Você já teve a impressão de que seus estudos são mais lentos, ou que a demora para terminar de ler os livros e as apostilas é maior? Bem, não se preocupe. Se esse cenário lhe é familiar, saiba que você não é o único.

Seja por não gostar de ler, ter dificuldade de concentração ou, simplesmente, não cultivar esse hábito, muitas pessoas demoram para chegar ao final de cada página. Ainda mais quando essas páginas são extremamente chatas e didáticas.

Felizmente, existe uma forma de mudar essa situação. Sim, você pode ter mais sucesso nos estudos de forma fácil. Já ouviu falar da técnica de leitura dinâmica? Se a resposta for negativa, sem estresse. Esse post vai mudar sua vida! Essa técnica consiste em ler mais rápido, porém, sem prejudicar sua compreensão do texto.

Quer saber mais sobre essa estratégia e como aplicá-la nos estudos? Então pegue sua caneta marca texto, uma bela xícara de café e confira este post até o fim:

Afinal, o que é leitura?

Vamos começar pelo básico. O que é, de fato, a leitura? Resumidamente, é um processo de decodificação que acontece em duas partes. Na primeira, você vê os símbolos (as letras, os acentos, a pontuação) e, na segunda, você converte esses símbolos em um significado.

Isso ocorre em qualquer leitura, inclusive naquela de textos não verbais, como placas de trânsito. Vale ressaltar que, para realizar tal decodificação dos símbolos, o leitor precisa ter certa vivência sobre o assunto. Por exemplo: se você se depara com uma palavra como defenestrar, e nunca ouviu e nem leu alguém a reproduzindo, ela continua como um conjunto de letras que, juntas, não representam nenhum significado para você.

Logo, enquanto você não pegar um dicionário e ver o que essa junção de termos representa, não saberá o que eles, juntos, significam. Aliás, lá vem a colher de chá: defenestrar significa jogar objetos pela janela. Chique, né?

Toda essa explicação serve para demonstrar que não adianta aplicar o método da leitura dinâmica se não houver familiaridade com o conteúdo estudado. Por isso, preste bastante atenção às aulas, absorva os conteúdos e você verá o quanto essa técnica vai aprimorar seus estudos!

Agora que finalmente colocamos todos os pingos nos “is”, vamos passar para a próxima fase e aprender mais sobre essa prática.

O que é a leitura dinâmica?

A técnica consiste, basicamente, em um conjunto de métodos para tornar a leitura mais veloz sem deixar de absorver o conteúdo que ela representa. É o lance dos significados, lembra?

Vale dizer que, na maioria dos casos, a única maneira de aprimorar a etapa de interpretação e vivência é ler cada vez mais, expandindo seu conhecimento de mundo, vocabulário e sua capacidade de extrapolar diversos sentidos superficiais.

Contudo, este post vai tratar da otimização da primeira etapa — a mais mecânica — e ensinar, por meio de cinco dicas, alguns exercícios simples para dominar essa prática.

Como aprender a leitura dinâmica?

Existem diversos sites, livros e até cursos inteiros destinados a ensinar o método da leitura dinâmica. Porém, se você estuda e trabalha e não pode gastar muito tempo garimpando informações sobre o assunto por aí, nós selecionamos as principais técnicas que você precisa conhecer. Preparado? Então venha conhecê-las em três.. dois… um!

1. Pronúncia

Como você já aprendeu, a leitura se resume em duas etapas: a visualização e a decodificação/interpretação dos signos. Algumas pessoas inserem, ainda, uma etapa extra: a pronúncia.

É comum encontrar quem sente que não consegue entender ou memorizar um texto sem lê-lo em voz alta. Isso, porém, é um grande mito! Tudo que você ganha com essa prática é desperdiçar um pouco mais do seu tempo. Principalmente se você for um jovem que vai prestar vestibular e tem muito conteúdo pela frente para estudar.

Tempo é o recurso mais precioso que temos. Logo, o primeiro passo para uma boa leitura dinâmica é abandonar, de vez, essa mania de ler as palavras em voz alta.

