Use sua nota do ENEM e ganhe 50% de desconto na matrícula.Powered by Rock Convert

Considerada uma das cinco profissões do futuro, a carreira em agronomia tem oportunidades incríveis para quem está construindo seu caminho profissional. É um curso bastante dinâmico, o mercado está em crescimento e as oportunidades de trabalho são amplas.

Quer saber mais sobre o setor agronômico? Neste texto, você terá todas as informações necessárias para concluir se essa é realmente a melhor opção para seu perfil. Acompanhe!

Como é o curso de agronomia e de que forma ele surgiu no Brasil?

O primeiro curso ligado à área agronômica no Brasil data de um antigo contexto histórico. Sua criação está relacionada diretamente ao fim da escravidão e à crise com a indústria açucareira, na região Nordeste.

Em 1859, diante da necessidade de treinar mais profissionais para lidar com o setor agrícola, surgiu a Escola de Agronomia, do Imperial Instituto Baiano de Agricultura. Localizada à época em São Bento das Lages, no Recôncavo Baiano, hoje a escola integra a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e tem sede na cidade de Cruz das Almas, no interior do estado.

Preparado para trabalhar diretamente com a agropecuária, o estudante do curso aprende as técnicas necessárias para melhorar o desenvolvimento relacionado a plantações e a rebanhos, de forma a atuar em diferentes etapas do processo produtivo.

Hoje, de acordo com o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), há 6.224 instituições de ensino no Brasil dedicadas à área, entre escolas, faculdades, universidades, instituições híbridas e indefinidas.

Quanto às disciplinas que compõem o curso de agronomia, elas podem variar conforme a matriz curricular da instituição escolhida. Mesmo assim, para que você tenha uma noção básica, destacamos as seguintes:

  • anatomia vegetal;
  • informática aplicada à agronomia;
  • química analítica;
  • anatomia e fisiologia dos animais domésticos;
  • extensão e sociologia rural;
  • agrometeorologia e climatologia;
  • uso, manejo e conservação do solo;
  • melhoramento de plantas e biotecnologia;
  • administração, planejamento e gestão agrícola.

Além da base teórica necessária para solidificar os conhecimentos associados à profissão, o curso tem aulas práticas em laboratórios e em locais comuns de trabalho no segmento, como fazendas. Dessa maneira, o aluno se forma com a aptidão para ingressar no mercado de trabalho.

Qual o perfil ideal para seguir uma carreira em agronomia?

A identidade profissional do agrônomo é muito eclética. Na faculdade de agronomia, o estudante terá contato com conhecimentos das ciências biológicas, exatas, econômicas e também sociais. Essa formação ampla capacita o profissional para intervir em processos que envolvem o trabalho com plantas e animais, mas também com pessoas. Assim, um dos requisitos para quem quer entrar nessa área é o interesse multidisciplinar.

O agrônomo realiza funções em todas as etapas do agronegócio — desde a preparação de uma lavoura ou rebanho até os processos industriais ligados à produção, ao armazenamento e à distribuição de produtos. Seus conhecimentos aperfeiçoam o preparo e o cultivo do solo, a alimentação, a reprodução e o abate dos rebanhos, assim como a colheita de grãos. Nas indústrias, os agrônomos gerenciam a produção e a comercialização de mercadorias.

Mesmo com a opção de trabalhar tanto em propriedades rurais quanto em grandes indústrias nas cidades, o interesse pela vida e pela produção no campo é importante para quem pretende seguir a carreira em agronomia. Afinal, o produto do seu trabalho terá sempre relação com as questões da terra.

Para lidar com as mais diversas condições (que vão desde a simplicidade de pequenas propriedades até a alta tecnologia dos grandes produtores ou indústrias), a flexibilidade e a capacidade de adaptação são características importantes para o agrônomo.

Além disso, é necessário que o profissional seja dedicado aos estudos, lide bem com números e dados estatísticos, e desenvolva uma boa capacidade de resolução de problemas, pois ele é o responsável por identificar e solucionar os desafios vinculados à produção rural.

Hoje em dia, manter-se atualizado e ter interesse pelas inovações tecnológicas também são requisitos valiosos na área agronômica. O profissional deve saber combinar os seus conhecimentos para aumentar a qualidade e a produtividade das plantações, das criações de animais e da produção agropecuária.

Quem termina o curso de bacharelado em agronomia se forma com o título de Engenheiro Agrônomo. Geralmente, a graduação tem duração de cinco anos e, após esse período, é preciso obter o registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do seu estado.

Como está o mercado de trabalho de agronomia?

Em uma área tão ampla quanto a da agronomia, há muitas oportunidades para o profissional graduado. Além da diversidade de funções nas quais ele pode atuar, o agrônomo é absorvido por um mercado bastante aquecido no nosso país.

No Brasil, há uma tradição na produção rural, que se consolidou como uma das nossas principais atividades econômicas. Não à toa, hoje há mais 200 mil profissionais de agronomia ativos registrados no Confea.

Somos um importante exportador de produtos agropecuários, como café, açúcar, laranja, grãos de soja e carne bovina. Nossas reservas de terra e a disponibilidade de recursos naturais tornam o ambiente muito propício para o crescimento da agricultura e da pecuária.

