Sabemos que quem está estudando para o vestibular tem uma tarefa não tão simples quanto parece: decorar fórmulas. Nas provas de matemática, física e química, elas são essenciais para a resolução de problemas, mas nem todos conseguem manter na memória essas expressões.

Até porque, em meio a datas históricas, questões geográficas, conceitos de literatura e normas cultas da língua, o candidato a uma vaga na faculdade deve saber de cor todas as equações que fazem parte das disciplinas de Exatas. E elas não são poucas.

Como não existe outra saída — afinal, o vestibular não vai fornecer a equação a ser utilizada na prova —, a solução é escolher o método que mais se encaixa no seu perfil e mergulhar nos estudos. Contudo, se você se preocupa com isso, saiba que há meios de decorar fórmulas que ajudam no aprendizado.

Então, para te ajudar a não perder mais horas de sono pensando em memorizar, nós fizemos uma lista com 7 segredos para decorar fórmulas cobradas no vestibular. Vamos conhecê-los? Continue lendo e confira!

1. Compreenda como a equação foi elaborada

Antes de descobrir como memorizar, é importante que você relaxe. Ficar agoniado com esse problema não ajuda na hora de trabalhar um método para decorar. A hora é de concentração e dedicação, e, sem o estresse da preocupação, vai ficar mais fácil aprender.

Com isso em mente, lembre-se de que o nosso cérebro gosta de entender os motivos das coisas que são apresentadas a ele. E matérias como física, química e matemática não escapam dessa “exigência”.

É simples: se você entende os parâmetros, as grandezas e as unidades utilizadas nas disciplinas, decorar as fórmulas se torna uma tarefa natural. E, sabendo como elas são estruturadas, fará mais sentido na hora de aplicá-la na solução de um problema.

A partir do momento em que você entendeu os conceitos de força, velocidade e massa, por exemplo, terá mais facilidade de deduzir as fórmulas que utilizam essas grandezas. Portanto, domine as teorias para assimilar os conceitos e teorias básicas, e construa raciocínios lógicos para compreender como uma fórmula é estruturada.

Aliás, esse método é ideal para quem tem o perfil de Exatas e gosta de ir a fundo nas matérias. Assim, você estará se aprofundando em um assunto de que gosta.

2. Construa mapas mentais

Se você é daqueles que preferem visualizar o estudo com desenhos, cores e esquemas, este é o modelo ideal para decorar fórmulas. Basicamente, os mapas mentais ajudam na construção de raciocínios lógicos entre os conceitos e a aplicação na solução de problemas. Ou seja, eles unem a teoria à prática.

Para tirar o melhor proveito dessa técnica, use desenhos e esquemas para criar relações entre os problemas e as fórmulas que precisam ser decoradas. Identifique as grandezas e as variáveis com cores, por exemplo, para depois construir a fórmula completa.

Você pode fazer mapas mentais no caderno, em blocos, em folhas A4 ou até em sites próprios para a criação desse recurso. Nesse caso, uma opção é o Noteshelf, que permite a criação de mapas e anotações.

Seja como for, além de ajudar a visualizar o conteúdo, esse método estimula o cérebro a criar conexões.

3. Faça cartões para memorização

Você, provavelmente, já viu esse tipo de exercício em testes de associação. Então, por que não utilizá-lo para memorizar fórmulas? As fichas são fáceis de serem feitas e proporcionam um estudo rápido, e em qualquer lugar.

Você pode criar diversos exercícios com esse método. Pode anotar as fórmulas na parte de trás do cartão e, na frente, colocar a descrição e as suas variáveis. Então, leia cada um e tente adivinhar a fórmula correta.

Outra opção é trocar o texto da frente por enunciados de exercícios. Nesse caso, tente descobrir qual fórmula deverá ser aplicada em cada um deles para obter a solução. Como última dica, inverta a lógica: coloque na frente a fórmula e, atrás, o seu significado e onde ela é usada.

