Você trabalha, estuda, se esforça, mas todo mês a situação é igual: mal o dinheiro chega, já vai embora. Aí, o jeito é esperar o próximo salário e o fim do aperto.

Essa roda viva, que parece não ter fim, é mesmo capaz de desanimar qualquer um. Então, como mudar esse cenário? Fazendo o salário render até o final do mês!

Se a sua meta é evitar a angústia de não ter um real no bolso, essa é a solução mais inteligente a adotar.

Para ajudá-lo, elencamos 7 passos essenciais para chegar ao fim do mês sem ficar no vermelho. Prossiga a leitura e descubra:

1. Comece a programar os seus gastos

Sair por aí comprando sem qualquer planejamento é cilada: você vai acabar em dívidas e passar um sufoco financeiro.

Claro que todos estamos sujeitos aos apelos para consumir. Lógico, também, que é preciso atender as necessidades conforme elas surgem. Faz parte da vida comprar roupas, sapatos, passear, pagar a faculdade e tudo o mais.

Ou seja: não dá para viver sem gastar dinheiro. Mas, quando programadas, as despesas são feitas de modo racional.

Assim, o primeiro passo a dar para mudar os hábitos de consumo é deixar de gastar sem planejar.

2. Faça uma lista de despesas

Na hora de programar seus gastos, estabeleça para onde deve ir o seu dinheiro. Faça uma relação das contas a pagar e dos itens necessários (supermercado, urgências e outros).

Não se esqueça de elencar esses elementos como os mais importantes da sua lista. Quer dizer, como prioridades que não podem ser deixadas de lado.

3. Conte quanto sobrou para gastar

Depois de se programar e definir as prioridades, é hora de ver quanto vai sobrar para gastar no decorrer do mês. Com tudo organizado em sua lista, você já sabe os valores a gastar com as principais despesas.

Daí em diante, o dinheiro que sobrar na conta-corrente pode custear os seus gastos até o próximo salário.

4. Determine o máximo a gastar por período

Administrar bem o dinheiro reduz o risco de ficar no zero antes da virada do mês. Sendo assim, você deve calcular o quanto pode gastar por dia ou por semana.

Ao estabelecer um valor máximo para desembolsar em determinado período, é mais fácil economizar.

Um exemplo: alguém que ganha R$ 2,8 mil e tem despesas fixas em torno de R$ 1 mil, pode gastar R$ 1,8 mil ao longo do mês. Por dia, são R$ 60 — e por semana, R$ 420.

Com essa conta feita — e seu limite por período estabelecido — veja o próximo passo.

5. Mantenha seus gastos dentro do limite

Tudo organizado, você sabe bem o quanto possui, no que vai gastar e como fazer o salário render até o final do mês. Tudo perfeito! Só tem um possível problema: sair do limite e gastar além da conta.

O que fazer para que isso não aconteça? Como garantir que o descontrole não vai pôr tudo a perder? Mantendo os gastos dentro do limite fixado para eles!

Em outras palavras: nada de extrapolar. Para conseguir o resultado almejado, faça exatamente o que planejou.

No entanto, se o impulso de consumir assusta você, adote as seguintes estratégias:

  • saia de casa apenas com o dinheiro do dia — saque no caixa o valor que você determinou para gastar no período e faça com que dure o tempo fixado;

  • deixe o cartão de crédito guardado. Saia de casa com o cartão só quando tiver programado uma compra;

  • não faça compras parceladas — de parcela em parcela, você compromete grande parte do seu salário.

Caso você utilize o cartão de crédito diariamente, siga todos os passos anteriores, substituindo o dinheiro pelo uso racional do cartão de crédito.

E para conseguir isso, atenção ao próximo passo!

6. Use seu crédito com responsabilidade

Citamos, anteriormente, o uso do cartão de crédito. Aqui, vamos aprofundar no assunto. Você conquistou seu primeiro cartão, ainda não tem muita familiaridade com sua utilização e já se acostumou a concentrar as despesas no crédito.

Pois bem, se você paga sua fatura inteira na data do vencimento e se filiou a um programa de vantagens (que rendem pontos ou milhas aéreas), está indo bem.

O que não pode acontecer de jeito nenhum é deixar de pagar o total das despesas feitas no cartão. Isso porque os juros de tal dívida costumam ser bem altos — e encarecem muito a dívida original.

Você não quer um problema desses, não é mesmo?

Para minimizar o perigo de se ver às voltas com uma dívida maior do que a sua capacidade de pagamento, siga estas dicas:

Tenha um crédito compatível com o salário

Seu limite do cartão de crédito não deve ser superior ao valor que sobra para gastar no mês.

Deixando mais claro: excluídas as despesas fixas, veja quanto sobrou. Tenha em mente que seu crédito não deve exceder essa quantia.

Não acumule compras parceladas no cartão

Como o valor total do bem parcelado é abatido do seu limite de crédito, é mau negócio parcelar muitas compras no cartão. Quanto mais compras parceladas no cartão, menos crédito disponível para o dia a dia.

Resumindo: você fica cheio de dívidas, e com pouco — ou nenhum — crédito para as despesas cotidianas.

7. Coloque mais renda no mês

Uma maneira bem eficiente de chegar ao final do mês com dinheiro é aumentar os ganhos. E há algumas opções para conseguir isso, como trabalhos feitos na medida para conciliar com os estudos. Dentre eles, você pode:

  • revisar trabalhos acadêmicos ou formatá-los segundo os padrões da ABNT;

  • prestar monitoria remunerada a alunos com dificuldades de aprendizagem;

  • fazer estágio remunerado.

Mas se você já está com os dias da semana ocupados, uma boa saída são os trabalhos freelancer. Muitos podem ser feitos pela internet, do conforto de sua casa, à noite e aos finais de semana.

Um exemplo dessa tendência são os freelas de redação e revisão de conteúdos para blogs e sites da internet.

Seguir os 7 passos listados neste post é caminho certo para fazer o salário render e deixar para trás os momentos de bolso vazio.

Veja que cada passo é dado no sentido da educação financeira. Escolher essa estratégia é útil agora e para o futuro, pois exercitar o hábito de fazer escolhas inteligentes é vantajoso em todo tempo.

Agora que você está preparado para fazer o dinheiro render mais, compartilhe este passo a passo nas suas redes sociais e ajude os seus amigos! Quem sabe não sobra aquele dinheirinho para um cinema?

Facebook Comments