Além disso, os investimentos governamentais e privados estão garantindo um bom desenvolvimento tecnológico na área, o que faz o país se fortalecer cada vez mais. Durante o ano de 2017, a agropecuária foi responsável por alavancar o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, com um crescimento de 14,5%.

A região de Santa Catarina, por exemplo, atualmente apresenta mais de 497 mil trabalhadores que atuam no setor, de acordo com resultados preliminares do Censo Agro 2017, promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dentre eles, destacam-se os agrônomos.

Por todos esses motivos, o profissional encontra um mercado de trabalho bastante promissor e com salários atrativos. A remuneração mínima fixada para esse profissional, segundo pesquisa, é de 6 salários mínimos para seis horas de trabalho e de 8,5 salários mínimos para uma jornada de oito horas. Em cargos de gestão e em alguns concursos públicos, é possível ganhar três ou quatro vezes mais do que esse piso.

Profissionais que investem posteriormente em especializações são ainda mais valorizados pelo mercado, o qual requer uma visão inovadora e a capacidade de gestão para lidar com os desafios que envolvem a questão da terra.

Quais são os ramos de atuação da carreira em agronomia?

Você já viu que o leque de oportunidades nessa profissão é bem amplo. O agrônomo pode trabalhar no campo ou nas cidades, em instituições públicas ou privadas e, ainda, construir uma carreira autônoma como consultor. Vamos conhecer melhor essas possibilidades.

Iniciativa privada

Em empresas particulares, o principal contexto de trabalho na carreira em agronomia é a administração de propriedades rurais. O agrônomo pode exercer essa função em locais como fazendas, granjas e abatedouros, gerenciando todas as etapas da produção vegetal e animal. Ele realiza funções ligadas a:

  • manejo do solo;
  • combate às pragas;
  • uso de fertilizantes;
  • processamento de produtos agropecuários;
  • produção vegetal e animal;
  • administração rural;
  • mecanização dos processos;
  • nutrição animal;
  • melhoramento genético.

Ainda na iniciativa privada, esse profissional pode ocupar postos de trabalho nas indústrias agropecuárias. Nesses espaços, ele realiza atividades ligadas à fabricação, ao armazenamento e à distribuição de produtos, utilizando seus conhecimentos para garantir a qualidade e a produtividade.

Serviço público e terceiro setor

Fora do setor privado, o agrônomo pode atuar em projetos sociais voltados ao campo, como o processo de concessão de crédito rural para produtores. Há vagas para agrônomos em cooperativas, organizações não governamentais e também em instituições do governo, como o Ministério da Agricultura ou em secretarias estaduais ou municipais. Muitos agrônomos são servidores públicos, sobretudo na área de fiscalização.

Trabalho autônomo

Além de postos formais de trabalho, a carreira em agronomia abre possibilidades para que o profissional tenha o seu próprio negócio. A prestação de serviços de consultoria é um nicho muito relevante nesse mercado.

Os produtores podem contratar um autônomo caso necessitem de assistência técnica, receituário de agronomia, assessoria em construções rurais, e serviços como vistorias e laudos de perícia.

Área acadêmica

A atuação no Ensino Superior, como pesquisador e professor, também é opção para o agrônomo em instituições públicas e privadas. As faculdades são campos muito férteis para o surgimento de inovações no agronegócio. Quem pretende continuar na academia após terminar a graduação pode se realizar nesse papel.

Quais são as novidades da área?

Um dos pontos fortes na área vem sendo a tecnologia. Para atuar nos dias de hoje, o agrônomo precisa estar atualizado com os avanços que agregam valor ao processo produtivo. Muitas propriedades rurais e indústrias têm otimizado suas produções a partir de soluções tecnológicas, como agricultura de precisão e geoprocessamento.

Outro destaque é a biotecnologia, na qual é possível trabalhar com manipulação de genes para melhoramento dos produtos e aumento da capacidade produtiva. A importância da área desponta ao considerarmos o crescimento da população mundial, que cria diariamente novos desafios para a produção de alimentos.

A questão da sustentabilidade também está em evidência. O profissional precisa se preparar para os desafios ambientais, como a escassez de recursos hídricos e a geração e o tratamento de resíduos. Vale ressaltar que, hoje, há mais fiscalização dos produtos que são levados ao mercado e preocupação do consumidor com a qualidade daquilo que ele compra.

Ainda no tema do desenvolvimento sustentável, a produção de biocombustíveis, ou seja, todos aqueles que derivam de biomassa renovável, como os produzidos a partir da cana-de-açúcar, do milho e do babaçu, também é uma novidade interessante para o trabalho do agrônomo.

Agora você sabe tudo sobre a carreira em agronomia! Se tiver interesse por essa profissão, procure desenvolver as suas aptidões e entre nesse mercado promissor. Há grandes oportunidades para crescimento pessoal e profissional. Quer aproveitar cada uma delas? A UCEFF pode ajudar você! Assine nossa newsletter e receba mais artigos completos sobre graduação e trabalho relacionado à agronomia!

Facebook Comments