Seja como for, esse método funciona bem para quem gosta de jogo da memória, por exemplo, e de criar relações com os enunciados. Para aproveitar o tempo disponível, leve-as sempre com você. E, se preferir não andar com todas de uma vez, saia cada dia com disciplinas ou matérias diferentes.

4. Invente frases e palavras como macetes

Esse é um artifício muito comum, bastante utilizado por professores de cursinhos. Funciona da seguinte forma: por meio de associações de letras inicias ou prefixos das palavras, você forma uma expressão mais fácil de ser decorada.

A técnica pode ser uma solução para quem tem dificuldade em compreender as fórmulas. Se esse é o seu caso, é hora de conhecer alguns macetes:

  • física: v=vo + a.t. Essa é uma fórmula para medir a velocidade final, que pode ser resumida na frase “vovô ateu” ou “vi você à toa”;
  • matemática: y-yo = m (x-xo). A equação da reta que passa pelo ponto P ganha o macete “yoyô mixoxô”.

São apenas dois exemplos, mas que já dão a ideia do que você pode fazer.

A proposta é criar macetes de fácil memorização, e que façam sentido para você. Afinal, de nada adianta inventar uma frase e depois não saber do que se trata. Foque nas fórmulas que são mais difíceis de lembrar e nas disciplinas mais complicadas para você.

5. Treine a solução de exercícios para decorar fórmulas

Uma boa maneira de absorver as equações é exercitar. Debruçar-se sobre problemas ajuda o aprendizado, pois, quando resolve exercícios, você coloca em prática o que aprendeu e consegue identificar quais são seus problemas. E, entre eles, as fórmulas que não consegue decorar.

Enfim, essa tática de exercitar, fazer, errar e corrigir é fundamental para o aprendizado. Um recurso ideal para quem gosta de aprender treinando, e precisa da repetição para absorver os conteúdos.

Para isso, interprete o enunciado e organize as informações e os dados. Na hora de usar as fórmulas, não copie das suas anotações de aula. Tente aplicá-la de cabeça, faça o cérebro trabalhar. Se você for rapidamente à resposta, deixará de praticar o exercício mais importante da memorização: a repetição.

6. Assista a aulas em vídeo

Muitas vezes, você precisa de um reforço para aprender o que foi passado em sala de aula. E os vídeos podem ser uma boa maneira para fixar de vez as matérias.

Então, se você precisa de aulas extras para detalhar as disciplinas, essa é a opção certa. O recurso ajuda a visualizar e compreender o uso das fórmulas. Sem dúvida, uma ótima ferramenta para fazer associações e reforçar o conteúdo passado na escola.

Uma boa dica quanto a isso é procurar por tutoriais e aulas no YouTube Educação — uma plataforma que reúne vídeos sobre várias disciplinas, inclusive as de Exatas. Também há opções de videoaulas em apps, para quem prefere mobilidade.

7. Dê aulas sobre as matérias

Você é expansivo, gosta de explicar as coisas e tem facilidade de se comunicar com os outros? Nesse caso, dar aulas para colegas pode ser uma boa iniciativa para decorar fórmulas!

Na verdade, você nem precisa dar aula apenas para colegas — pode explicar para seus pais, ou até seu irmão ou irmã. O importante é exercitar o raciocínio. Quem ensina outras pessoas acaba por compreender melhor a matéria, o que encurta o caminho para memorizar as equações.

Grosso modo, falar e explicar para outro faz o cérebro a trabalhar e estimula o aprendizado. Afinal, para dar uma aula, você tem que preparar o material e dominar o assunto. E, com isso, fica mais fácil decorar as fórmulas.

Enfim, gostou destes sete segredos para decorar fórmulas e se dar bem no vestibular? Agora, aproveite para compartilhar este post nas suas redes sociais e ajude também os seus amigos a se darem bem nos estudos!

Facebook Comments