É natural que as pessoas fiquem um pouco perdidas na hora de definir a sua profissão e escolher um curso superior. De fato, essa é uma decisão muito importante e requer atenção para que a diversidade de alternativas no mercado não gere tantas confusões.

Por exemplo, é comum confundir os cursos de arquitetura e design de interiores, achando que eles são a mesma coisa. Por isso, quem tem interesse por essa carreira deve buscar informar-se melhor antes de fazer sua escolha.

Você também tem essa dúvida? Leia o post a seguir para aprender mais sobre as principais características de cada curso e conseguir diferenciá-los melhor.

Arquitetura

Um curso de graduação em arquitetura dura, em média, de 4 a 5 anos e normalmente exige estágio e um trabalho de conclusão para conquistar o diploma.

É uma área que mescla ciências exatas e humanas na capacitação do profissional, para que ele possa elaborar projetos arquitetônicos completos.

Isso envolve considerar toda uma edificação, seja ela uma casa, um prédio, um museu, um estádio de futebol, entre outros. O arquiteto deve projetar o local considerando fatores como solo, clima, relevo, fundação, materiais utilizados na obra etc.

Sua função é aliar a segurança da construção com uma estética que seja criativa e funcional, dependendo dos desejos e das orientações do cliente. Portanto, ele deve acompanhar toda a execução das obras pelas quais é responsável.

Alguns exemplos das disciplinas de um curso superior de arquitetura são: Desenho Técnico, Cálculo Estrutural, História da Arquitetura, Gestão Ambiental, Teoria das Estruturas, Urbanismo e Infraestrutura.

Áreas de atuação do profissional de arquitetura

O mercado de trabalho para um arquiteto é amplo e pode depender muito dos interesses de cada profissional ou de suas especializações. Por exemplo, é possível se dedicar mais ao urbanismo, trabalhando na projeção de bairros, condomínios e até cidades.

Existem muito órgãos públicos que contratam arquitetos para cuidar do planejamento urbano e da conservação dos patrimônios históricos. Mas a carreira privada também oferece boas chances, seja de forma autônoma — montando um escritório — ou fazendo parte do time de uma empresa, como uma construtora.

Há ainda a possibilidade de se especializar em um tipo específico de construção como prédios comerciais ou residências. O paisagismo é outra vertente, que está relacionada aos projetos de jardins, parques, praças e outros tipos de ambientes externos.

Um dos segmentos que tem ganhado muito destaque no mercado é a sustentabilidade na arquitetura. Elaborar projetos cada vez mais sustentáveis, ou seja, pensando na responsabilidade para com o meio ambiente, é um desafio que tem motivado muitos arquitetos.

Design de Interiores

Uma das vantagens de optar pelo design de interiores é que a maioria dos cursos ofertados no Brasil são tecnólogos e têm uma duração menor — em torno de 2 anos. Isso permite que o estudante conquiste o mercado de trabalho em menos tempo, adquirindo experiência de forma mais rápida.

As disciplinas da grade curricular são mais teóricas, sem exigir tantos cálculos matemáticos como a arquitetura. Entre elas, estão temas ligados à História da Arte, História do Mobiliário, Linguagem Visual, Luminotécnica e Gestão Empresarial.

Embora não seja tão comum, existe também o bacharelado em design de interiores. O currículo costuma ser parecido com o de arquitetura, com duração de aproximadamente 4 anos. Portanto, para atuar como designer é possível optar pelos dois caminhos, enquanto o arquiteto precisa ser graduado em um curso de nível superior.

Normalmente, o designer de interiores é contratado para dar vida aos ambientes, traduzindo os desejos dos seus clientes e criando espaços que prezam pela beleza e harmonia. Tudo deve estar em sintonia, incluindo aspectos como cores, móveis, iluminação, tecidos, objetos etc.

Para isso, ele deve ser uma pessoa criativa que valoriza o senso estético e precisa ser antenado às principais novidades do mercado. Ter bons fornecedores e se preocupar com o acabamento do projeto também é importante, para evitar problemas com o cliente.

Possibilidades de atuação do designer de interiores

Como é um curso mais específico, isso pode ser considerado uma vantagem ou desvantagem. Para quem tem como foco trabalhar com a área de interiores, é um curso que vale a pena, pois o conteúdo é mais direcionado.

Logo, o aluno não dedica tanto tempo para aprender determinadas coisas que ele pode não ter tanto interesse. Por outro lado, a arquitetura possui um campo de atuação mais variado.

Alguns arquitetos chegam a atuar nessa área de decoração, mas um designer de interiores dificilmente poderá projetar e coordenar uma obra — inclusive sob o aspecto legal, já que o arquiteto deve ser registrado no CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo).

Ou seja, um designer não é capacitado, durante sua formação, para definir qual tipo de material é mais adequado para determinada obra e outras decisões um pouco mais complexas.

De maneira geral, os designers trabalham de forma autônoma, elaborando projetos de decoração para escritórios, residências, áreas externas etc. As construtoras podem terceirizar esse tipo de serviço ou até mesmo contratar profissionais fixos — sobretudo aquelas que oferecem opções como a venda de apartamentos já decorados.

Existe ainda o setor comercial, já que algumas lojas contratam designers de interiores para oferecer esse serviço aos seus clientes. É o caso das lojas de mobiliários e de revestimentos, por exemplo.

Por fim, é possível perceber que são duas áreas distintas, mas que se complementam bastante. Logo, um profissional dedicado pode investir no conhecimento de ambas para que seus projetos sejam ainda mais completos.

Além disso, a parceria entre um arquiteto e um designer de interiores pode render bons frutos. Enquanto o primeiro é responsável por toda a construção (principalmente pelos cálculos estruturais), o segundo pode se dedicar melhor à harmonização dos ambientes internos.

Vale ressaltar que, independentemente da escolha, é fundamental optar por uma instituição de ensino de alta qualidade. Isso garante que o profissional entre no mercado de trabalho mais preparado para atender às mais diversas demandas.

E então, gostou de conhecer mais as diferenças entre o curso de arquitetura e design de interiores? Se ainda tiver alguma dúvida ou quiser saber melhor sobre o assunto, entre já em contato conosco.

Facebook Comments