Vale a pena mencionar, também, que alguns especialistas falam sobre a pronúncia mental — em que se pronuncia mentalmente cada palavra do texto. Esse é um hábito um pouco mais difícil de controlar, já que é interno e abstrato. Porém, essa prática também deve ser evitada durante a leitura porque a torna mais lenta.

2. Salto dos olhos

Assim como algumas pessoas têm o hábito de ler em voz alta, outras precisam usar um dedo ou uma régua para acompanhar as linhas do texto sem se perder —  sintoma de um problema muito grave de leitura. Quem faz isso tem um salto dos olhos muito curto ou, até mesmo, inexistente.

Mas, afinal, o que diabos é esse salto dos olhos?

Quando você lê um texto, seus olhos se movimentam por toda a página. Esse movimento acontece em saltos — e quanto maior for o salto, mais rápida é sua leitura.

Algumas pessoas só conseguem saltar de palavra em palavra. Enquanto isso, outras conseguem saltar várias palavras, fixando os olhos somente em três pontos da linha (começo, meio e fim) ou até menos. Vale destacar que a leitura acontece nesses pontos de fixação.

Para praticar o salto dos olhos, você pode digitar uma frase em uma folha. Copie essa mesma frase em várias linhas, mas vá aumentando o espaçamento entre as palavras. Para entender o que está escrito, seus olhos terão que dar saltos cada vez maiores. Veja um exemplo:

O menino atravessou a rua cuidadosamente.

O menino       atravessou a rua       cuidadosamente.

O menino              atravessou a rua        cuidadosamente.

O menino                            atravessou a rua       cuidadosamente.

O menino                                       atravessou a rua cuidadosamente.

Nós sugerimos usar a mesma frase, mas você pode, também, usar frases diferentes, um texto longo, palavras soltas ou até mesmo figuras. O importante é aumentar o espaçamento, progressivamente, para forçar seus olhos a saltar de uma ponta à outra da linha sem perder o ritmo.

3. Scanning

Apesar do nome, acredite, é bem simples! O scanning consiste em passar os olhos no texto para identificar informações que o ajudam a entender o que está escrito — sem precisar, efetivamente, ler.

O que você deve procurar? Alguns exemplos são sinais de organização, como marcadores ou numeração, palavras destacadas em negrito, itálico ou sublinhadas e o uso de números (por exemplo, em datas ou valores).

Por meio do scanning, você consegue extrair informações simples de um texto de forma rápida e clara. Se uma questão no vestibular pedir uma data de nascimento que está no texto, por exemplo, essa técnica vai ajudá-lo a encontrar a resposta apenas visualizando a página.

4. Skimming

O skimming é uma complementação do scanning. Mais uma vez, a proposta é obter informações de maneira rápida. No entanto, existe uma diferença básica entre as técnicas.

Enquanto o scanning permite encontrar informações específicas e pontuais, com o skimming é possível identificar a ideia geral do texto.

Para aplicar o skimming, você deve se concentrar na leitura de partes essenciais ao texto. Isso inclui título e subtítulos, legendas de imagens e gráficos, além de parágrafos estratégicos — geralmente, o primeiro e o último.

Vale reforçar que o skimming não é uma solução mágica para entender cada detalhe do texto sem ler. A tática apenas oferece um panorama sobre o assunto — com os principais fatos e dados apresentados e a direção argumentativa do autor.

5. Releitura

Assim como a pronúncia, a releitura consome muito tempo e também deve ser evitada. Mesmo que você fique um pouco confuso ao longo do texto, a regra é: siga sempre em frente.

O motivo por trás dessa técnica é simples. Seu objetivo principal deve ser completar a leitura rapidamente, com um bom entendimento geral. A releitura pode ser útil para memorizar detalhes, mas não vai ajudá-lo a terminar o conteúdo no prazo.

Então, se for realmente necessário, deixe a releitura para um segundo momento, quando já tiver lido tudo, pelo menos, uma vez.

E por que essa técnica é tão importante?

Você agora já sabe o que ler realmente significa e, ainda, como aplicar algumas técnicas para dominar a arte da leitura dinâmica. Porém, qual é a utilidade disso tudo na prática? O que ela, de fato, pode e vai mudar na sua vida? Bem, só há um jeito de descobrir. Respire fundo, renove o café e vamos lá.

