecimento.

Entre as principais matérias que fazem parte do currículo do curso de Engenharia de Produção estão: Sistemas de Gestão de Qualidade, Processos de Fabricação, Projeto de Produto, Custos de Produção, Gestão Ambiental, Logística, Marketing Estratégico Industrial e Empreendedorismo para Engenharia.

O currículo ainda inclui Estágio Supervisionado e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), exigidos para a formação completa e o diploma. Com essa visão das principais disciplinas que fazem parte do curso de Engenharia de Produção, já dá para perceber o alcance da carreira e as inúmeras possibilidades de atuação, certo?

Os conhecimentos que serão desenvolvidos

Uma das vantagens do curso de Engenharia de Produção é a formação de profissionais completos e capazes de atender a demanda da indústria.

Para chegar a esse ponto de excelência, as aulas buscam atender ao perfil generalista da profissão com transmissão de conhecimento de qualidade e em sintonia com o que há de mais moderno no mercado.

O curso desenvolve os conhecimentos de Engenharia, que tratam, basicamente, de racionalizar o trabalho. Matemática, Física e Química, por exemplo, farão parte da lista dos princípios aprendidos pelo aluno.

O aluno desenvolverá conhecimentos para aperfeiçoar técnicas de produção, ordenar atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma empresa, seja ela uma indústria ou uma prestadora de serviços.

Para isso, você terá contato com disciplinas relacionadas a Administração, Comunicação Organizacional, Metodologia, Gestão de Pessoas e de Qualidade, Planejamento, Economia, Projetos e Logística. Seus conhecimentos serão baseados em disciplinas técnicas e de visão ampla, um currículo que oferece ao profissional um vasto campo de atuação.

A importância de realizar estágios

O estágio é uma das etapas mais importantes da formação de todo profissional. A experiência adquirida nessa fase vai ajudar não só na consolidação do aprendizado, mas também no desenvolvimento da carreira.

O trabalho faz com que o estudante coloque em prática o que ele recebeu nas salas de aulas e laboratórios, ao mesmo tempo em que o leva a ter contato com o dia a dia de uma empresa.

Ao longo do estágio, você vai encontrar situações práticas que só foram vistas até então na teoria. É o momento de aplicar o que aprendeu e descobrir como isso é feito, em trabalhos realizados com profissionais experientes.

Então, o aluno que decide e consegue fazer um estágio terá vantagens em relação àquele que adia a entrada no mercado de trabalho. Se essa oportunidade for levada a sério, os ganhos serão maiores ainda.

As empresas levam em conta alguns fatores na hora de contratar um estagiário. O primeiro deles é a excelência do curso em que o aluno está matriculado. Nesse caso, estar em uma faculdade de reconhecida qualidade será um diferencial para sua formação.

Aliás, isso vale não só para conseguir uma vaga de estágio. Uma boa instituição oferece formação sólida, professores capacitados e um diploma que será bem recebido pelo mercado. Portanto, escolher bem a instituição de ensino é um passo que vai repercutir no resto de sua vida.

Outro fator levado em consideração pelas empresas é seu desempenho acadêmico. Isso não se restringe a boas notas, mas abrange também suas atividades extracurriculares, trabalhos de monitoria e cursos.

Esse envolvimento com o que a faculdade oferece dará condições de se tornar um candidato mais seguro e preparado. Além disso, com um bom desempenho, professores podem escrever cartas de recomendação para você levar às empresas.

Outro ponto que faz a diferença na hora da entrevista é o seu comportamento. Se você se sente seguro e bem preparado, fica mais fácil relacionar-se com o seu interlocutor. Estudar, participar e envolver-se com as atividades acadêmicas vão prover a estrutura que você precisa.

Dessa forma, o estágio supervisionado não é somente uma etapa obrigatória do estudante. Mais do que recolher as horas e apresentá-las à instituição, o trabalho é o melhor caminho para buscar o seu sucesso profissional.

Além disso, o relacionamento numa empresa abre espaço para você construir um bom networking, recurso fundamental para quem começa no mercado de trabalho. O momento ideal para começar um estágio é quando o aluno entra no quinto semestre, o início do ciclo específico do curso, com matérias voltadas para a Engenharia.

Apesar de oportunidades de vagas surgirem durante o ano inteiro, o melhor é que o aluno busque o estágio no início de cada semestre. Dessa forma, você terá mais condições de organizar seu tempo, sem prejudicar o estudo nem o trabalho.

As possibilidades de atuação do engenheiro

Como já vimos, o profissional formado em Engenharia de Produção tem um campo vasto de atuação. Além do caminho mais tradicional, dedicado ao gerenciamento dos processos produtivos de uma indústria ou empresa, é possível trabalhar em áreas administrativas.

