Use sua nota do ENEM e ganhe 50% de desconto na matrícula.Powered by Rock Convert

Para compor renda e pagar a faculdade com mais facilidade, que tal conhecer algumas indicações de investimentos para universitários? Descobrir essas aplicações vai ajudá-lo a escolher no que investir — e a partir daí aumentar sua estabilidade financeira.

Afinal, investir certo garante o presente e potencializa as chances de realizar conquistas futuras, como a compra do primeiro carro ou até mesmo de um canto só seu.

Então, prossiga a leitura e descubra 7 opções de investimentos feitos na medida para você!

1. Caderneta de poupança

Essa velha amiga dos brasileiros tem claras vantagens para quem não tem familiaridade com aplicações e com o mercado financeiro.

Simples de abrir e de movimentar, além de ser isenta de impostos — até determinado valor —, é também garantida pelo governo.

Essa garantia com a qual a poupança conta é do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) — entidade privada associada aos bancos que conta com o aval do Banco Central.

Considerada um investimento de baixo risco, a poupança é excelente para quem não quer ter surpresas. Você faz seu depósito e vai para casa tranquilo, pois a possibilidade de perder seu dinheiro é praticamente nula.

Por outro lado, a poupança é uma das aplicações menos rentáveis do mercado. Em 2016, ela rendeu apenas 8,30%, ficando apenas 1,6% acima da inflação.

Para ter uma ideia mais clara: quem depositou R$100 em janeiro de 2016, 12 meses depois viu em seu saldo a módica quantia de R$108,3.

2. Títulos Públicos

Se a ideia da poupança pareceu segura, mas pouco compensadora, os Títulos Públicos são uma excelente opção.

O risco de se investir nesses títulos é baixíssimo, já que eles também contam com a garantia do FGC, sendo a rentabilidade maior do que a da poupança.

Outra vantagem dessa aplicação é que você pode resgatá-la sem complicação quando precisar. Isso se chama liquidez — e no Tesouro Direto, por exemplo, ela é diária.

Essa alta liquidez se dá em função do compromisso que o governo assume com os seus investidores de fazer a recompra dos papéis diariamente.

O valor mínimo exigido para começar a investir nos títulos públicos é apenas R$30, o equivalente a 0,1% do valor de um título inteiro. Quer dizer, dá para começar aplicando um pouco, familiarizar-se com a aplicação e aumentar o valor progressivamente.

Bancos e corretoras estão habilitados a negociar os títulos públicos e costumam cobrar por essa intermediação.

Por isso, é importante pesquisar as diferentes instituições financeiras antes de investir, já que, em algumas delas, é possível obter isenção da taxa pela operação.

Outro dado importante sobre o Tesouro Direto é que, sobre ele, incide o Imposto de Renda.

3. Letras de Crédito do Agronegócio

Já pensou em investir em agronegócios daí mesmo de sua casa? Pois é, isso é possível e rentável: basta levar seu dinheiro para as LCAs.

Essas Letras de Crédito se dividem pelo tipo de cálculo da remuneração ao investidor, podendo ser pré ou pós fixadas.

Escolher a LCA pré-fixada significa saber o quanto você vai resgatar ao final da aplicação. Já no caso da pós-fixada o cálculo é feito na época do resgate do valor aplicado.

Esse investimento não pode ser resgatado antes do prazo estipulado. Portanto, atende bem a quem não vai precisar do dinheiro no curto prazo.

Já quanto a taxação, só incide o valor cobrado pelas instituição financeira que intermediar a aplicação, pois as LCA são isentas da cobrança de Imposto de Renda. A aplicação também conta com a garantia do FGC, o que a torna bastante segura.

Para realizar esse investimento, é preciso ter, ao menos, R$1 mil — valor que pode ser ainda mais alto dependendo da instituição financeira.

4. Letra de Crédito Imobiliário

Mais um dos investimentos para universitários com boa rentabilidade é relacionado aos imóveis. Não, você não precisa comprar um imóvel inteirinho para lucrar com ele: basta aplicar nas LCIs!

Esses títulos são praticamente iguais às LCAs quanto à segurança, rentabilidade e investimento mínimo.

O que varia mesmo é que esse ativo tem os imóveis como lastro. Em outras palavras: para comercializá-los, a instituição financeira tem que possuir imóveis que garantam a operação.

5. Certificado de Depósito Bancário

Os CDBs estão entre as mais tradicionais e seguras aplicações disponíveis ao investidor, sendo garantidos pelo FGC e divididos em pré e pós-fixados. O investimento mínimo varia de banco a banco, sendo que, em alguns deles, é possível começar com R$ 100.

Um aspecto importante sobre esses títulos é que eles possuem um prazo de carência, período durante o qual não podem ser resgatados.

Quanto ao prazo para resgate, é combinado entre investidor e banco. O ideal é deixar o dinheiro aplicado em CDBs render até o prazo final estabelecido, a fim de conservar a rentabilidade.

Em relação à tributação, o leão abocanha uma parte dos rendimentos dos Certificados.

6. Consórcio

Aqui está uma ótima alternativa para você que está construindo seu futuro e não dispõe ainda de grandes quantias para investir.

Os consórcios se prestam a reunir pessoas em torno de um objetivo comum: a compra de um bem de alto valor à vista. Podem ser adquiridos eletrodomésticos, a mobília inteira de uma casa, carros, imóveis — e até mesmo aviões —, por meios de consórcios.

Com essa finalidade, os grupos são formados e contam com muitos membros. O valor das contribuições individuais, então, sai bem mais em conta do que a prestação de um financiamento, já que a mensalidade é livre de juros.

No sistema de consórcio, a entrega do bem acontece ao final do prazo contratado, por sorteio da cota, ou se o cotista fizer um lance vencedor em assembleia.

Em qualquer um desses casos, uma carta de crédito é entregue ao consorciado para reverter na compra do bem estipulado em sua cota.

7. Abrir o próprio negócio

Que tal ser dono do seu negócio e fazer sua própria renda? Isso é viável, desde que você seja capaz de conciliar trabalho e estudos. Para incentivá-lo, elencamos a seguir dois comércios em alta:

E- commerce

Seu investimento inicial pode ser bem pequeno, pois há lojas virtuais com custo reduzido, destinadas a pequenos empreendedores.

É possível ofertar quase de tudo pela internet, mas é importante focar em produtos que apresentam intensa procura.

Brechó online

Vieram com a economia colaborativa, estão com tudo e demandam baixo investimento. Você pode começar um brechó com o que está parado aí na sua casa: livros, CDs, eletroeletrônicos, roupas, e por aí vai. Usar a força das redes sociais é o segredo para esse tipo de comércio emplacar.

Escolher um desses investimentos para universitários é uma maneira inteligente de fazer o seu dinheiro se multiplicar.

Com isso, você conseguirá se manter na faculdade e atingir seus objetivos. Sempre com foco no principal: concluir seu curso superior e alavancar uma carreira de sucesso!

Leve essas dicas para os seus amigos e compartilhe este post em suas redes sociais!

Facebook Comments
50% de desconto na matrícula usando nota do ENEMPowered by Rock Convert