1. Otimização do tempo

A leitura dinâmica permite que você assimile mais conteúdo em menos tempo. Afinal, o processo estará muito mais rápido e fluido. Porém, lembre-se: não adianta nada ler de forma veloz se você não entender o que está ali.

Essa prática só atingirá a perfeição quando tudo o que estiver sendo lido se tornar claro e compreensível. Afinal, estamos aqui para aprender. Para isso, só existem dois caminhos: vivência e familiaridade com a leitura. Então, nunca deixe de buscar conhecimento e aproveite todas as oportunidades que aparecerem para aprender ou descobrir coisas novas.

2. Aumento da produtividade

Quando se lê e se assimila as ideias mais rapidamente, mais tempo se tem para executar outras tarefas e revisar ainda mais conteúdos. Afinal, o que você antes demorava duas horas para ler vai lhe tomar apenas metade desse tempo.

Isso faz com que existam mais oportunidades para dar atenção a outras informações tão importantes quanto essa, inclusive aquelas que incluem lazer, como quadrinhos, filmes, seriados ou, principalmente, livros de fantasias. Seu dia, então, vai se tornar ainda mais produtivo.

Já pensou que sonho poder revisar todo o conteúdo de História que vai ser cobrado no vestibular e, de cara, ainda conseguir reler algumas regras de português e terminar o dia lendo mais um capítulo de Game of Thrones?

Bem, com a leitura dinâmica isso se torna completamente possível e, ao se deitar todas as noites a partir de hoje, você nunca mais sentirá que perdeu um dia inteiro tentando ler uma coisa só. Produtividade é vida!

3. Estímulo da memória

Lembra quando falamos que, ao aplicar a leitura dinâmica, é importante que você siga sempre em frente com ela, mesmo se ficar um pouco confuso? Bem, isso acontece porque, algumas vezes, pulamos alguma palavra e ficamos preocupados por pensarmos que perdemos alguma informação relevante.

Acontece que o segredo dessa técnica é entender o conjunto das ideias, e não cada termo em si. Mais do que saber exatamente quais palavras foram usadas e em qual ordem, decorá-las para copiá-las na hora da prova e, cinco minutos depois, esquecê-las, é entender o que elas dizem e saber explicar tudo com suas palavras. Não é à toa que vários professores falam que para dominar um conteúdo, não se deve decorá-lo, mas sim entendê-lo.

Todo esse processo de compreensão faz com que nossa memória consiga assimilar as informações de forma organizada e clara.

Como assim?

Isso acontece porque nosso cérebro costuma registrar somente coisas importantes para não se sobrecarregar. Então, quando você assiste, por exemplo, a um filme não muito interessante, a tendência é se esquecer dele dali a algum tempo.

O mesmo acontece com a leitura dinâmica. É preciso entender o contexto de um capítulo a partir de ganchos, e não ficar martelando a mesma frase na cabeça até decorá-la. Afinal, essas palavras só serão palavras que, por não terem muita relevância, serão logo deixadas de lado.

4. Maior concentração

Todos nós temos períodos de concentração e foco. Existem pessoas que conseguem estudar de forma plena durante 45 minutos, outras em duas horas e por aí vai. Depois disso, costumamos nos dispersar um pouco e tudo acaba ficando mais lento.

Quando dominamos a leitura dinâmica, conseguimos encaixar mais conteúdos dentro desse tempo, fazendo com que assimilemos mais informações importantes no mesmo período. Isso, quando praticado diariamente, exercita nossa capacidade de concentração.

Além disso, vale ressaltar que, ao lermos de forma rápida, sem nos preocuparmos muito com os detalhes, todas as informações fluem de forma simples, fazendo com que nossa leitura mantenha um bom ritmo.

Viu como a leitura dinâmica pode aprimorar ainda mais seus estudos? Basta se lembrar de praticá-la sempre que puder, aplicar as dicas que colocamos aqui e, é claro, se abrir para novas informações e experiências para que seu conhecimento se torne cada vez mais diverso e rico.

Agora que você já conhece essa técnica e sabe como praticá-la, que tal compartilhar este post em suas redes sociais e ajudar seus amigos que sofrem para ler algo importante em pouco tempo?

Facebook Comments