Uma delas é focar no desenvolvimento organizacional da empresa. O profissional será responsável por analisar e definir a estrutura essencial para o bom funcionamento de todas áreas. Isso inclui gerenciar pessoas, métodos e resultados.

Afinal, para saber se um setor precisa de um determinado número de pessoas, é necessário medir os resultados, como eles foram atingidos, saber se há perdas, se os métodos estão ajustados ou se é preciso alterá-los. Essa análise passa por estudar a equipe e avaliar se todos estão rendendo o melhor para que as metas sejam alcançadas.

Outra possibilidade de atuação do engenheiro de produção é na área financeira. Ele pode gerenciar todo a movimentação de recursos e suas aplicações, os custos e os retornos obtidos.

Dentro da indústria, outro campo possível para esse profissional consiste em atuar diretamente na produção. Ou seja, ele será o responsável pela gestão de recursos humanos da fábrica, dos produtos e dos serviços prestados. Isso envolve a aplicação de técnicas de logística: armazenagem e distribuição, controle de estoque e qualidade.

Por fim, o engenheiro de produção pode atuar em pesquisa operacional, área que trata da aplicação de métodos analíticos a fim de dar sustentação a uma tomada de decisão.

Esse trabalho envolve cálculos e análises que não dependem apenas de matemática e fórmulas. As habilidades desenvolvidas pelo profissional são direcionadas para essa função, que demanda inteligência, capacidade de enxergar problemas e criatividade nas soluções.

Como você viu, o campo de atuação para o engenheiro de produção é imenso. As possibilidades vão além da indústria e podem incluir empresas de serviço e de tecnologia, de inteligência, de vários ramos da produção: metalurgia, química, civil, alimentos, eletrônico e agrícola, entre outros.

A formação do engenheiro de produção em áreas como gestão de pessoas, produção, logística e economia é muito bem-vista, pois toda empresa deseja contar com um profissional completo e apto a exercer funções delicadas e primordiais.

Por isso, esse conjunto de capacidades faz com que o mercado tenha grande interesse no profissional de Engenharia de Produção.

O impacto da escolha da faculdade no sucesso

Você leu até agora sobre todas as possibilidades que a Engenharia de Produção oferece ao aluno que opta pelo curso. Tudo parece ótimo, afinal, essa é uma profissão em alta, com um currículo amplo e essencial para qualquer empresa, independentemente do ramo de atuação.

A perspectiva é que o mercado de trabalho demande cada vez mais profissionais dessa área. No entanto, tudo isso só fará sentido e dará resultado se a faculdade tiver qualidade para que o aluno possa desenvolver o que precisa para se tornar um profissional de excelência. Essa escolha é fundamental para o futuro da sua carreira.

Afinal, de nada adianta ter na sua grade curricular disciplinas como Projeto de Produto ou Economia se os professores não forem qualificados ou não estiverem atualizados com o mercado, se eles não conhecem a realidade. O Ensino Superior é um diferencial competitivo e destacará você dos outros profissionais que chegam ao mercado.

Portanto, na hora de escolher a faculdade para cursar Engenharia de Produção, você deve estudar o corpo docente. Veja se os professores estão atualizados, se eles têm presença no mercado de trabalho, se desenvolvem pesquisas e se publicam artigos.

Uma faculdade que não oferece, também, infraestrutura para o aluno — como laboratórios e instrumentos, bibliotecas atualizadas e apoio para pesquisas — acaba por não formar o futuro profissional com os conhecimentos e as habilidades necessários para a carreira.

Outro ponto que deve pesar na escolha é a relação da faculdade com o mercado de trabalho e a comunidade na qual ela está inserida. Esse vínculo abre caminhos para projetos e pesquisas, cenários que enriquecem a formação do aluno e abre portas para o futuro profissional.

Quando a faculdade tem todas essas características, o impacto na vida do aluno será altamente positivo. Ela será a chancela de qualidade que o profissional vai exibir ao longo de toda sua carreira. Dessa forma, o caminho do sucesso fica mais fácil!

A Engenharia de Produção é uma das áreas mais ricas para quem tem múltiplas habilidades e gosta de trabalhos que exigem conhecimentos complementares e interdisciplinaridade.

Se você se encaixa nesse perfil, esse curso é o ideal para você. Como o texto explica, o mercado de trabalho é amplo e com demanda constante. O profissional formado terá condições de aplicar tudo o que aprendeu e crescer na carreira.

Para alcançar o sucesso, é importante frisar que algumas decisões são importantes, como a escolha da faculdade. Uma instituição de qualidade, que tem o respeito e o reconhecimento da comunidade e do mercado, certamente fará a diferença quando você já tiver o diploma em mãos.

Agora que você aprendeu tudo sobre o curso de Engenharia de Produção, entre em contato com a gente e descubra o que você precisa para entrar na faculdade!

Facebook Comments